Parâmetros bromatológicos e desaparecimento ruminal da forragem do centeio Secale cereale em diferentes sistemas de corte com ou sem fungicida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2020v41n5p1691

Palavras-chave:

Carboidratos fibrosos, Piraclostrobina. Proteína bruta, Secale cereale.

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar os parâmetros bromatológicos e o desaparecimento ruminal da matéria seca da foragem de centeio Secale cereale, cv. Temprano manejado em diferentes regimes de cortes no estádio vegetativo, com ou sem aplicação de fungicida a base de Fluxapiroxade + Piraclostrobina no estádio de pré-florescimento. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso e os tratamentos constaram da avaliação das forragens colhidas no estádio de grão farináceo, sendo SCSF: sem corte no vegetativo e sem aplicação de fungicida; SCCF: sem corte no vegetativo com aplicação de fungicida; UCSF: um corte no vegetativo sem aplicação de fungicida; UCCF: um corte com aplicação de fungicida; DCSF: dois cortes no vegetativo sem aplicação de fungicida; DCCF: dois cortes com aplicação de fungicida. De maneira geral, a realização de um corte no estádio vegetativo e posterior corte para ensilagem no estádio de grão farináceo foi o melhor sistema empregado no centeio cv. Temprano com base nos parâmetros de bromatologia e desaparecimento ruminal. Esse sistema proporcionou melhor composição dos carboidratos fibrosos com menores teores de Fibra em Detergente Ácido (41,55%) e Lignina (10,79%) após o corte e gerou melhor taxa de desaparecimento ruminal da matéria seca a nível ruminal (0,46%) por hora de exposição, ressaltando ainda o corte do vegetativo que produziu um material com 20,76% de Proteína Bruta, Fibra em detergente neutro de 52,69% evidenciando a sua qualidade nutricional para uso em pastejo ou como silagem pré-secada. O uso do fungicida proporcionou melhoras significativas nos teores de proteína bruta (8,24% vs 7,23%) e matéria mineral (3,02% vs 2,82%) da planta no momento da ensilagem, o que gerou melhores índices de desaparecimento da matéria seca no rúmen.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Julio Cezar Heker Junior, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Prof. Dr., Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Guarapuava, PR, Brasil.

Mikael Neumann, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Prof. Dr., Curso de Pós-Graduação em Agronomia na área de Produção Vegetal, UNICENTRO, Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, Guarapuava, PR, Brasil.

Marcelo Cruz Mendes, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Prof. Dr., Curso de Pós-Graduação em Agronomia na área de Produção Vegetal, UNICENTRO, Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, Guarapuava, PR, Brasil.

André Martins de Souza, Universidade Estadual de Londrina

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Leslei Caroline Santos, Universidade Estadual de Oeste do Paraná

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual de Oeste do Paraná, UNIOESTE, Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil.

Emylli Pereira e Silva, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Discente do Curso de Mestrado do Curso de Pós-Graduação em Agronomia na área de Produção Vegetal, UNICENTRO, Guarapuava, PR, Brasil.

Giovanna Bobato Pontarolo, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Discente do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, UNICENTRO, Guarapuava, PR, Brasil.

Rômulo Silva de Oliveira, Acadêmico de Medicina Veterinária, estagiário do NUPRAN, UNICENTRO, Guarapuava, PR, Brasil.

Discente do Curso de Graduação em Medicina Veterinária, UNICENTRO, Guarapuava, PR, Brasil.

Rafaela Guimarães Pinto, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Discente do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Câmpus de Ilha Solteira, UNESP, Ilha Solteira, SP, Brasil.

Referências

Anke, T. (1995). The antifungal strobilurins and their possible ecological role. Canadian Journal of Botany, 73(S1), 940-945. doi: 10.1139/b95-342

Association of Official Analytical Chemists (1984). Official methods of analysis. Washington, D.C.: AOAC.

Bumbieris, V. H., Jr., Oliveira, J. R., Jobim, C. C., Barbosa, M. A. A. F., Castro, L. M., & Barrero, R. P. (2011). Perspectivas para uso de silagem de cereais de inverno no Brasil. Anais do Simpósio de Produção e Utilização de Forragens Conservada, Maringá, PR, Brasil.

