Soroprevalência e fatores de risco para toxoplasmose e neosporose na população canina de Ibiúna, São Paulo, Brasil

Autores

  • Roberta Mascolli Prefeitura Municipal de São Paulo
  • Francisco Rafael Martins Soto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo
  • Fernanda Bernardi Prefeitura Municipal de São Paulo
  • Fumio Honma Ito Universidade de São Paulo
  • Sônia Regina Pinheiro Universidade de São Paulo
  • Aline Gil Alves Guilloux Universidade de São Paulo
  • Sérgio Santos de Azevedo Universidade Federal de Campina Grande
  • Patrícia Viana da Silva Universidade de São Paulo
  • Solange Maria Gennari Universidade de São Paulo
  • Annielle Regina da Fonseca Fernandes Universidade Federal de Campina Grande
  • Hilda Fátima de Jesus Pena Universidade de São Paulo
  • Sílvio Arruda Vasconcellos Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n6p3777

Palavras-chave:

Epidemiologia, Cães, Toxoplasma gondii, Neospora caninum, Sudeste do Brasil.

Resumo

O objetivo do trabalho foi determinar a prevalência de animais soropositivos para Toxoplasma gondii e Neospora caninum (Apicomplexa) e determinar os fatores de risco associados à soropositividade na população canina de Ibiúna, São Paulo, Brasil. Foram examinados 570 animais distribuídos nos 48 bairros do município, no período de setembro de 2007 a março de 2008. O diagnóstico sorológico das infecções por T. gondii e N. caninum foi efetuado com a reação de imunofluorescência indireta (RIFI), adotando-se os pontos de corte de 1:64 para T. gondii e 1:50 para N. caninum. Dos 570 animais examinados, 314 (55,1%; IC 95% = 50,9% – 59,2%) foram soropositivos para T. gondii, e 40 (7,02%; IC 95% = 5,1% – 9,4%) para N. caninum. As variáveis presença de ratos (OR = 2,05), ingestão de carne crua (OR= 2,47) e atividade sexual (OR = 1,79) foram identificadas como fatores de risco associados à toxoplasmose, e para neosporose, a variável atividade sexual (OR = 3,29) foi identificada como fator de risco. As infecções por T. gondii N. caninum, detectadas pela RIFI, estão presentes na população canina de Ibiúna. O controle de roedores e a não administração de carne crua aos animais são importantes para reduzir o risco de infecção por T. gondii e N. caninum na região.

Biografia do Autor

Roberta Mascolli, Prefeitura Municipal de São Paulo

Médica Veterinária, Prefeitura Municipal de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Francisco Rafael Martins Soto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Prof., Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, IFSP, Ibiúna, SP, Brasil.

Fernanda Bernardi, Prefeitura Municipal de São Paulo

Médica Veterinária, Prefeitura Municipal de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Fumio Honma Ito, Universidade de São Paulo

Prof., Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Sônia Regina Pinheiro, Universidade de São Paulo

Prof., Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Aline Gil Alves Guilloux, Universidade de São Paulo

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Patrícia Viana da Silva, Universidade de São Paulo

 

Profª, Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Uberlândia, MG, Brasil.

Solange Maria Gennari, Universidade de São Paulo

Profa., Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Annielle Regina da Fonseca Fernandes, Universidade Federal de Campina Grande

 

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, UFCG, Patos, PB, Brasil.

Hilda Fátima de Jesus Pena, Universidade de São Paulo

Prof., Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Sílvio Arruda Vasconcellos, Universidade de São Paulo

Prof., Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Downloads

Publicado

2015-12-09

Como Citar

Mascolli, R., Soto, F. R. M., Bernardi, F., Ito, F. H., Pinheiro, S. R., Guilloux, A. G. A., … Vasconcellos, S. A. (2015). Soroprevalência e fatores de risco para toxoplasmose e neosporose na população canina de Ibiúna, São Paulo, Brasil. Semina: Ciências Agrárias, 36(6), 3777–3786. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n6p3777

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>