Avaliação dos parâmetros seminais de cachaços (Sus scrofa) experimentalmente infectados com Toxoplasma gondii

Autores

  • Anderson Barbosa de Moura Universidade Estadual de Londrina
  • Sérgio Jordão Filho Universidade Estadual Paulista
  • Daniela Cristina Di Mauro Universidade Estadual Paulista
  • Beatriz Bassora Paim Universidade Estadual Paulista
  • Fernanda de Rezende Pinto Universidade Estadual Paulista
  • Alvimar José da Costa Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2004v25n2p107

Palavras-chave:

Toxoplasmose, Cachaço, Parâmetros seminais, Morfologia espermática.

Resumo

Com o objetivo de investigar a influência do Toxoplasma gondii nos parâmetros seminais e na morfologia espermática de suínos, oito reprodutores foram inoculados com T. gondii, sendo constituídos os seguintes grupos experimentais: GI (n=3) 1,5 x 104 oocistos da cepa P, via oral; GII (n=3) 1,0 x 106 taquizoítos da cepa RH, via subcutânea e GIII (n=2), controle. Foram realizadas avaliações de parâmetros espermáticos (volume, motilidade, vigor, concentração), estudo da morfologia dos espermatozóides, exames sorológicos (RIFI), parasitemia e hemogramas. Para tanto, colheitas de sangue e sêmen foram realizadas nos dia -2, -1, 1, 3, 5, 7, 9, 11, 14 e semanalmente até 84 dias pós-inoculação. Nenhuma alteração hematimétrica e nos parâmetros clínicos foi observada nos animais. Parasitemia foi detectada em um animal inoculado com oocistos, no 7o dia pós-infecção (DPI) e em outros dois suínos do GII (taquizoítos), nos 3o e 49o DPI. Exames sorológicos revelaram a presença de anticorpos contra T. gondii nos animais inoculados com oocistos ou taquizoítos a partir do 7º dia pós-infecção (DPI), com títulos de 256 e 64, alcançando pico de 4096 nos dias 11 e 9 pós-inoculação, respectivamente. O GIII (controle) manteve-se negativo durante todo o período experimental. Os parâmetros espermáticos avaliados não apresentaram nenhuma alteração que pudesse ser atribuída a toxoplasmose. Diferenças significativas (p < 0,05) quanto às patologias espermáticas não foram observadas entre os grupos inoculados e o grupo controle.

 

 

 

Biografia do Autor

Anderson Barbosa de Moura, Universidade Estadual de Londrina

Aluno Doutorado Medicina Veterinária (Patologia Animal) – FCAV –UNESP – Jaboticabal – SP; Prof. Doenças Parasitárias–Unicentro–Universidade Estadual do Centro-Oeste–Guarapuava, PR.

Sérgio Jordão Filho, Universidade Estadual Paulista

Discente de Medicina Veterinária – FCAV – UNESP.

 

Daniela Cristina Di Mauro, Universidade Estadual Paulista

Discente de Medicina Veterinária – FCAV – UNESP.

Beatriz Bassora Paim, Universidade Estadual Paulista

Discente de Medicina Veterinária – FCAV – UNESP.

Fernanda de Rezende Pinto, Universidade Estadual Paulista

Discente de Medicina Veterinária – FCAV – UNESP.

Alvimar José da Costa, Universidade Estadual Paulista

Prof. Titular de Parasitologia Veterinária – FCAV – UNESP / CPPAR – FCAV – UNESP.

Downloads

Publicado

2004-05-19

Como Citar

Moura, A. B. de, Jordão Filho, S., Di Mauro, D. C., Paim, B. B., Pinto, F. de R., & Costa, A. J. da. (2004). Avaliação dos parâmetros seminais de cachaços (Sus scrofa) experimentalmente infectados com Toxoplasma gondii. Semina: Ciências Agrárias, 25(2), 107–116. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2004v25n2p107

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>