Ciclos de vida na educação de jovens e adultos: estudo biográfico de uma estudante-docente da eja

Autores

  • Bruno dos Santos Joaquim Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-7939.2016v1n2p236

Palavras-chave:

Educação de jovens e adultos, Biografia, Formação de professores

Resumo

O presente artigo pretende compreender, através da abordagem biográfico-narrativa (JOSSO, 2004; DOMINICÉ, 2006; SOUZA, 2007), o processo de educação ao longo da vida da Professora Maria (nome fictício), docente da Educação de Jovens e Adultos (EJA)há mais de vinte anos, que também foi estudante da modalidade entre as décadas de 1970 e 1980. Pretende-se também discutir o conceito de educação ao longo da vida e oferecer condições para a reflexão acerca da formação de docentes na modalidade EJA, com base em autores como Alheit e Dausien (2006) e Lima (2007) e na interpretação dos percursos biográficos da docente, além de compreender, assentado nas proposições de Oliveira (2009), de que modo o conceito de ciclo de vida se efetiva na análise da narrativa de vida da Professora Maria. Os resultados desta pesquisa indicam que a ligação da estudante-docente com a EJA pode ser uma chave interpretativa da aprendizagem ao longo da vida, de um processo que se deu pela sucessão de aprendizagens formais, não formais e informais de alguma maneira ligados à EJA. Desta relação advém três percepções significativas presentes no discurso da docente, que corroboram análises de pesquisadores da modalidade: a) sua condição de ter sido estudante da EJA é, em sua visão, bastante significativa para sua atuação como docente; b) sua formação inicial e continuada é, em sua visão, falha na preparação da docente para atuar na EJA; c) o perfil da docente, como mulher, trabalhadora doméstica, migrante e de origem pobre valida os estudos de perfil dos estudantes da EJA.

Biografia do Autor

Bruno dos Santos Joaquim, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (EFLCH -UNIFESP). 

Referências

ALHEIT, Peter; DAUSIEN, Bettina. Processo de formação e aprendizagens ao longo da vida. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 1, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517‐97022006000100011. Acesso em: 5 nov. 2015.

CORRÊA, Rosa Lydia Teixeira; GUIRAUD, Luciana. Possibilidades e limites de histórias de vida por meio de depoimentos orais na história da formação de professores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 9, n. 28, p. 671‐687, set./dez. 2009.

DELORY‐MOMBERGER, Christine. Abordagens metodológicas na pesquisa biográfica. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 51, p. 523‐536, set./dez. 2012.

DI PIERRO, Maria Clara. Balanço e perspectivas da pesquisa sobre formação de educadores/as de jovens e adultos. In: SEMINÁRIO NACIONAL FORMAÇÃO DE EDUCADORES DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS, 3., 2011, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Deriva, 2010. p. 166‐177.

DOMINICE, Pierre. A formação de adultos confrontada pelo imperativo biográfico. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517‐97022006000200010>. Acesso em: 5 nov. 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa, SãoPaulo: Paz e Terra, 2011. HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Vida de professores. Porto: Porto, 2000. p. 31‐62.

JOSSO, Marie‐Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

LIMA, Licinio. Educação ao longo da vida: entre a mão direita e a mão esquerda de Miró. São Paulo: Cortez, 2007.

NÓVOA, Antonio; FINGER, Mathias. O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP, 1988.

OLIVEIRA, Kohl de Oliveira. Ciclos de vida: algumas questões sobre a psicologia do adulto. In: OLIVEIRA, Kohl de Oliveira. Cultura e psicologia: questões sobre o desenvolvimento do adulto. São Paulo: Hucitec, 2009. p. 360‐391.

PALÁCIOS, Jesus et al. Desenvolvimento psicológico na idade adulta e na velhice. In: COLL, César e al. Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia evolutiva. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 371‐437.

PINEAU, Gaston. As histórias de vida como artes formadoras da existência. In: SUZA, Elizeu Clementino; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (Org.). Tempos, Narrativas e Ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2006. p. 42‐59.

RIBEIRO, Vera Masagão. A formação de educadores e a constituição da educação de jovens e adultos como campo pedagógico. Educação e Sociedade, Campinas, ano 20, n. 68, p. 185‐201, dez. 1999.

SÃO PAULO. Secretaria Estadual de Educação. Resolução nº 77 de dezembro de 2011. Dispõe sobre a organização e o funcionamento dos cursos de Educação de Jovens e Adultos, nos Centros Estaduais de Educação de Jovens e Adultos – CEEJAs. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2017.

SCHUTZE, Frtiz. Biography analysis on the empirical base of autobiographical narratives: How to analyse autobiographical narrative interviews‐part 1. 2007. Disponível em: http://www.zsm.ovgu.de/zsm_media/Das+Zentrum/ Forschungsprojekte/INVITE/B2_1‐ p‐140.pdf. Acesso em: 5 abr. 2017.

SILVA, Maria do Rosario; COSTA, Maria Lemos. Narrativas e pesquisa em educação: possibilidades formativas e investigativas. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA UFPI, 6., 2010, Palmas. Anais... Palmas, 2010. p. 1‐14.

SOUZA, Elizeu Clementino. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva‐interpretativa e política de sentido. Revista Educação UFSM, Santa Maria, v. 39, n. 1, p. 85‐104, jan./abr. 2014.

SOUZA, Elizeu Clementino. (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In: NASCIMENTO, A. D.; HETKOWSKI, T. M. (Org.). Memória e formação de professores. Salvador: Edufba, 2007. p. 59‐74.

TORRES, R. M. Resumen ejecutivo. Educación de Adultos y Desarrollo, Madrid, Supl. 60, p. 17‐30, 2003.

Downloads

Publicado

06-07-2017

Como Citar

JOAQUIM, Bruno dos Santos. Ciclos de vida na educação de jovens e adultos: estudo biográfico de uma estudante-docente da eja. Educação em Análise, Londrina, v. 1, n. 2, p. 236‐257, 2017. DOI: 10.5433/1984-7939.2016v1n2p236. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/educanalise/article/view/28120. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.