Efeito da vacinação no rebaixamento da brucelose bovina no Estado de Rondônia, Brasil

Autores

  • Osvaldo Frederico Inlamea Universidade de São Paulo
  • Adelmar Bendler da Rocha Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia
  • Fernando Ferreira Universidade de São Paulo
  • José Henrique Hidelbrand Grisi-Filho Universidade de São Paulo
  • Marcos Bryan Heinemann Universidade de São Paulo
  • Ricardo Augusto Dias Universidade de São Paulo
  • Evelise Oliveira Telles Universidade de São Paulo
  • Victor Salvador Picão Gonçalves Universidade de Brasília
  • Marcos Amaku Universidade de São Paulo
  • José Soares Ferreira Neto Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n5Supl2p3493

Palavras-chave:

Brucelose bovina, Vacinação, Prevalência, Fatores de risco, Rondônia, Brasil.

Resumo

O estudo foi realizado para se verificar a eficácia do programa de vacinação contra brucelose bovina implementado pelo estado de Rondônia, utilizando-se a prevalência como indicador. O Estado foi dividido em três regiões. Para cada região, um número preestabelecido de propriedades foram selecionadas e em cada uma delas foram colhidas amostras de sangue de fêmeas com idade igual ou superior a 24 meses, aleatoriamente escolhidas. Os soros dos animais foram submetidos a um protocolo de testes em série, com triagem pelo teste com Antígeno Acidificado Tamponado e confirmação pela Fixação do Complemento. Em cada propriedade foi aplicado um questionário para individualizar os fatores de riscos associados à doença. No estado, a prevalência de focos foi 12,3% [10,3 – 14,6] e a de animais 1,9% [1,4 – 2,5]. Entre as regiões, a prevalência de focos variou entre 11,6% a 12,8% e a de animais entre 1,4% e 2,6%. A brucelose bovina no estado está associada à exploração de corte, ao maior número de vacas e a presença de áreas alagadas. Houve importante redução nas prevalências de focos e de animais desde 2004, entretanto ainda podem ser rebaixadas com a vacinação. Assim, o estado deve continuar seu programa de vacinação, dando ênfase para a qualidade do processo. Além disso, deve também estimular a utilização da vacina não indutora de anticorpos. Adicionalmente, o estado deve realizar um grande esforço de educação para que os produtores testem os animais de reprodução para brucelose antes de introduzi-los em suas propriedades e, se possível, evitem que vacas a termo tenham acesso a áreas alagadas.

Biografia do Autor

Osvaldo Frederico Inlamea, Universidade de São Paulo

Discente, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Adelmar Bendler da Rocha, Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia

Médico Veterinário, Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia, IDARON, Porto Velho, RO, Brasil.

Fernando Ferreira, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

José Henrique Hidelbrand Grisi-Filho, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Marcos Bryan Heinemann, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Ricardo Augusto Dias, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Evelise Oliveira Telles, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Victor Salvador Picão Gonçalves, Universidade de Brasília

Prof., Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília, UNB, Brasília, DF, Brasil.

Marcos Amaku, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

José Soares Ferreira Neto, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-11-09

Como Citar

Inlamea, O. F., Rocha, A. B. da, Ferreira, F., Grisi-Filho, J. H. H., Heinemann, M. B., Dias, R. A., … Ferreira Neto, J. S. (2016). Efeito da vacinação no rebaixamento da brucelose bovina no Estado de Rondônia, Brasil. Semina: Ciências Agrárias, 37(5Supl2), 3493–3506. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n5Supl2p3493

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >> 

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.