Campos, W. E., Saturnino, H. M., Sousa, B. M., Gonçalves, L. C., Borges, I., Rodrigues, J. A. S.,... Ferreira, P. M. (2003). Degradabilidade in situ da silagem de quatro genótipos de sorgo com e sem tanino. II. Fibra detergente neutro, fibra detergente ácido, hemicelulose e celulose. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, 55(4), 450-453. doi: 10.1590/S0102-09352003000400010

Carvalho, G. D., & Pires, A. J. V. (2008). Organização dos tecidos de plantas forrageiras e suas implicações para os ruminantes. Archivos de Zootecnia, 57(1), 13-28. Recuperado de https://www.uco.es/organiza/ servicios/publica/az/php/az.php?idioma_global=1&revista=145&codigo=1678

Caviglione, J. H., Kiihl, L. R. B., Caramori, P. H., Oliveira, D., Galdino, J., Borrozino, E.,... Pugsley, L. (2000). Cartas climáticas do Estado do Paraná. Londrina: IAPAR.

Coan, R., Freitas, D., Reis, R., & Rodrigues, L. (2001). Composição bromatológica das silagens de forrageiras de inverno submetidas ou não ao emurchecimento e ao uso de aditivos. ARS Veterinária, 17(1), 58-63. Recuperado de http://www.arsveterinaria.org.br/arquivo/2001/v.17,%20n.1,% 202001/58-63.pdf

Fagan, E. B., Dourado, D. Neto, Vivian, R., Franco, R. B., Yeda, M. P., Massignam, L. F.,... Martins, K. V. (2010). Efeito da aplicação de piraclostrobina na taxa fotossintética, respiração, atividade da enzima nitrato redutase e produtividade de grãos de soja. Bragantia, 69(4), 771-777. doi: 10.1590/S0006-87052010000400001

Fontaneli, R. S., Meinerz, G. R., Fontaneli, R. S., Santos, H. P., Biazus, V., Fávero, D., & Rebechi, I. A. (2016). A contribuição das forrageiras de inverno para a pecuária de leite. In D, Vilela, R. P. Ferreira, E. N. Fernandes, & F. V. Juntolli (Eds.), Pecuária de leite no Brasil: cenários e avanços tecnológicos (Chap. 5, pp. 239-243). Brasília: EMBRAPA.

Fontaneli, R. S., Santos, H. P. dos, Nascimento, A. D., Jr., Minella, E., & Caierão, E. (2009). Rendimento e valor nutritivo de cereais de inverno de duplo propósito: forragem verde e silagem ou grãos. Revista Brasileira de Zootecnia, 38(11), 2116-2120. doi: 10.1590 / S1516-35982009001100007

Glaab, J., & Kaiser, W. M. (1999). Increased nitrate reductase activity in leaf tissue after application of the fungicide Kresoxim-methyl. Planta, 207(3), 442-448. doi: 10.1007/s004250050503

Goering, H. K., & Van Soest, P. J. (1970). Forage fiber analysis: apparatus reagents, procedures and some applications. Washington, D.C.: Agricultural Handbook.

Grossmann, K., & Retzlaff, G. (1997). Bioregulatory effects of the fungicidal strobilurin kresoxim‐methyl in wheat (Triticum aestivum). Pesticide Science, 50(1), 11-20. doi: 10.1002/(SICI)1096-9063 (199705)50:1<11::AID-PS556>3.0.CO;2-8

Horst, E. H., Neumann, M., Santos, J. C. dos, Mareze, J., Mizubuti, I. Y., & Bumbieris, V. H., Jr. (2017). Fiber composition and degradability of cold season green forage and pre-dried silage harvested at pre-flowering. Semina: Ciências Agrárias, 38(4), 2041-2049. doi: 10.5433/1679-0359.2017v38n4p2041

Köehle, H., Grossmann, K., Jabs, T., Gerhard, M., Kaiser, W., Glaab, J.,... Herms, S. (2002). Physiological effects of the strobilurin fungicide F 500 on plants. In H. W. Dehne, U. Gisi, K. H, Kuck, P. E. Russell. & H. Lyr (Eds.), Modern fungicides and antifungal compounds III. Intercept, Andover, UK. (pp. 61-74).

Leao, G. M., Jobim, C. C., Neumann, M. E., Santos, S. K. dos, Horst, E. H., & Santos, L. C. dos. (2019). Aspectos produtivos e nutricionais de cereais de inverno em regimes de corte para ensilagem. Archivos de Zootecnia, 68(262), 128-136. Recuperado de https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo =6947625

Lehmen, R. I., Fontaneli, R. S., Fontaneli, R. S., & Santos, H. P. dos. (2014). Rendimento, valor nutritivo e características fermentativas de silagens de cereais de inverno. Ciência Rural, 44(7), 1180-1185. doi: 10.1590/0103-8478cr20130840.

