Determinantes Sociais da Saúde: Apontamentos para uma Abordagem Crítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2176-6665.2023v28n3e47718

Palavras-chave:

determinantes sociais da saúde, teorias da justiça, interseccionalidade, desigualdades e diferença

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar apontamentos que colaborem com o desenvolvimento de uma abordagem crítica e com a proposição de uma agenda que debata a necessidade de uma revisão conceitual da concepção de Determinantes Sociais da Saúde (DSS) a partir das ciências sociais. Os DSS, propostos pela Organização Mundial da Saúde, são fundamentais para a identificação de iniquidades em saúde e constituem orientação central para a produção de políticas de saúde justas. Poder, equidade, desigualdades e diferenças são seus conceitos basilares, categorias que precisam ser repensadas perante as transformações sociais contemporâneas, também como forma de contribuir com a reflexão sobre o processo saúde-doença e suas relações com o social. Para tal, propõe-se como ponto de partida a articulação de três perspectivas: a teoria crítica da justiça de Rainer Forst; as noções de articulação e identidade, propostas por Sergio Costa (2019); e a assunção da interseccionalidade como método e postulado político, ou, como colocam Patricia H. Collins e Sirma Bilge (2021), como uma forma de inteligência do mundo que busca explicar as complexidades do mundo, as pessoas e as experiências humanas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Camila Gonçalves De Mario, Universidade Candido Mendes (UCAM)

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Docente junto ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da Universidade Candido Mendes.

Referências

ALMEIDA-FILHO, Naomar. Mais além da determinação social: sobredeterminação, sim!. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 12, p. e00237521, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311X00237521. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00237521

ANNANDALE, Ellen. The sociology of health and medicine: a critical introduction. Cambridge: Polity Press, 1998.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. Tradução de Sebastião Nascimento. São Paulo: Editora 34, 2010.

BHABHA, Homi K. The location of culture. 2nd. ed. London: Routledge, 1994.

BREILH, Jamie. La categoría determinación social como herramienta emancipadora: los pecados de la “experticia”, a propósito del sesgo epistemológico de Minayo. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 12, p. e00237621, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311X00237621. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00237621

BUSS, Paulo Marchiori; PELLEGRINI FILHO, Alberto. A saúde e seus determinantes sociais. Physis, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 77-93, abr. 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312007000100006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312007000100006

COLLINS, Patricia Hill; BILGE, Sirma. Interseccionalidade. São Paulo: Boitempo, 2021.

COSTA, Sergio. Desigualdade, diferença, articulação. Caderno CRH, Salvador, v. 32, n. 85, p. 33- 45, jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.9771/ccrh.v32i85.27771. DOI: https://doi.org/10.9771/ccrh.v32i85.27771

DANIELS, Norman. Por que a justiça é importante para a nossa saúde. Revista Idéias, Campinas, v. 1, n. 2, p. 245-272, 2011.

DUBET, François. O tempo das paixões tristes: as desigualdades agora se diversificam e se individualizam, e explicam as cóleras, os ressentimentos e as indignações de nossos dias. São Paulo: Vestígio, 2020.

FORST, Rainer. Justification and critique: towards a critical theory of politics. Cambridge: Polity Press, 2014.

FORST, Rainer. Normativity and power: analyzing social orders of justification. Oxford: Oxford University Press, 2017. DOI: https://doi.org/10.1093/oso/9780198798873.001.0001

FRASER, Nancy; HONNETH, Axel. Redistribution or recognition?: A political-philosophical exchange. London: Verso, 2003.

FRASER, Nancy; JAEGGI, Rahel. Capitalismo em debate: uma conversa na teoria crítica. São Paulo: Boitempo, 2020.

HALL, Stuart. On postmodernism and articulation. Interview. In: MORLEY, David; CHEN, Kuan-Hsing (org.). Critical dialogues in cultural studies. London: Routledge, 1996. p. 131-150.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Editora 34, 2003.

IANNI, Aurea. Mudanças sociais contemporâneas e saúde. São Paulo: Hucitec Editora, 2018.

KICKBUSCH, Ilona. The political determinants of health: 10 years on public health professionals need to become more politically astute to achieve their goals. BMJ, London, vol. 350, h81, 2015. https://doi.org/10.1136/bmj.h81. DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.h81

MARIO, Camila Gonçalves de. A justiça das políticas públicas e a perspectiva analítica da sociologia política. Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, João Pessoa, v. 5, p. 439-453, 2020a. DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.2525-5584.2020v5n3.54137. DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.2525-5584.2020v5n3.54137

MARIO, Camila Gonçalves de. Determinação social da saúde. In: KOZEL, Andrés; RAWICZ, Daniela; DEVÉS, Eduardo (org.). Problemáticas étnicas y sociales desde el pensamento latinoamericano: temas, conceptos, enfoques. Santiago: Ariadna Ediciones, 2023. p. 79-86.

MARIO, Camila Gonçalves de. Saúde como questão de justiça. Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

MARIO, Camila Gonçalves de; BARBARINI, Tatiana de Andrade. A perversão da agenda dansaúde pública brasileira: da saúde como direito universal à cobertura universal em saúde. Revista Estado y Políticas Públicas, Buenos Aires, v. 14, p. 69-91, 2020b.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Determinação social, não! Por quê?. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 12, p. e00010721, 2021. DOI 10.1590/0102-311X00010721. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00010721

NOGUEIRA, Roberto Passos (org.). Determinação social da saúde e reforma sanitária. Rio de Janeiro: Cebes, 2010.

NUNES, Everardo. A construção teórica na sociologia da saúde: uma reflexão sobre a sua trajetória. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 4, p. 1007-1018, abr. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232014194.12422013. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232014194.12422013

RAWLS, John. Political liberalism. New York: Columbia Press, 2005.

RAWLS, John. Uma teoria da justiça. São Paulo: Martins Fontes, 2018.

RAWLS, John. Conferências sobre a história da filosofia política. Org. Samuel Freeman. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

RIBEIRO, Patricia; CASTRO, Leonardo. Ciências sociais em saúde: perspectivas e desafios para a saúde coletiva. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 43, p. 165-178, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-11042019S713. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-11042019s713

SOLAR, O.; IRWIN, A. A conceptual framework for action on the social determinants of health. Geneva: WHO, 2010.

WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION. Closing the gap in a generation: final report of the commission on social determinants of health. Geneva: WHO, 2008.

YAO, Qiang; LI, Xin; LUO, Fei; YANG, Lianping; LIU, Chaojie; SUN, Ju. The historical roots and seminal research on health equity: a referenced publication year spectroscopy (RPYS) analysis. International Journal for Equity in Health, New York, v. 18, n. 152, p. 1-15, 2019. DOI: https://doi.org/10.1186/s12939-019-1058-3. DOI: https://doi.org/10.1186/s12939-019-1058-3

Downloads

Publicado

2023-10-03

Como Citar

DE MARIO, C. G. Determinantes Sociais da Saúde: Apontamentos para uma Abordagem Crítica. Mediações - Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 28, n. 3, p. 1–18, 2023. DOI: 10.5433/2176-6665.2023v28n3e47718. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/view/47718. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Dados de financiamento