Ceforr: uma proposta de formação no contexto bilíngue indígena - Magistério Tamî’kan

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1519-5392.2022v22n2Esp.p26

Palavras-chave:

Formação de professores, Contexto bilíngue, Magistério Tamî’kan

Resumo

O artigo tem o objetivo de analisar a importância do Magistério Indígena Tamî’kan para o fortalecimento da língua materna dentro do contexto educacional bilíngue indígena em Roraima. O olhar investigativo desta pesquisa, é por meio de uma abordagem qualitativa e descritiva, onde se descortina a respeito de algumas Leis que teceram os documentos legais que asseguram os direitos dos povos indígenas no que tange a autonomia e liberdade quanto à utilização de suas línguas, bem como sua cultura, atendendo suas peculiaridades. Contempla a caracterização do Centro Estadual de Formação dos Profissionais da Educação de Roraima-CEFORR, com o intuito de ofertar e ministrar cursos de qualificação e atualização para os profissionais da educação, incluindo a formação indígena. Discorre-se sobre a contribuição de alguns autores a respeito da caracterização do Magistério Tamî’kan quanto aos objetivos do curso, carga horária, perfil do público a ser atendido, dentro das especificidades de cada comunidade indígena. Em síntese, a formação de professores do Magistério Indígena Tamî’kan mostra-se como excelente possibilidade de retorno às comunidades indígenas, no que diz respeito ao atendimento dos anseios e interesses da comunidade no fortalecimento da língua e de sua identidade.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Kelene Sena Silva, Universidade Estadual de Roraima - UERR

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Roraima. Professora da Rede Escolar Estadual de Roraima

Elizania Souza Campos, Universidade Estadual de Roraima - UERR

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Roraima. Professora efetiva da Rede Escolar Estadual de Roraima

Joanéia Oliveira Ribas, Universidade Estadual de Roraima - UERR

Mestranda no Mestrado Profissional em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Roraima - UERR. Professora na rede Estadual de Ensino.

Ednaldo Coelho Pereira, Universidade Estadual de Roraima - UERR

Prof. Dr. em Educação da Universidade Estadual de Roraima - UERR.  Prof. do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UERR/IFRR.

Referências

BARBOSA, B. C.; SOUZA, A. O.; OLIVEIRA, T. M. G. Formação Docente em Roraima: Avanços e Desafios na Gerência de Formação Multidisciplinar e Gestão Escolar.Boa Vista: CEFORR, 2016. Disponível em: https://padlet.com/virtualceforr/27n8ic4wybf6s44w . Acesso em: 31 out. 2022.

BRASIL. Constituição da Republica Federativa do Brasil 1988: emendas constitucionais 1 a 42 devidamente incorporadas. São Paulo: Editora Escala, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para educação indígena. Brasília: MEC, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n.º 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 1, 10 jan. 2001. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 31 out. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 134, n. 248, p. 27833 23 dez. 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 31 out. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas. Brasília: MEC, 1998. Disponível em: https://www.ufmg.br/copeve/Arquivos/2018/fiei_programa_ufmg2019.pdf. Acesso em: 31 out. 2022.

CEFORR - CENTRO ESTADUAL DE FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DE RORAIMA. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

FEITOZA, S. K. A.; VASCONCELOS, V. R. V.; LIRA, L. N. L.; MATOS, M. B. A formação de professores indígenas e a oferta de cursos no CEFORR em Roraima. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, São Paulo, ano 5, v. 3, p. 05-30, 2020. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/professores-indigenas. Acesso em: 31 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/educacao/professores-indigenas

FERNANDES, M. A.; CAMARGO, L. M. Magistério Indígena Tamî’kan: aspectos formativos e desafios curriculares para formação de professores indígenas-RR. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 847-865, 2020. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/45959/32213. Acesso em: 31 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i2p847-865

FERREIRA, J. A. A. Magistério Indígena Tamî’kan: Centro Estadual de Formação dos Profissionais da Educação de Roraima-CEFORR uma análise de conteúdo. 2020. 88 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Roraima, Boa Vista, 2020. Disponível em: https://www.uerr.edu.br/ppge/wp-content/uploads/2021/05/2.DISSERTACAO-JOSE-ANGELO-FERREIRA-ALMEIDA.pdf. Acesso em: 31 out. 2022.

MAIA, M. A Revitalização de Línguas Indígenas e seu desafio para a educação intercultural bilíngue. Tellus, Campo Grande, ano 14, n. 27, 2014. Disponível em: https://www.tellus.ucdb.br/tellus/article/view/105/127. Acesso em: 31 out. 2022.

MATSUURA, S. O impacto do Celular em Aldeias Indígenas. Época, Rio de Janeiro, 06 fev. 2019. Disponível em https://oglobo.globo.com/epoca/o-impacto-do-celular-em-aldeias-indigenas-23408432. Acesso em: 31 out. 2022.

MENDES, S.R.B. Magistério indígena: fortalecimento da educação escolar dos povos indígenas de Roraima. RGSN – Revista Gestão, Sustentabilidade e Negócios, Porto Alegre, v. 6, n. 1, p. 112-127, 2018. Disponível em: https://www.saofranciscodeassis.edu.br/rgsn/arquivos/RGSN11/artigos/Magisterio%20indigena-MENDES-SRB.p.112-127.pdf. Acesso em: 31 out. 2022.

MENDES, S. R. B. Formação de professores e Educação Indígena: projeto magistério indígena Tamî'kan. Boa Vista: Editora da UFRR, 2019.

OLIVEIRA, K. L. Contribuição na formação inicial de professores indígenas do curso Tamî’kan em Boa Vista-RR para uso das TIC’S na prática docente. Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, Canarinho, v. 6, n. 1, p. 54-67, 2014. Disponível em: https://periodicos.uerr.edu.br/index.php/ambiente/article/view/223/115. Acesso em: 31 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.24979/223

RODRIGUES, A. D. Sobre as línguas indígenas e sua pesquisa no Brasil. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 57, n. 2, p. 35-38, 2005. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/pdf/cic/v57n2/a18v57n2.pdf. Acesso em: 31 out. 2022.

RORAIMA. Lei complementar n.º 41, de 16 de julho de 2001. Dispõe sobre o Sistema Estadual de Educação do Estado de Roraima e dá outras providências. Roraima: Poder Judiciário do Estado de Roraima, 16 jul. 2001. Disponível em: https://www.tjrr.jus.br/legislacao/phocadownload/LeisComplementaresEstaduais/2001/Lei_Comp_Est_041-2001.pdf. Acesso em: 31 out. 2022.

RORAIMA. Lei n.º 611, de 22 de agosto de 2007. Cria o Centro Estadual de formação dos Profissionais da Educação de Roraima–CEFORR, e dá outras providências. Roraima: Poder Judiciário do Estado de Roraima, 22 ago. 2007. Disponível em: https://www.tjrr.jus.br/legislacao/phocadownload/leisOrdinarias/2007/Lei%20Estadual%20611-2007.pdf. Acesso em: 31 out. 2022.

Downloads

Publicado

30-11-2022

Como Citar

SILVA, K. S.; CAMPOS, E. S.; RIBAS, J. O.; PEREIRA, E. C. Ceforr: uma proposta de formação no contexto bilíngue indígena - Magistério Tamî’kan. Entretextos, Londrina, v. 22, n. 2Esp., p. 26–42, 2022. DOI: 10.5433/1519-5392.2022v22n2Esp.p26. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/45396. Acesso em: 25 maio. 2024.