500 anos de lutas sociais no Brasil: movimentos sociais, ONGs e terceiro setor

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2176-6665.2000v5n1p11

Palavras-chave:

Movimentos sociais, Organizações não-governamentais, Terceiro setor

Resumo

Este trabalho objetiva realizar um breve balanço das lutas sociais que a sociedade brasileira tem empreendido ao longo da história do país, em especial as desenvolvidas pelas classes populares. A partir da delimitação conceptual do que são movimentos sociais realiza-se, num primeiro momento, um mapeamento dos principais movimentos e lutas sociais ao longo dos últimos séculos. Num segundo momento, analisa-se a contemporaneidade dos anos 90. Busca-se entender a problemática da participação social na virada do milênio, numa conjuntura marcada pela emergência de novas formas de associativismo tais como as ONGs e outras entidades do terceiro setor.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria da Glória Gohn, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutora em Ciência Política pela Universidade de São Paulo - USP. Professora da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.

Referências

BOBBIO, N.; MATIEUCCR, H.; PASQUINO, G. Dicionário de política. Brasília: Editora da UnB, 1991.

CHIAVENATO, Júlio J. As lutas do povo brasileiro. São Paulo: Moderna, 1988.

DRUCKER, Peter F. Administração de organizações sem fins lucrativos. São Paulo: Pioneira/Fund. Vanzolini, 1994.

FREIRE, Paulo. A constituição de lima nova cultura política. In: VILLAS-BOAS, R.; TELLES, Y.S. Poder local, participação popular, construção da cidadania. São Paulo: Instituto Cajamar/lnstituto Pólis IFASEIIBASE, 1995. p. 71-74.

GENRO, Tarso; SOUZA, Ubiratan. Orçamento participativo: a experiência de Porto Alegre. São Paulo: Ed. Fund. Perseu Abramo, 1997.

GIDDENS, Anthony. Sociology. 2. ed. Oxford: Polity Press, 1993.

GOHN, M. da G. Movimentos sociais e educação. São Paulo: Cortez, 1992a.

GOHN, M. da G. Conam, Anampos e Pró-Central dos Movimentos Populares: três formas de cultura política. In: Movimentos populares urbanos: crise e perspectivas. Porto Alegre: FASE/CIDADE, 1992b. p. 13-38.

GOHN, M. da G. História das movimentos e lutas sociais. São Paulo: Edições Loyola, 1995.

GOHN, M. da G. Teoria dos movimentos sociais. São Paulo: Edições Loyola, 1997a.

GOHN, M. da G. Os sem-terra, ONGs e cidadania. São Paulo: Cortez, 1997b.

GOHN, M. da G. Educação não-formal e cultura política. São Paulo: Cortez, 1999.

MORFIN, L. Educación y cultura política. In: ALONSO, J. Cultura política e educación cívica. México: Universidad Autonoma do México, 1994. p. 465-480.

OFFE, Claus. O novo poder. [Entrevista concedida a] Thomas Traumann. Veja, p.11-13, 8. abril 1998.

PAOLI, M. Célia. Movimentos sociais no Brasil: em busca de um estatuto político. In: HELLMAN, Michaela. Movimentos Sociais e democracia no Brasil. São Paulo: Marco Zero, 1995. p. 24-55.

PONTE, Y.M.D. Contexto e mudança na cultura política mexicana. Lua Nova, São Paulo, CEDEC, n. 26, p. 163-180, 1992.

SILVEIRA, Ricardo. O movimento operário e os "novos" movimentos sociais. In: TOMAZI, N.D. (coord.) Iniciação à sociologia. São Paulo: Atual, 1993. p. 222-250.

SOUZA, Cláudia M.; MACHADO, Ana C. Movimentos Sociais no Brasil contemporâneo. São Paulo: Ed. Loyola, 1997.

THOMPSON, E.P. Tradición, revuelta y consciencia de clase. Barcelona: Editorial Crítica/Grijalbo, 1979.

TOURAINE, Alain. Palavra e sangue. Campinas: Ed. UNICAMP, 1989.

Downloads

Publicado

2000-06-09

Como Citar

GOHN, M. da G. 500 anos de lutas sociais no Brasil: movimentos sociais, ONGs e terceiro setor. Mediações - Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 5, n. 1, p. 11–40, 2000. DOI: 10.5433/2176-6665.2000v5n1p11. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/view/9194. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos