Infraestruturas, economia e política informacional: o caso do google suite for education

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2176-6665.2018v23n1p63

Palavras-chave:

Google, Infraestrutura, Privacidade, Vigilância, Controle, Economia informacional

Resumo

O artigo examina o contexto e possíveis efeitos sociopolíticos da adoção de infraestruturas e serviços de tecnologias de comunicação corporativos no ambiente educacional e universitário brasileiro. Tomando o caso específico dos acordos entre universidades públicas brasileiras e a suíte de aplicativos educacionais da empresa Google, objetivamos refletir sobre sua economia política informacional, baseada em mecanismos de controle e vigilância dos dados digitais, e problematizar a emergência de novas formas de conhecimento e exercício do poder.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Henrique Parra, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professor da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP.

Leonardo Cruz, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutor em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professor da Faculdade de Ciências Sociais do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Pará - UFPA.

Tel Amiel, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutor em Tecnologia Educacional pela University of Georgia - UGA. Professor da Universidade de Brasília - UNB.

Jorge Machado, Universidade de São Paulo - USP

Doutor em Sociologia pela Universidad de Granada - UGR. Professor da Universidade de São Paulo - USP.

Referências

BANISAR, Dave; GUILLEMIN; Gabrielle; BLANCO, Marcelo. Proteção de dados pessoais no Brasil: análise dos projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional. Artigo 19, São Paulo, nov. 2016. Disponível em: http://artigo19.org/wp-content/blogs.dir/24/files/2017/01/Proteção-de-Dados-Pessoais-no-Brasil-ARTIGO-19.pdf. Acesso em: 12 jan. 2018

BRASIL. Decreto Nº 8.135, de 4 de novembro de 2013. Dispõe sobre as comunicações de dados da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e sobre a dispensa de licitação nas contratações que possam comprometer a segurança nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D8135.htm. Acesso em: 20 mar. 2017.

COLE, David. We kill people based on metadata. The New York review of books. 2014.

CRUZ, Leonardo Ribeiro. Novos modelos de negócio, vigilância ubíqua e as transformações no desenvolvimento da internet. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 12, p. 203-216, 2016.

EFF - ELECTRONIC FRONTIER FOUNDATION. Spying on students: school-issued devices and student privacy. 2015. Disponível em: https://www.eff.org/issues/student-privacy. Acesso em: 29 mar. 2017.

ESCOBAR, Herton. Orçamento de ciência e tecnologia pode encolher ainda mais em 2018. Estadão, São Paulo, 11 jun. 2017.

FEENBERG, Andrew. Transforming technology: a critical theory revisited. New York: Oxford University Press, 2002.

FUCHS, Christian. Web 2.0, prosumption, and surveillance. Surveillance & Society, v. 8, n. 3, 2011. p. 288-309.

GOOGLE e Facebook concentram 20% da publicidade global. Meio&Mensagem, São Paulo, 4 maio 2017. Disponível em: http://www.meioemensagem.com.br/home/ultimas-noticias/2017/05/04/google-e-face-seguram-20-dos-gastos-em-publicidade.html. Acesso em: 12 jan. 2018.

GOOGLE FOR EDUCATION. Informações sobre privacidade e segurança. Disponível em: https://edu.google.com/intl/pt-BR/trust/. Acesso em: 12 jan. 2018.

HUGHES, Thomas Parke. Networks of power: electrification in western society, 1880- 1930. Baltimore: JHU Press, 1983. Disponível em: https://medium.com/@Marta.K/dessas-coisasque-n%C3%A3o-d%C3%A1-para-entender-mas-que-a-gente-deveria-entender689a55b7b28f. Acesso em: 2 jan. 2017.

KANASHIRO, Marta. Dessas coisas que não dá para entender (mas que a gente deveria entender). 2016.

LINDH, Maria; NOLIN, Jan. Information we collect: surveillance and privacy in the implementation of Google apps for education. European Educational Research Journal, Oxford, v. 15, n. 6, p. 644 – 663, jul. 2016.

NSA prism program taps in to user data of apple, google and others. The Guardian, 7 Jun. 2013. Disponível em: https://www.theguardian.com/world/2013/jun/06/ustech-giants-nsa-data. Acesso em: 12 jan. 2018.

