Adaptação e utilização de portefólio para aprendizagem reflexiva e autónoma nas práticas pedagógicas de inglês

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-7939.2017v2n1p97

Palavras-chave:

Ensino de segunda língua, Formação de professores, Reflexão, Autonomia, Práticas pedagógicas

Resumo

A Formação Inicial de Professores (FIP) tem sido marcada internacionalmente com a introdução de instrumentos de reflexão, que fazem parte das boas práticas de ensino e aprendizagem no âmbito das Ciências de Educação. Mas no contexto angolano esta inovação não é um facto. Assim, o presente artigo propõe adaptar e utilizar, na Prática Pedagógica do curso de Inglês, o Portfolio for Students Teachers of English no Instituto Superior de Ciências de Educação de Luanda (ISCED-POSTE). Para tal, utilizamos a metodologia quantitativa com recurso ao programa SPSS para determinar as frequências de preenchimento do portefólio e recorremos à metodologia qualitativa com realce à análise temática das entrevistas dos participantes. Da análise feita à sessão Self-Assessment, o Resource foi a categoria mais refletida com 38%, enquanto o Independent learning com 6% foi a menos utilizada pelos estudantes. A categoria do Dossier mais expressiva é o Evidence From Lesson Observation and Evaluation (EFLOE) com 50%. Tal como os participantes consideram que o ISCED-POSTE estimula a criatividade, promove a aprendizagem autónoma e reflexiva, contribui na organização do processo de aprendizagem e recomendam a sua utilização. Auguramo-nos que o presente trabalho sirva de protótipo para outros contextos de formação inicial de professores que privilegiam abordagens tradicionais de ensino nas práticas pedagógicas ou estágios.

Biografia do Autor

Miguel Afonso Vila, Universidade Nova de Lisboa

Doutorando pela Universidade Nova de Lisboa.  Docente do Instituto Superior Politécnico de Humanidade e Tecnologias do Huambo. Membro pesquisador do CETAPS (Centre for English, Translation, and Anglo-Portuguese Studies) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Ana Matos, Universidade Nova de Lisboa

Docente do Departament  of Modern Languages, Cultures and Literatures da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Coordenadora de dois cursos de mestrado em Ensino de Inglês. Pesquisadora do Centre for English, Translation and Aglo-Portuguese Studies (CETEAPS)

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

CAKIR, A.; BALCIKANLI. C. The use of the EPOSTL to foster teacher autonomy: ELT student teachers’ and teacher trainers’ views. Australian Journal of Teacher Education, Perth, v. 32, n. 3, p. 1-16, 2012.

CARTWRIGHT, L. How consciously reflective are you? In: DEBRA, M.; LESLEY, C. (Ed.). Developing reflective practice: a guide for beginning teachers. London: Open University, 2011. p. 55-68.

GONÇALVES, T. N. R. Investigar em educação: fundamentos e dimensões da investigação qualitativa. In: MARIANA, G. A.; NAIR, R. A. (Ed.). Investigar em educação: desafios da construção de investigadores num campo multi-referenciado. Lisboa: FCT, 2010. p. 45-48.

HOXHA, M.; TAFANI, V. European Portfolio for Student - Teachers of Languages (EPOSTL) and Insights from Student - Teachers’ Feedback. Academic Journal of Interdisciplinary Studies, v. 4, n. 3, p. 71-78, 2015.

JACET. Adapting European Portfolio for Student Teachers of Languages (EPOSTL) to the Japanese Educational Context. Tokio: JACET Publisher, 2010.

JIMBO, H. et al. A Comprehensive Study on the Framework of English Language Teachers Professional Development in Japan. Tokio: JACET, 2013.

MAKINEM, K. The use of the personal statement. In DAVID, N.; ANNE-BRIT, F.; BARRY, J. (Ed.). Using the european portfolio for student teachers of languages. Strasbourg: Council of Europe, 2011. p. 45-53.

MCGREGOR. D. What can reflective practice mean for you and why should you engage in it? In: DEBRA, M.; LESLEY, C. (Ed.). Developing reflective practice: a guide for beginning teachers. London: Open University, 2011. p. 1-20.

NEWBY, D. et al. European portfolio for student teachers of languages: a reflection tool for language teacher education. Brussels: Council of Europe, 2007.

NIHLÉN, C. What goes into the EPOSTL dossier and why? In: DAVID, N.; ANNE-BRIT, F.; BARRY, J. (Ed.). Using the european portfolio for student teachers of languages. Strasbourg: Council of Europe, 2011. p. 55-62.

RICHARDS, J. Towards reflective teaching: the teacher Trainer. A Practical Journal for those who Train, Mentor, and Educate TESOL teachers, v. 5, n. 3, p. 4-8, 1991

Downloads

Publicado

03-01-2018

Como Citar

VILA, Miguel Afonso; MATOS, Ana. Adaptação e utilização de portefólio para aprendizagem reflexiva e autónoma nas práticas pedagógicas de inglês. Educação em Análise, Londrina, v. 2, n. 1, p. 97–120, 2018. DOI: 10.5433/1984-7939.2017v2n1p97. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/educanalise/article/view/31655. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos