Desempenho produtivo, composição e deposição química corporal aos 42 dias em codornas de corte submetidas à restrição alimentar quantitativa

Autores

  • Daiane de Oliveira Grieser Universidade Estadual de Maringá
  • Simara Márcia Marcato Universidade Estadual de Maringá
  • Mariana Fátima Zanon Ferreira Universidade Estadual de Maringá
  • Taciana Maria de Oliveira-Bruxel Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Vittor Zancanela Universidade Estadual de Maringá
  • Mateus Silva Ferreira Universidade Estadual de Maringá
  • Caroline Espejo Stanquevis Universidade Estadual de Maringá
  • Eline Maria Finco Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n2p855

Palavras-chave:

Composição química corporal, Ganho de peso compensatório, Níveis de alimentação, Órgãos, Partes da carcaça.

Resumo

Neste estudo objetivou-se avaliar o efeito da restrição alimentar quantitativa sobre o desempenho, composição e deposição química corporal, ganho de peso de órgãos e partes da carcaça de codornas de corte (Coturnix coturnix coturnix) no período de realimentação. Foram utilizadas 144 codornas, de 11 a 42 dias de idade, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, em arranjo fatorial 4x2, com quatro níveis de restrição alimentar (ad libitum e restrição alimentar quantitativa de 30%, 50% e 70% da ingestão diária dos animais ad libitum) e gênero, totalizando oito tratamentos, com três repetições e seis aves cada. Foram alojadas aos 11 dias de idade em gaiolas, permanecendo quatro dias em adaptação. Dos 15 aos 35 dias foi aplicada a restrição alimentar e a realimentação de 36 a 42 dias. O ganho de peso compensatório (GP), consequentemente de órgãos e partes da carcaça e a eficiência alimentar (EA) foram melhores em codornas submetidas à restrição alimentar. A gordura (GD), proteína bruta (PB) corporal, taxa de deposição de proteína (TDP) e gordura em fêmeas (TDGF) e energia retida na carcaça em fêmeas (ERCF) aumentaram linearmente à medida que diminuíram os níveis de restrição. As estimativas de máximo consumo de ração para machos (CRM) e fêmeas (CRF), ganho de peso compensatório para machos (GPM) e fêmeas (GPF), eficiência alimentar para machos (EAM), taxa de deposição de proteína para machos (TDPM) e energia retida na carcaça em machos (ERCM) foram obtidas com níveis de restrição alimentar de 43,56%, 30,56%, 63,93%, 62,63%, 80,25%, 1,94% e 9,34% em comparação a ingestão ad libitum, respectivamente. Conclui-se que dependendo do nível de restrição alimentar quantitativa, ocorre melhora significativa na eficiência alimentar, aumenta o ganho de peso corporal e diminui a quantidade de gordura na carcaça no período de realimentação de codornas de corte. Já para gênero, devido ao dimorfismo sexual existente, as fêmeas perderam maior peso corporal do que os machos na restrição e apresentaram maiores ganhos de proteína e gordura na carcaça e melhor eficiência alimentar no período de realimentação.

Biografia do Autor

Daiane de Oliveira Grieser, Universidade Estadual de Maringá

Profa, Departamento de Zootecnia, Universidade Estadual de Maringá, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Simara Márcia Marcato, Universidade Estadual de Maringá

Profa, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Mariana Fátima Zanon Ferreira, Universidade Estadual de Maringá

Discente, Curso de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Taciana Maria de Oliveira-Bruxel, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Profa, Departamento de Zootecnia, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE, Marechal Candido Rondon, PR, Brasil.

Vittor Zancanela, Universidade Estadual de Maringá

Discente, Curso de Doutorado no Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Zootecnia, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Mateus Silva Ferreira, Universidade Estadual de Maringá

Discente, Curso de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Caroline Espejo Stanquevis, Universidade Estadual de Maringá

Discente, Curso de Doutorado no Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Zootecnia, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Eline Maria Finco, Universidade Estadual de Maringá

Discente, Curso de Doutorado no Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Zootecnia, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-05-02

Como Citar

Grieser, D. de O., Marcato, S. M., Ferreira, M. F. Z., Oliveira-Bruxel, T. M. de, Zancanela, V., Ferreira, M. S., … Finco, E. M. (2017). Desempenho produtivo, composição e deposição química corporal aos 42 dias em codornas de corte submetidas à restrição alimentar quantitativa. Semina: Ciências Agrárias, 38(2), 855–866. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n2p855

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.