Componentes de produção e rendimento do feijão-vagem arbustivo em sistemas de produção convencional e orgânico

Autores

  • Guilherme Renato Gomes Universidade Estadual de Londrina
  • Felipe Favoretto Furlan Universidade Estadual de Londrina
  • Gustavo Henrique Freiria Universidade Estadual de Londrina
  • Leandro Simões Azeredo Gonçalves Universidade Estadual de Londrina
  • Lúcia Sadayo Assari Takahashi Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n5p3353

Palavras-chave:

Phaseolus vulgaris, Crescimento determinado, Produtividade de vagens, Tipos de cultivo.

Resumo

Os sistemas de produção influenciam as culturas de modo diferenciado, principalmente em termos de rendimento. No entanto, são poucos os estudos sobre avaliação de genótipos de feijão-vagem arbustivo em diferentes sistemas. Assim, objetivou-se avaliar os componentes de produção e o rendimento do feijão-vagem arbustivo em sistemas de produção convencional e orgânico. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com três repetições. Os genótipos Isla Manteiga Baixo®, Isla Macarrão Baixo®, Feltrin Vicenza Amarelo Baixo®, Feltrin Macarrão Napoli®, UEL 1 e UEL 2 foram submetidos as seguintes determinações: dias para florescimento, altura de planta, número médio de vagens por planta, massa, comprimento e diâmetro médio de vagem, e rendimento de vagens comerciais. A análise de variância conjunta, em esquema fatorial 6x2 (seis genótipos e dois sistemas de produção) foi conduzida aplicando-se o teste F, com médias comparadas pelo teste de Tukey (p < 0,05). A antese dos genótipos Feltrin Vicenza Amarelo Baixo, UEL 2, Isla Macarrão Baixo e Feltrin Macarrão Napoli é antecipada no sistema convencional de produção. O genótipo UEL 2 apresenta maior precocidade na antese dentro do sistema convencional. Os genótipos Isla Manteiga Baixo e UEL 1 produzem mais vagens por planta no sistema convencional. No sistema orgânico, o genótipo Feltrin Macarrão Napoli produz o dobro de vagens por planta em relação a Isla Manteiga Baixo. O sistema orgânico proporciona maior altura de planta, e maior massa, comprimento e diâmetro médio de vagem em relação ao sistema convencional. O rendimento de vagens comerciais do feijão-vagem arbustivo não é alterado pelos sistemas de produção e pelos genótipos.

Biografia do Autor

Guilherme Renato Gomes, Universidade Estadual de Londrina

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Agronomia, UEL, Centro de Ciências Agrárias, CCA, Londrina, PR, Brasil.

Felipe Favoretto Furlan, Universidade Estadual de Londrina

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Agronomia, UEL, Centro de Ciências Agrárias, CCA, Londrina, PR, Brasil.

Gustavo Henrique Freiria, Universidade Estadual de Londrina

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Agronomia, UEL, Centro de Ciências Agrárias, CCA, Londrina, PR, Brasil.

Leandro Simões Azeredo Gonçalves, Universidade Estadual de Londrina

Prof. Dr., Departamento de Agronomia, CCA, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Lúcia Sadayo Assari Takahashi, Universidade Estadual de Londrina

Profa Dra, Departamento de Agronomia, CCA, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-10-03

Como Citar

Gomes, G. R., Furlan, F. F., Freiria, G. H., Gonçalves, L. S. A., & Takahashi, L. S. A. (2017). Componentes de produção e rendimento do feijão-vagem arbustivo em sistemas de produção convencional e orgânico. Semina: Ciências Agrárias, 38(5), 3353–3362. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n5p3353

Edição

Seção

Comunicações

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>