Educação em tempos de pandemia: uma análise do Aula Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-7939.2022v7n1p222

Palavras-chave:

Pedagogia Histórico-Crítica, Educação Básica, Aulas remotas, Neoliberalismo

Resumo

Durante a pandemia mundial de coronavírus, os órgãos governamentais brasileiros determinaram regras de quarentena. Mesmo com regras diferentes em estados e municípios do país, as escolas de educação básica de todo o território nacional suspenderam suas atividades presenciais. Com isso, as instituições escolares precisaram buscar possibilidades de conduzir aulas remotamente. No estado do Paraná, a Secretaria Estadual da Educação e do Esporte lançou um aplicativo digital, nomeado de Aula Paraná, englobando transmissão de vídeo aulas pela televisão e pela internet, disponibilização de atividades pelo aplicativo ou impressas. A partir desse contexto, temos como objetivos refletir sobre a educação em tempos de pandemia no Estado do Paraná, e analisar criticamente uma notícia da Secretaria Estadual de Educação divulgando as aulas a distância que viriam a ser implementadas na Educação Básica. Utilizaremos como aporte teórico os fundamentos da Pedagogia Histórico-Critica e o embasamento metodológico da Análise Crítica do Discurso. Com base na análise realizada e do nosso embasamento teórico, apontamos para a existência de um discurso neoliberal relacionado à educação e subjazendo a proposta das aulas remotas, entendendo a educação como uma mercadoria e sem considerar questões como o acesso dos estudantes e a efetividade do processo de ensino e aprendizagem.

Biografia do Autor

Tatiana Freitas Silva, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Mestranda em Educação da Universidade Estadual de Londrina.

Paula Kracker Francescon, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina. Professora na Universidade Estadual de Londrina.

Referências

BATISTA, E; LIMA, M. A pedagogia histórico-crítica como teoria pedagógica revolucionária. Laplage em Revista, v. 1, n. 3, p. 67-81, 2015.

GASPARIN, J. L. A construção dos conceitos científicos em sala de aula. Educação: visão crítica e perspectivas de mudança. Concórdia: Editora da Universidade do Contestado, v. 1, p. 1-25, 2007.

GASPARIN, J; PETENUCCI, M. Pedagogia histórico crítica: da teoria à prática no contexto escolar. Dia a dia Educação, Paraná, v. 2, p. 2289-8, 2014.

EISENBACH NETO, F. J.; CAMPOS, G. R. O impacto do neoliberalismo na educação brasileira. Anais do XIII Congresso Nacional de Educação, p. 10986-10999, 2017.

ENSINO A DISTÂNCIA EXCLUI MILHARES DE ALUNOS(AS) E NÃO TEM EFETIVIDADE. APP Sindicato, 6/maio/2020. Disponível em https://appsindicato.org.br/ensino-adistancia-exclui-milhares-de-alunosas-e-nao-tem-efetividade/. Acesso em 29 de maio de 2020.

FAIRCLOUGH, N. Introduction: critical language study. In: FAIRCLOUGH, N. Language and power. London: Longman, 1989. p. 1 - 16.

FAIRCLOUGH, N. Critical Discourse Analysis: the critical study of language. London and New York: Longman, 1995.

FAIRCLOUGH, N. Global capitalism and critical awareness of language. Language Awareness. v.8, n.2, 1999. p. 71 – 83. Disponível em: http://eprints.lancs.ac.uk/8546/1/la0080071.pdf>. Acesso em 18 de julho de 2012.

FAIRCLOUGH, N. Analysing discouse: textual analysis for social research. London and New York: Routledge, 2003. p. 21 – 38.

KUENZER, A. Z. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. Capitalismo, trabalho e educação, v. 3, p. 77-96, 2002.

MALANCHEN, J. O conceito de cultura: definição e compreensão a partir da teoria marxista. In: JORNADA DO HISTEDBR. A PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA, A EDUCAÇÃO BRASILEIRA E OS DESAFIOS DE SUA INSTITUCIONALIZAÇÃO, 11.,2013, Cascavel, PR. Anais [...]. Cascavel [...], 2013.

MARRACH, S; et al. Neoliberalismo e educação. Infância, Educação e Neoliberalismo. São Paulo: Cortez, p. 42-56, 1996.

MOTTA-ROTH, D.; LOVATO, C. S. O poder hegemônico da ciência no discurso de popularização científica. Calidoscópio, v. 9, n. 3, p. 251-268, set./dez. 2011. Disponível em http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/article/viewFile/1720/559. Acesso em 23 de maio de 2020.

PARANÁ. Secretária da Educação e do Esporte. Estudantes da rede estadual já podem baixar aplicativo para assistir às aulas EaD. Núcleo Regional de Educação de Paranavaí, 2020. Disponível em: http://www.nre.seed.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=21115. Acesso em: 29 maio de 2020.

RIBEIRO, J. M.; SAITO, R. S.; CRISTOVÃO, V. L. L.; NASCIMENTO, E. L. Levantamento dos elementos ensináveis no gênero notícia impressa em LM e online em LE. In: CRISTOVÃO, V. L. L. (Org.). Modelos didáticos de gênero: uma abordagem para o ensino de língua estrangeira. Londrina: UEL, 2007. p. 199-209.

SANTOS, B. de S. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina, 2020.

SAVIANI, D. O paradoxo da educação escolar: análise crítica das expectativas contraditórias depositadas na escola. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, v. 5, n. 10, p. 13-28, 2010.

SAVIANI, D. A pedagogia histórico-crítica, as lutas de classe e a educação escolar. Germinal: Marxismo e educação em debate, v. 5, n. 2, p. 25-46, 2013.

SAVIANI, D. Sobre a natureza e especificidade da educação. Germinal: marxismo e educação em debate, v. 7, n. 1, p. 286-293, 2015.

SFORNI, M. Aprendizagem conceitual e organização do ensino: contribuições da teoria da atividade. Araraquara: JM Editora, 2004.

Downloads

Publicado

2022-07-12

Como Citar

SILVA, T. F.; FRANCESCON, P. K. Educação em tempos de pandemia: uma análise do Aula Paraná. Educação em Análise, Londrina, v. 7, n. 1, p. 222–242, 2022. DOI: 10.5433/1984-7939.2022v7n1p222. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/educanalise/article/view/43673. Acesso em: 29 maio. 2023.