PARRA, Henrique Z. M. Abertura e controle na governamentalidade algorítmica. Revista Ciência e Cultura, São Paulo, v. 68, n. 1, jan./mar. 2016. Disponível em:
http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252016000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 12 jan. 2018.

PARRA, Henrique Z. M. Controle social e prática hacker: tecnopolítica e ciberpolítica em redes digitais. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 15, n. 1, p. 109-120, jan./jun. 2012. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fchf/article/download/20677/12328. Acesso em: 12 jan. 2018..

PARRA, Henrique Z. M.; ABDO, Alexandre H. Tendências democráticas e autoritárias, arquiteturas distribuídas e centralizadas. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 334-349, nov. 2016. Disponível em: http://liinc.revista.ibict.br/index.php/liinc/article/download/918/666. Acesso em: 12 jan. 2018.

PAYÃO, Felipe. Governo Temer vai abandonar software livre para comprar produtos Microsoft. 2016. Disponível em: https://www.tecmundo.com.br/microsoft/111214-governo-temer-abandonar-software-livrecomprar-produtos-microsoft.htm. Acesso em: 12 jan. 2018.

ROSSINI. Carolina; MOORE, Taylor. Exploring zero-rating challenges: views from five countries. Washington: Public Knowledge, 2015. Disponível em: https://www.publicknowledge.org/assets/uploads/blog/ZeroRatingCombinedCR.pdf. Acesso em: 12 jan. 2018.

ROUVROY, Antoinette; BERNS, Thomas. Governamentalidade algorítmica e perspectivas de emancipação: o díspar como condição de individuação pela relação? Revista ECO-Pós, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 36-56, out. 2015.

SMYRNAIOS, Nikos. L’effet GAFAM: stratégies et logiques de l’oligopole de l’internet (pre-print). Communication & Langages, Paris, n. 188, p. 61–83, 2016.

TITCOMB, James (Ed.). Google hit with record £2.1bn EU fine for abusing internet search monopoly. The Telegraph, 27 June 2017.
UNICAMP. Políticas de privacidade para o serviço Google APPS for Education Unicamp. Disponível em: http://www.telegraph.co.uk/technology/2017/06/27/eu-hits-google-record-21bn-fine-abusinginternet-search-monopoly/. Acesso em: 12 jan. 2018.

UNICAMP. Políticas de privacidade para o serviço Google APPS for Education Unicamp. Disponível em: https://googleapps.unicamp.br/tutoriais/privacidade.html. Acesso em: 12 jan. 2018.

UNIVERSIDADE uruguaia teme que acordo entre governo e Google ajude espionagem. Agência EFE, Montevidéu, 9 jul. 2015. Disponível em: http://www.efe.com/efe/brasil/sociedade/universidade-uruguaia-teme-que-acordo-entre-governoe-google-ajude-espionagem/50000246-2660947. Acesso em: 12 jan. 2018.

USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Superintendência Tecnologia da Informação. Sobre o acordo de cooperação USP e Google. 2017 Disponível em: http://www.sti.usp.br/wp-content/uploads/sites/46/2017/03/Sobre-o-acordo-de-cooperação-USP-Google.pdf. Acesso em: 12 jan. 2018.

ZUBOFF, Shoshana von. The secrets of surveillance capitalism. 2016.

ZUBOFF, Shoshana. Big other: surveillance capitalism and the prospects of an information civilization. Jounal of Information Technology, Oxford, v. 30, p. 75-89, abr. 2015. Disponível em : http://www.faz.net/aktuell/feuilleton/debatten/the-digitaldebate/shoshana-zuboff-secrets-of-surveillance-capitalism-14103616.html?printPagedArticle=true#pageIndex_2. Acesso em: 20 mar. 2017.

Downloads

Publicado

2018-07-06

Como Citar

PARRA, H.; CRUZ, L.; AMIEL, T.; MACHADO, J. Infraestruturas, economia e política informacional: o caso do google suite for education. Mediações - Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 23, n. 1, p. 63–99, 2018. DOI: 10.5433/2176-6665.2018v23n1p63. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/view/32320. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê