O romance de tradição oral e suas relações com a literatura de cordel

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/boitata.2014v9.e31694

Palavras-chave:

Romance de Tradição Oral, Literatura de Cordel, Literatura Oral

Resumo

O trabalho, fruto de pesquisas ainda iniciais, pretende fazer uma breve introdução sobre os estudos de literatura comparada, com ênfase no romanceiro de tradição oral e na literatura de cordel, ambos presentes, principalmente, na região Nordeste do Brasil. As diversas leituras realizadas revelaram uma forte aproximação dos dois gêneros literários, tendo em vista suas raízes na literatura popular e oral. Esta constatação demonstra a importância dos estudos sobre o folclore popular brasileiro e sua inserção nas pesquisas acadêmicas das universidades brasileiras. Procurou-se analisar a questão a partir do pressuposto de que a literatura de cordel nordestina contém mais afinidade com os romances orais do que com os cordéis lusitanos, devido à característica poética presente nos dois gêneros.

Biografia do Autor

Carolina Veloso Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Letras (História da Literatura) na Universidade Federal do Rio Grande – UFRG

Referências

ABREU, Márcia. Histórias de Cordéis e Folhetos. São Paulo: Mercado das Letras: Associação de Leitura do Brasil, 2006.

BATISTA, Abraão. Literatura de Cordel : Antologia. São Paulo: Global Editora, 1976. v.2

BERGERON, Bertrand. No reino da lenda. Cadernos do programa de Pós-graduação em letras da Furg. Rio Grande: Furg, 2010. (Série traduções)

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.

LIMA, Fernando de Castro Pires de. Prefácio. In: GARRETT, Almeida. Romanceiro. Lisboa, 1963.

LIMA, Jackson da Silva. O Folclore em Sergipe: Romanceiro. Rio de Janeiro: Ed. Cátedra, 1977.

LIMA, Rossini Tavares de. Achegas ao estudo do Romanceiro no Brasil. São Paulo: Revista do Arquivo n CLXII, 1959.

LOPES, Antonio. Presença do Romanceiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes Editora, 2010.

PINTO-CORREIA, João David. Romanceiro Tradicional Português. Lisboa: Ed. Comunicação, 1984.

PROENÇA, Ivan Cavalcanti. A Ideologia do Cordel. Rio de Janeiro: Imago; Brasília, INL, 1976.

ROMERO, Sílvio. Folclore Brasileiro: Cantos Populares do Brasil. São Paulo: Ed. Itatiaia, 1985.

SANTOS. A. A. Os cantos das mulheres – Entre bailar e trabalhar: Relações de gênero em narrativas orais (romances). Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

SIQUEIRA, Ana Marcia Alves. Reflexões a respeito dos romanceiros: simbologias e continuidades. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRAPLIP, 22, 2009, Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2009.

ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. Tradução de Jerusa Pires. Ferreira, Maria Lucia Pochat e Maria Ines de Almeida. São Paulo: Hucitec, 1997.

ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção, leitura. Tradução de Suely Fenerich. São Paulo:EDUC, 2000.

Downloads

Publicado

2014-10-30

Como Citar

Costa, C. V. (2014). O romance de tradição oral e suas relações com a literatura de cordel. Boitatá, 9(18), 68–82. https://doi.org/10.5433/boitata.2014v9.e31694

Edição

Seção

Dossiê