Letramento digital e tutoria no ambiente da educação a distância: um estudo à guisa de estado da arte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-7939.2016v1n2p258

Palavras-chave:

Professor tutor –EAD, Competência didática, Letramento tecnológico

Resumo

Este artigo tem por objetivo abordar as relações ente o tutor virtual e suas competências em programas de educação a distância, considerando seu domínio no campo do letramento e do letramento digital, com lastro nos estudos publicados na ANPED. À guisa de estado da arte, realizou-se o levantamento das publicações do período entre 2009 e 2013, circunscritas aos seguintes grupos de trabalho: GT08 Formação de Professores ; GT09 Trabalho e Educação; GT10 Alfabetização, Leitura e Escrita; GT11 Política de Educação Superior e GT16 Educação e Comunicação. Os resultados mostram a predominância de pesquisas qualitativas, que reconhecem, na sua maioria, a relevância da atuação do tutor em EAD, sobretudo quanto a sua função mediadora. Mostram ainda que, a despeito da recorrente preocupação com as competências do tutor para o trânsito no ambiente virtual, as referências a competências relacionadas ao letramento digital são relegadas a segundo plano em favor de outras preocupações: implicações das TIC para o trabalho docente; tutoria e precarização do trabalho; (sub)utilização das TIC no ensino-aprendizagem etc. Os resultadosevidenciam, por fim, a necessidade de mais pesquisas envolvendo o letramento digital do tutor, tendo em vista inclusive suas implicações políticas para a formação e para o trabalho docente em EAD.

Biografia do Autor

Ricardo Viana Velloso, Universidade São Francisco (USF)

Doutorando em Educação da Universidade São Francisco (USF), campus Itatiba (SP)

Luzia Bueno, Universidade São Francisco (USF)

Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP e Professora do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade São Francisco, campusItatiba (SP)

Referências

BRASIL. Decreto 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o artigo 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www2.mec.gov.br/sapiens/portarias/dec5622.htm. Acesso em: 10 jun. 2015.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

DIONISIO, Angela Paiva. Gêneros textuais e multimodalidade. In: KARWOSKI, Acir Mário et al. Gêneros textuais: reflexões e ensino. 4. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2011. p. 137‐152.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GIORDAN, Marcelo. Uma perspectiva sociocultural para os estudos sobre elaboração de significados em situações de uso do computador na Educação em Ciências. 2006. 315 f. Tese (Livre Docência) ‐ Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

KLEIMAN, Ângela B. Os significados do letramento. São Paulo: Mercado de Letras, 1995.

KLEIMAN, Ângela B. Preciso “ensinar” o letramento? Não basta ensinar a ler e a escrever? Barão Geraldo: Cefiel/IEL/ Unicamp, 2010. (Coleção Linguagem e Letramento em Foco: linguagem nas séries iniciais).

KLEIMAN, Ângela B. Projetos de letramento na educação infantil. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3. ed. São Paulo: Ed. 34, 2010.

MAIA, Carmem; MATTAR, João. ABC da EAD: educação a distância hoje. São Paulo: Pearson, 2007.

MARCUSCHI, L. A. et al. Letramento e oralidade no contexto das práticas sociais eventos comunicativos. In: SIGNORINI, Inês (Org.). Investigando a relação oral/escrita e as teorias do letramento. Campinas: Mercado de Letras, 2001. (Coleção Ideias sobre Linguagem).

MILL, D. Sobre o conceito de polidocência ou sobre a natureza do processo de trabalho pedagógico na educação a distância. In: MILL, D.; OLIVEIRA, M. R. G.; RIBEIRO, L. R. C. (Org.). Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques. São Carlos: EDUFSCar, 2010. p. 23‐40.

MINAYO, Maria Cecília de S. (Org.). Pesquisa social. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

ROJO, Roxane H. R. Letramento escolar, oralidade e escrita em sala de aula. Diferentes modalidades ou gêneros do discurso in letramento e oralidade no contexto das práticas sociais eventos comunicativos. In: SIGNORINI, Inês (Org.). Investigando a relação oral/escrita e as teorias do letramento. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2001. (Coleção Ideias sobre Linguagem).

SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143‐160, dez. 2002. Disponível em: . Acesso em: 9 abr. 2017.

STREET, B. V. Letramento sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

STREET, B. V. Literacy in theory and practice. Cambridge: University Cambridge, 1984.

STREET, B. V. Social literacies: critical approaches to literacy in development, ethnography and education. Harow: Pearson, 1995.

XAVIER, Antônio Carlos dos Santos. Letramento digital e ensino. Disponível em: https://www.ufpe.br/nehte/artigos/Letramento%20digital%20e%20ensino.pdf. Acesso em: 16 abr. 2015.

Downloads

Publicado

06-07-2017

Como Citar

VELLOSO, Ricardo Viana; BUENO, Luzia. Letramento digital e tutoria no ambiente da educação a distância: um estudo à guisa de estado da arte. Educação em Análise, Londrina, v. 1, n. 2, p. 258‐277, 2017. DOI: 10.5433/1984-7939.2016v1n2p258. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/educanalise/article/view/27530. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.