Maack, R. (2002). Geografia física do Estado do Paraná. Curitiba: Imprensa Oficial.

Molina, L. R., Gonçalves, L. C., Rodriguez, N. M., Rodrigues, J. A. S., Ferreira, J. J., & Castro, A. G., Neto. (2002). Digestibilidade in situ das frações fibrosas de silagens de seis genótipos de sorgo (Sorghum bicolor (L.) Moench) em diferentes estádios de maturação. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, 54(2), 169-179. doi: 10.1590/S0102-09352002000200008

National Research Council (2001). Nutrient requeriments of dairy cattle (7nd rev. ed.). Washinton, D.C.: National Academies Press.

Neumann, M., Dochwat, A., Horst, E. H., Venancio, B. J., Santos, J. C., Heker, J. C., Jr.,... Silva, E. P. (2019). Productivity, profitability and nutritional quality of forage and silage of winter cereals. Semina: Ciências Agrárias, 40(3), 1275-1286. doi: 10.5433/1679-0359.2019v40n3p1275

Nocek, J. E. (1988). In situ and other methods to estimate ruminal protein and energy digestibility: a review. Journal of Dairy Science, 71(8), 2051-2069. doi: 10.3168/jds.S0022-0302(88)79781-7

Nussio, L. G., Campos, F. P., & Lima, M. L. M. (2011) Metabolismo de carboidratos estruturais. In T. T, Berchielli, A. V. Pires, & S. G. Oliveira (Eds.), Nutrição de ruminantes (pp.193-238). Jaboticabal: Funep.

Pepler, S., Gooding, M. J., Ford, K. E., & Ellis, R. H. (2005). A temporal limit to the association between flag leaf life extension by fungicides and wheat yields. European Journal of Agronomy, 22(4), 363-373. doi: 10.1016/j.eja.2004.06.002

Phillips, W. A., Rao, S. C., Dalrymple, R. L., & Klepper, E. L. (1996). Annual cool‐season grasses. In L. E. Moser, D. R. Buxton & M. D. Casler (Eds.), Cool‐Season Forage Grasses, (Chap. 26, pp. 781-802). doi: 10.2134/agronmonogr34.c26

Pott, C. A., Müller, M. M. L., & Bertelli, P. B. (2007). Adubação verde como alternativa agroecológica para recuperação da fertilidade do solo Green manuring as an agroecological alternative for the recovery of soil fertility. Ambiência, 3(1), 51-63. doi: 10.1111/j.1365-2109.2006.01532.x

Reis, E. M., & Casa, R. T. (2007). Doenças dos cereais de inverno: diagnose, epidemiologia e controle. Lages: Ed. Graphel.

Silva, D. J., & Queiroz, A. C. (2009). Análise de alimentos, métodos químicos e biológicos. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa.

Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, Núcleo Estadual do Paraná (2017). Manual de adubação e calagem para o Estado do Paraná. Curitiba: SBCS/NEPAR.

Statistical Analysis System Institute (1993). SAS Language reference. Cary NC: SAS Institute.

Taiz, L., & Zeiger, E. (2013). Fisiologia vegetal. Porto Alegre: Artemed.

Van Soest, P. J. (1994) Nutritional ecology of the ruminant. New York, NY: Cornell University Press.

Van Soest, P. V., Robertson, J. B., & Lewis, B. A. (1991). Methods for dietary fiber, neutral detergent fiber, and nonstarch polysaccharides in relation to animal nutrition. Journal of Dairy Science, 74(10), 3583-3597. doi: 10.3168/jds.S0022-0302(91)78551-2

Venancio, B. V. (2019) Utililização da piraclostrobina sobre a produção de cereais de inverno. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, PR, Brasil. Recuperado de https://www2.unicentro.br/ppgvet/files/2019/04/Disserta%C3%A7%C3%A3o-Bruno-Jos%C3%A9-Venancio.pdf?x26325

Downloads

Publicado

2020-06-17

Como Citar

Heker Junior, J. C., Neumann, M., Mendes, M. C., Souza, A. M. de, Santos, L. C., Silva, E. P. e, Pontarolo, G. B., Oliveira, R. S. de, & Pinto, R. G. (2020). Parâmetros bromatológicos e desaparecimento ruminal da forragem do centeio Secale cereale em diferentes sistemas de corte com ou sem fungicida. Semina: Ciências Agrárias, 41(5), 1691–1704. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2020v41n5p1691

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4 5