Metodologias ativas e a construção de portfólios digitais: indicadores de interação, autonomia e novas práticas na formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-7939.2017v2n2p303

Palavras-chave:

Metodologia ativa, Formação de professores, Portfólios digitais, Autonomia

Resumo

O presente artigo trata-se de uma investigação acerca do uso das metodologias ativas na construção de portfólios digitais, como elementos de significação nos processos de ensino e aprendizagem, mais especificamente no curso de licenciatura em Matemática do Instituto Federal da Bahia - Campus Camaçari. Assim, por meio de um estudo de caso, propôs-se o levantamento de indicadores de interação entre os discentes, prática docente e recursos digitais para a ampliação de uma discussão didática. Tal discussão contextualiza-se através das concepções teórico-metodológicas de autonomia, problematização e avaliação em espaços virtuais de aprendizagem. O estudo destacou que diante de sujeitos multissemióticos e multiletrados, torna-se necessário educar para multiplicidade de metodologias e crítica didática, logo, não há como pensar os processos de ensino e aprendizagem de forma unitária e depositária, sem a inclusão da colaboração, problematização e autonomia dos estudantes. Contudo, torna-se urgente a disseminação das metodologias ativas na prática da formação dos futuros docentes, pois repensar o processo formativo impulsiona-os a construir um cenário diferente, mais dinâmico e problematizador para os seus futuros estudantes. 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eneida Santana Baumann, Instituto Federal da Bahia (IFBA)

Doutoranda pelo Programa Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento pela Universidade Federal da Bahia.

Eduardo Fofonca, Instituto Federal do Paraná (IFPR)

Doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, SP. Pós-doutorado em Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina. Professor Universidade Federal do Paraná e Coordenador Editorial no Instituto Federal do Paraná.

Tereza Kelly Gomes Carneiro, Instituto Federal da Bahia (IFBA)

Doutora em Difusão do Conhecimento pela Universidade Federal da Bahia. Realizou estágio pós-doutoral no SENAI/CIMATEC. Professora do Instituto Federal da Bahia.

Referências

BARBOSA, E.F; MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p.48-67, maio/ago., 2013. Disponível em: http://www.senac.br/media/42471/os_boletim_web_4.pdf. Acesso em: 3 jul. 2016.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2014. Disponível em: http://www.proiac.uff.br/sites/default/files/documentos/berbel_2011.pdf. Acesso em: 22 de jun. 2016.

BORGES, T.; ALENCAR, G. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista, Salvador, v. 3, n. 4, p. 119-143, 2014. Disponível em: https://goo.gl/6bzDiH. Acesso em: 3 maio 2016.

FOFONCA, E. Os Blogs como Mídia Digital na Educação: diálogos possíveis. Razón y Palabra: Eurorrexión Galicia-Norte de Portugal, n. 74, nov. 2010/ ene. 2011. Disponível em: http://www.razonypalabra.org.mx/N/N74/VARIA74/06FofoncaV74.pdf. Acesso em: 1 jul. 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

MORAN, J. M. Metodologias Inovadoras com Tecnologias. Entrevista a João Matar. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=pKi2K_xcTGM&feature=youtu.be. Acesso em: 1 jul. 2016.

MORAN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. (Coleção Mídias Contemporâneas: Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, 3). Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wpcontent/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf. Acesso em: 1 jul. 2016.

POLAK, Y. N. S. A avaliação do aprendiz em EAD. LITTO, F. M.; FORMIGA, M. Educação a Distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson. 2009. p. 153-160. Disponível em: http://www.abed.org.br/arquivos/. Acesso em: 20 jun. 2016.

SÁ-CHAVES, I. Formação, conhecimento e supervisão: contributos nas áreas da formação de professores e de outros profissionais. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2000. (Estudos temáticos 1).

SERAFIM, M. L. O. Portfólio digital como tecnologia no processo de avaliação. In: CONGRESO IBEROAMERICANO DE CIENCIA, TECNOLOGÍA, INNOVACIÓN Y EDUCACIÓN, 2014, Buenos Aires. Disponível em: http://www.oei.es/congreso2014/memoriactei/1397.pdf. Acesso em: 20 jun. 2016.

Downloads

Publicado

14-09-2018

Como Citar

BAUMANN, E. S.; FOFONCA, E.; CARNEIRO, T. K. G. Metodologias ativas e a construção de portfólios digitais: indicadores de interação, autonomia e novas práticas na formação de professores. Educação em Análise, Londrina, v. 2, n. 2, p. 303–320, 2018. DOI: 10.5433/1984-7939.2017v2n2p303. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/educanalise/article/view/32085. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos