Dificuldades para inclusão de crianças autistas na população neuropediatria de Guarapuava e região

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-7939.2023v8n2p379

Palavras-chave:

Transtorno do espectro autista (TEA), Inclusão autista, Autismo na escola.

Resumo

O transtorno do espectro autista é caracterizado por distúrbios no desenvolvimento das áreas de comunicação, interação social e comportamento. O presente estudo busca avaliar se crianças com autismo estão sendo incluídas no ensino regular com abordagens pedagógicas e adaptações curriculares para otimizar o seu potencial de desenvolvimento. Trata-se de uma pesquisa qualitativa (entrevistas individuais) que buscou identificar se a inclusão das crianças está ocorrendo e quais as dificuldades mencionadas pelos pais ou responsáveis. Ao todo, 41 pais ou responsáveis legais participaram do questionário e colocaram suas avaliações de forma objetiva e discursiva sobre a inclusão de seus filhos. As respostas indicaram que em uma perspectiva geral o ambiente escolar oferece apoio para o desenvolvimento das principais áreas afetadas pelo autismo, porém ainda com muitas carências. A formação de profissionais habilitados para trabalhar as particularidades dos autistas possibilitará a construção de conhecimento para práticas educacionais que propiciem o desenvolvimento sócio cognitivo dos estudantes com transtorno do espectro autista, como presente na nota técnica Nº 24 / 2013 / MEC / SECADI / DPEE. Os resultados sugerem que são inúmeras as dificuldades de inclusão de crianças autistas no ensino regular, entre elas a falta de preparo profissional, escolar e do diagnóstico tardio de algumas crianças.  

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gabriel Kluppel Lima

Graduação em Medicina - Centro Universitário Campo Real - Guarapuava/PR

Silvia Mara de Souza Halick, Centro Universitário Campo Real

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (1997), é especialista em Pediatria pela Universidade Federal do Paraná(1999) e em Neuropediatria também pela UFPR (2001), Especialista em Preceptoria de Residência Médica no SUS(2016).Possui experiência de 16 anos em atendimento na área privada e em atendimento no Serviço Publico de Saúde nas áreas de Pediatria e Neuropediatria. Experiência em docência universitária de 5 anos na Faculdade Campo Real e em Preceptoria na Residência Médica de Pediatria no Hospital Angelina Caron em Campina Grande do Sul-Grande Curitiba. Mestre em Ensino em Ciências da Saúde pela Faculdades Pequeno Príncipe (2019). Membro do Colegiado e NDE do curso de Medicina do Centro Universitário Campo Real.

Referências

BALBINO, Elizete Santos. A inclusão de uma aluna com deficiência visual na universidade estadual de alagoas: um estudo de caso. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação Brasileira) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2010.

BAPTISTA, Claudio Roberto; BOSA, Cleonise. Autismo e educação: reflexões e propostas de intervenção. Porto Alegre: Artmed, 2002.

BARBOSA, Amanda Magalhães; ZACARIAS, Jaqueline Cruz; MEDEIROS, Kesia Natália; NOGUEIRA, Ruth Késia Silva. O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EDUCERE, 11., 2013, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2013. p. 19776.

BATTISTI, Aline Vasconcelos; HECK, Giomar Maria Poletto. A inclusão escolar de crianças com autismo na educação básica: teoria e prática. Chapecó: Universidade Federal da Fronteira Sul, 2015.

BRANDE, Carla André; ZANFELICE, Camila Cilene. A inclusão escolar de um aluno com autismo: diferentes tempos de escuta, intervenção e aprendizagens. Educação Especial, Santa Maria, v. 25, n. 42, p. 43-56, jan./abr. 2012. DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X3350. DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X3350

BRASIL. Constituição federal da república federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988.

BRASIL. Decreto n. 10.502, de 30 de setembro de 2020. Que veio a instituir a política nacional de educação especial: equitativa, inclusiva e com aprendizado ao longo da vida. Brasília, DF: Presidência da República, 2020.

BRASIL. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Brasília: MEC/SEESP, 2001.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o estatuto da criança e do adolescente e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1990.

BRASIL. Ministério da Educação. Nota técnica n. 24/2013/MEC/SECADI/DPEE. Orientação aos sistemas de ensino para implementação da lei n. 12.764/2012. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2013.

BRASIL. Resolução n. 4, de 02 de outubro de 2009. Institui diretrizes operacionais para o atendimento educacional especializado na educação básica, modalidade educação especial. Brasília, DF: Presidência da República, 2009.

GIKOVATE, Carla. Autismo: compreendendo para melhor incluir. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009.

HARTUP, Willian Willard. A empresa que mantêm: amizades e seu significado para o desenvolvimento. Desenvolvimento infantil, Campos dos Goytacazes, v. 67, n. 1, p. 1-13, 1996.

HARTUP, Willian Willard. Friendships and their developmental significance. In: MCGURK, Harry (ed.). Childhood social development: contemporary perspectives. New York: Lawrence Erlbaum Associates Inc, 1992. p. 175–205. DOI: https://doi.org/10.4324/9781315785042-8

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTÁTISTICA. Censo 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/.

INCLUSÃO. In: FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário eletrônico aurélio século XXI. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira; Lexikon Informática, 1999.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina Andrade. Técnicas de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Editora Atlas, 1996.

MANTOAN, Maria. Teresa. Egler. A Integração de pessoas com deficiência: contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Memmon: Editora SENAC, 1997.

MATHIESON, Kay; BANERJEE, Robin. Preschool peer play: the beginnings of social competence. Educational and ChildPsychology, Leicester, p. 9-20, 2010. DOI 10.53841/bpsecp.2010.27.1.9. DOI: https://doi.org/10.53841/bpsecp.2010.27.1.9

SANTOS, Ana Maria Tarcitano. Autismo: desafios na alfabetização e no convívio escolar. São Paulo: Centro de Referência em Distúrbios de Aprendizagem, 2008.

SILVA, Maria Carmo Bezerra Lima; BROTHERHOOD, Raquel Maya. Autismo e inclusão: da teoria à prática. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA CESUMAR, 6., 2009, Maringá. Anais [...] Maringá: Centro Universitário de Maringá, 2009. p. 3.

TOLEZANI, Mariana. Son-rise: uma abordagem inovadora. Revista Autismo, São Paulo, ano 1, p. 8-10, set. 2010.

Downloads

Publicado

01-12-2023

Como Citar

LIMA, G. K.; HALICK, S. M. de S. Dificuldades para inclusão de crianças autistas na população neuropediatria de Guarapuava e região. Educação em Análise, Londrina, v. 8, n. 2, p. 379–397, 2023. DOI: 10.5433/1984-7939.2023v8n2p379. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/educanalise/article/view/44595. Acesso em: 15 abr. 2024.