A didatização da canção no livro didático de língua portuguesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1519-5392.2021v21n2p43

Palavras-chave:

Canção, Livro didático, Ensino de língua portuguesa.

Resumo

Objetivos: A presente proposta objetiva analisar a maneira com que a canção, uma prática social de linguagem, é didatizada na constituição do livro didático de língua portuguesa.
Metodologia: Nossas análises se encaminham por identificar o tratamento da canção a partir da consideração de três categorias de análise, a saber: 1) gênero discursivo; 2) gênero textual e 3) pretexto à gramática. Alicerçamo- nos nas teorias de Bakhtin e do Círculo, bem como nas postulações de pesquisadores que endossam essa visão epistemológica e mobilizam tais aportes para a compreensão de distintos objetos de estudo, dentre os quais se encontra, também, o ensino de línguas. Nosso corpus é composto por propostas que didatizam a canção na coleção Português-Linguagens (2015).
Resultados:Dentre os resultados obtidos, observamos que, no tocante ao trato da canção, a dimensão textual e/ou a dimensão discursiva são superficialmente exploradas pelas didatizações analisadas.
Conclusões: destacamos a necessidade de pensarmos a produção do material didático em uma preocupação mais condizente com as reais necessidades comunicacionais dos educandos, uma vez que, 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jaqueline Silva Moreto Cabral, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Mestre em Letras pela Universidade Estadual de Santa Cruz. Professora da rede estadual do Espírito Santo.

Yuri Andrei Batista Santos, Universidade de São Paulo -USP; Université de Paris (UParis)

Doutorando em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo  e em Sciences du Langage (Université de Paris). 

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra; prefácio à edição francesa Tzvetan Todorov. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003 [1920-1923].

BAKHTIN, M. O discurso em Dostoiévski. In: BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015, p. 207-234.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra; notas de edição russa de Serguei Botcharov. São Paulo: Editora 34, 2016 [1952-1953].

BARROS, D. L. P. de. Contribuições de Bakhtin às teorias do discurso. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. 2. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2005.

BRAIT, B. Perspectiva dialógica. In: BRAIT, B.; SOUZA-E-SILVA, M. C. (Org.). Texto ou discurso?. 1ed.São Paulo: Contexto, 2012, v. 1, p. 9-29

BRAIT, B. Estilo. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: conceitos-chave. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

BUNZEN JÚNIOR, C. dos S. Livro Didático de Língua Portuguesa: Um Gênero do Discurso. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada), Campinas –SP: UNICAMP, 2005.

CALISSI, L. A Música Popular Brasileira nos Livros Didáticos de História. In: Anais do XXIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - ANPUH, Londrina, 2005. p. 1-8.

CEREJA, W.R.; MAGALHÃES T. C. Português: linguagens. 6o ao 9o anos. Manual do professor, São Paulo: Saraiva, 2015.

COSTA, N. B. da. Canção popular e ensino de língua materna: o gênero canção nos Parâmetros Curriculares de Língua Portuguesa. Linguagem em (Dis)curso, v. 4, n. 1, jul./dez., p. 9-36, 2003. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/253. Acesso em: 11 mar 2021

FARACO, C. A. Linguagem & diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

FERREIRA, M. Como usar a música em sala de aula. São Paulo: Contexto, 2002.

FIORIN, J. L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. 2. ed., 1a reimpressão. São Paulo: Contexto, 2017.

FOUCAULT, M. Estética: literatura e pintura, música e cinema. 2. ed. MOTTA, M.B. (Org.); Trad. I.A.D.Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

GADA, A. L. C. A canção no livro didático de língua portuguesa. 2005. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos), Maringá-PR: Universidade Estadual de Maringá, 2005.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Org.). Gêneros textuais e ensino. 5. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

MUNAKATA, K. Livro didático e formação do professor são incompatíveis? In: CONGRESSO BRASILEIRO DE QUALIDADE NA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO DE PROFESSORES, 2001, Brasília. Simpósios [do] Congresso Brasileiro de Qualidade na Educação: formação de professores. Marilda Almeida Marfan (Organizadora). Brasília: MEC; SEF, p. 89-94, 2002.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R.; MOURA, E. (Org.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, p. 11-31, 2012.

ROJO, R.; BARBOSA, J. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

SILVA, A. P. P. F.. Texto e enunciado concreto: chegadas e partidas. EUTOMIA, v. V, p. 207-223, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/EUTOMIA/article/view/945. Acesso em: 11 mar 2021.

SOBRAL, A. Do dialogismo ao gênero: as bases do pensamento do círculo de Bakhtin. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2009.

STREET, B. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Tradução de Marcos Bagno. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

VIANA, L. D. C. Abordagem discursiva do Livro didático de Língua Portuguesa: um gênero do discurso complexo. Dissertação (Mestrado em Cultura, Educação e Linguagens). Vitória da Conquista –BA: UESB, 2011.

VOLOCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad.Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. 1. ed. São Paulo: Editora 34, 2017 [1929].

Downloads

Publicado

29-12-2021

Como Citar

CABRAL, J. S. M.; SANTOS, Y. A. B. A didatização da canção no livro didático de língua portuguesa. Entretextos, Londrina, v. 21, n. 2, p. 43–62, 2021. DOI: 10.5433/1519-5392.2021v21n2p43. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/42884. Acesso em: 16 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos