Curva de crescimento de caprinos Repartida criados na Caatinga

Autores

  • Luanna Chácara Pires Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Théa Mírian Medeiros Machado Universidade Federal de Viçosa
  • Paulo Luiz Souza Carneiro Universidade do Sudoeste da Bahia
  • João Batista Lopes da Silva Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Andréa Duarte de Holanda Barbosa Universidade do Sudoeste da Bahia
  • Robledo de Almeida Torres Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n2p1041

Palavras-chave:

Peso corporal, Taxa de crescimento, Caprinos naturalizados, Caatinga.

Resumo

Objetivou-se neste trabalho verificar dentre os modelos não-lineares seguintes, Brody, Gompertz, Logístico, Von Bertalanffy e Richards, qual representa melhor a curva média de crescimento de caprinos e, também, avaliar a influência do ambiente nos parâmetros estimados. Para a condução deste trabalho foram utilizados registros de peso de 40 caprinos do ecótipo Repartida criados na caatinga, coletados a cada 30 dias entre o nascimento até os 270 dias de idade. Os parâmetros dos modelos (A, peso à idade adulta; B, constante de integração; k, taxa de maturação; e m, ponto de inflexão) foram estimados com o procedimento NLIN do software SAS. O modelo Logístico apresentou ajuste médio ligeiramente superior aos demais modelos. Os resultados obtidos para taxa de crescimento absoluto indicam que a taxa máxima de crescimento foi alcançada precocemente. O efeito de grupos contemporâneos foi significativo (P < 0,05) somente para o parâmetro k estimado. A correlação estimada entre os parâmetros A e k foi significativa e negativa, indicando menor probabilidade dos caprinos atingirem pesos elevados à idade adulta. Os caprinos do ecótipo Repartida são de alto peso ao nascimento e baixo peso à maturidade, o que pode indicar, além do déficit nutricional, a adaptação desses animais às condições adversas da caatinga.

Biografia do Autor

Luanna Chácara Pires, Universidade Federal do Sul da Bahia

Profa, Universidade Federal do Sul da Bahia, UFSB, Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, Campus Paulo Freire, Teixeira de Freitas, BA, Brasil.

Théa Mírian Medeiros Machado, Universidade Federal de Viçosa

Profa, Universidade Federal de Viçosa, UFV, Departamento de Zootecnia, Campus Viçosa, Viçosa, MG, Brasil.

Paulo Luiz Souza Carneiro, Universidade do Sudoeste da Bahia

Prof., Universidade do Sudoeste da Bahia, UESB, Departamento de Ciências Biológicas, Campus Jequié, Jequié, BA, Brasil.

João Batista Lopes da Silva, Universidade Federal do Sul da Bahia

Profa, Universidade Federal do Sul da Bahia, UFSB, Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, Campus Paulo Freire, Teixeira de Freitas, BA, Brasil.

Andréa Duarte de Holanda Barbosa, Universidade do Sudoeste da Bahia

Prof., Universidade do Sudoeste da Bahia, UESB, Departamento de Ciências Biológicas, Campus Jequié, Jequié, BA, Brasil.

Robledo de Almeida Torres, Universidade Federal de Viçosa

Profa, Universidade Federal de Viçosa, UFV, Departamento de Zootecnia, Campus Viçosa, Viçosa, MG, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-05-02

Como Citar

Pires, L. C., Machado, T. M. M., Carneiro, P. L. S., Silva, J. B. L. da, Barbosa, A. D. de H., & Torres, R. de A. (2017). Curva de crescimento de caprinos Repartida criados na Caatinga. Semina: Ciências Agrárias, 38(2), 1041–1050. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n2p1041

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)