A poesia-outra de Carlito Azevedo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2020v38p90

Palavras-chave:

Modernidade e contemporaneidade, Experimentalismo, Poesia lírica, Carlito Azevedo

Resumo

A tradição da ruptura e as tensões dissonantes em torno da modernidade lírica instauraram a crise como elemento fundador da experiência moderna. Inovações e experimentalismos na composição poética feitas a partir de categorias negativas, anormais e obscuras se firmaram como marcas dessa poesia desde Baudelaire e em seus herdeiros. Os vestígios da crise de verso e das cisões instauradas no modo de sentir lírico da modernidade se unem às tendências da inespecificidade da arte, da desterritorialização, da desconstrução e do hibridismo sintomáticos de poéticas contemporâneas. Carlito Azevedo é um dos principais nomes da recente lírica brasileira cuja obra poética causa, simultaneamente, estranhamento e fascínio em seus leitores pelo seu caráter inespecífico. Na tentativa de investigar a obscuridade intencional presente nos experimentos do poeta fluminense, principalmente mantendo os olhos fixos nos tempos, discursos e elementos utilizados como matéria de poesia, faremos um exercício de leitura de algumas passagens do Livro das postagens, publicado em 2016, composto de dois poemas que põem em xeque a própria noção de poesia lírica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Paulo Alberto da Silva Sales, Instituto Federal Goiano

Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Goiás. Possui Estágio Pós-Doutoral em Estudos Literários também pela Universidade Federal de Goiás. Docente do Instituto Federal Goiano, Câmpus Hidrolândia.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. A ideia da prosa. Trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2012b.

AGAMBEN, Giorgio. O homem sem conteúdo. Trad. Cláudio Oliveira. Belo Horizonte: Autêntica, 2012a.

AZEVEDO, Carlito. Livro das postagens. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016.

AZEVEDO, Carlito. Monodrama. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

AZEVEDO, Carlito. Sublunar. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2001.

BÜRGER, Peter. Teoria da vanguarda. Trad. José Pedro Antunes. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

FRIEDRICH, Heinrich. Estrutura da lírica moderna: da metade do século XIX a meados do século XX. Trad. Marise M. Curioni. São Paulo: Duas Cidades, 1978.

GARRAMUÑO, Florencia. As práticas da impertinência. Frutos estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Trad. Carlos Nougué. Rio de Janeiro: Rocco, 2014, pp. 9-29.

GARRAMUÑO, Florencia. O império dos sentidos: poesia, cultura e heteronomia. Célia Pedrosa & Ida Alves. Subjetividades em devir: estudos de poesia moderna e contemporânea. Rio de Janeiro: 7 Letras, pp. 82-91.

GARRAMUÑO, Florencia. O passo de prosa na poesia contemporânea. Frutos estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Trad. Carlos Nougué. Rio de Janeiro: Rocco, 2014, p. 49 – 81.

MARTELO, Rosa Maria. Poesia e des-equilíbrios. A forma informe: leituras de poesia. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010, pp. 9-18.

MORICONI, Italo. Poesia e crítica, aqui e agora (ensaio de vocabulário). Beatriz Resende & Ettore Finazzi-Agró. Possibilidades da nova escrita literária no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 2014, pp. 81-90.

SISCAR, Marcos. Poesia e crise: ensaios sobre a “crise da poesia como topos da modernidade. Campinas: Editora da Unicamp, 2010.

SÜSSEKIND, Flora. A imagem em estações – observações sobre “Margens”, de Carlito Azevedo. Célia Pedrosa & Ida Alves. Subjetividades em devir: estudos de poesia moderna e contemporânea. Rio de Janeiro: 7 Letras, pp. 63-81.

Downloads

Publicado

22-06-2020

Como Citar

SALES, P. A. da S. A poesia-outra de Carlito Azevedo. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 38, p. 90–103, 2020. DOI: 10.5433/1678-2054.2020v38p90. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/39266. Acesso em: 21 maio. 2024.