De gados e homens: a carne processada na obra de Ana Paula Maia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2022v42p46-56

Palavras-chave:

Carne, Trabalho, Ana Paula Maia.

Resumo

A obra De gados e homens (2013), da escritora Ana Paula Maia, convida-nos a refletir sobre o consumo da carne numa sociedade capitalista moderna. Da carne dos trabalhadores precarizados no matadouro, corpos estes moldados no processo de trabalho, ao abate dos animais produtores de carne destinada às fábricas de hambúrguer. Diante dessa perspectiva, o texto literário nos permite pensar os impactos ambientais e sociais gerados por abatedouros. No contexto onde o crescimento da fome coincide com um pico na exportação de carne bovina, o romance de Maia emerge como uma obra atual no país. Este trabalho pretende, portanto, examinar a interação entre natureza e ação humana na narrativa, buscando compreender as diversas complexidades que a permeiam. Nas reflexões ora propostas, reconhecemos que a carne explícita na obra de Maia surge atravessada por inscrições políticas e culturais. Nesse sentido, sob o viés dos estudos animais no texto literário, o trabalho fundamenta-se nas contribuições de Vânia Márcia Damasceno Nogueira (2012), Peter Singer (2013), Gabriel Giorgi (2015) e Carol J. Adams (2018).

Biografia do Autor

Lidiana de Oliveira Barros, Universidade Federal do Ceará - UFC

Mestre em Letras pela Universidade Federal do Ceará, 2017.

Fernanda Maria Abreu Coutinho, Universidade Federal do Ceará - UFC

Professora Associado IV da Universidade Federal do Ceará - UFC.
Doutorado em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco, 2004.

Referências

ADAMS, Carol J. A política sexual da carne: A relação entre o carnivorismo e a dominância masculina. Trad. Cristina Cupertino. São Paulo: Alaúde, 2018.

ALMEIDA, K., J. Cavalcante & O. Valle. Ossos do ofício. Metrópoles, Brasília, 2017. Disponível em: https://www.metropoles.com/materias-especiais/ossos-do-oficio.

BOFF, Leonardo. Ecologia: grito da terra, grito dos pobres. Rio de Janeiro: Sextante, 2004.

DERRIDA, Jacques. A besta e o soberano. (Seminário): vol I (2001-2002). Trad. Marco Antônio Casa Nova. Rio de Janeiro: Via Verita, 2016.

GIORGI, Gabriel. Formas comuns: animalidade, literatura, biopolítica. Trad. Carlos Nougué. Rio de Janeiro: Rocco, 2015.

MAIA, Ana Paula. Entre rinhas de cachorros e porcos abatidos: duas novelas. Rio de

Janeiro: Record, 2009.

MAIA, Ana Paula. De gados e homens. Rio de Janeiro: Record, 2013.

NOGUEIRA, Vania Márcia Damasceno. Os direitos fundamentais dos animais: a construção jurídica de uma titularidade além dos seres humanos. Belo Horizonte: Arraes, 2012.

PELLEGRINI, Aline, & Conrado Corsalette apres. Durma com essa: Como a fila do osso virou símbolo da miséria nacional. Nexo Jornal, 30 setembro 2021. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/podcast/2021/09/30/Como-a-fila-do-osso-virou-s%C3%ADmbolo-da-mis%C3%A9ria-nacional.

SCULLY, Matthew. Domínio: O poder do ser humano, o sofrimento dos animais e um pedido de misericórdia. Trad. Catharina Epprecht. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Para uma crítica da compaixão. São Paulo: Lumme, 2009.

SINGER, Peter. Libertação animal. Trad. Marly Winckler e Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

VICELLI, Karina Kristiane. Violência e bastardos na obra de Ana Paula Maia. Dourados: Arrebol coletivo, 2021.

Downloads

Publicado

18-09-2022

Como Citar

Barros, Lidiana de Oliveira, e Fernanda Maria Abreu Coutinho. “De Gados E Homens: A Carne Processada Na Obra De Ana Paula Maia”. Terra Roxa E Outras Terras: Revista De Estudos Literários, vol. 42, nº 1, setembro de 2022, p. 46-56, doi:10.5433/1678-2054.2022v42p46-56.