Relação de lisina x arginina digestível para codornas japonesas em postura

Autores

  • Thamírys Vianelli Maurício Universitário do Espírito Santo
  • José Geraldo de Vargas Junior Universidade Federal do Espírito Santo
  • Matheus Faria de Souza Universidade Federal do Espírito Santo
  • Bibliana da Costa Ferrreira Universidade Federal do Espírito Santo
  • Ricardo Vianna Nunes Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Flávio Medeiros Vieites Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n1p299

Palavras-chave:

Aminoácidos, Aves, Interação aminoacídica.

Resumo

Objetivou-se avaliar a existência de interação aminoacídica entre lisina e arginina, assim como, determinar a melhor relação entre eles em dietas para codornas japonesas em postura. Foram utilizadas 480 codornas com peso médio inicial de 180g aos 140 dias de idade. As codornas foram distribuídas nas unidades experimentais em delineamento inteiramente casualizado esquema fatorial (3x2) no qual foram utilizados três níveis de lisina digestível (1,083; 1,183; 1,283%) e dois níveis de arginina digestível (1,472 e 1,580%). Totalizando seis tratamentos com dez repetições cada, num total de 60 unidades experimentais. As rações, as sobras e os animais mortos foram pesadas a fim de calcular e ajustar os parâmetros de desempenho. As variáveis analisadas foram: consumo de ração diário (CRD), taxa de postura (TP), peso médio dos ovos (PO), massa dos ovos (MO), conversão alimentar por massa de ovos e por dúzia de ovos (CAMO e CADO), pesos da gema, casca e albúmen (PG, PC e PA), pesos relativos da gema, da casca e do albúmen (PRG, PRC e PRA), além da unidade Haugh (UH) e percentual de ovos comercializáveis (OC). Não houve interação (P > 0,05) entre os níveis de lisina e arginina digestível sobre os parâmetros em análise, de maneira independente os níveis de lisina e de arginina também não afetaram os parâmetros em análise. Concluiu-se que a melhor relação de lisina e arginina para codornas em fase de postura foi a menor em estudo: 1,36:1,00.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thamírys Vianelli Maurício, Universitário do Espírito Santo

Profª, Centro Universitário do Espírito Santo, UNESC, Colatina, ES, Brasil.

José Geraldo de Vargas Junior, Universidade Federal do Espírito Santo

Prof., Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Espírito Santo, CCA, UFES, Alegre, ES, Brasil. Bolsista de Produtividade em Pesquisa/FAPES.

Matheus Faria de Souza, Universidade Federal do Espírito Santo

Zootecnista, Dr., Pesquisador, Colatina, ES, Brasil.

Bibliana da Costa Ferrreira, Universidade Federal do Espírito Santo

Zootecnista, M.e, Pesquisadora, Alegre, ES, Brasil.

Ricardo Vianna Nunes, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Prof., Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE, Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil.

Flávio Medeiros Vieites, Universidade Federal de Juiz de Fora

Prof., Universidade Federal de Juiz de Fora, UFJF, Juiz de Fora, MG, Brasil.

Downloads

Publicado

2018-02-16

Como Citar

Maurício, T. V., Vargas Junior, J. G. de, Souza, M. F. de, Ferrreira, B. da C., Nunes, R. V., & Vieites, F. M. (2018). Relação de lisina x arginina digestível para codornas japonesas em postura. Semina: Ciências Agrárias, 39(1), 299–310. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n1p299

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4