Graciliano Ramos e a experiência da oralidade em Infância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2003v3p3

Palavras-chave:

Oralidade, Cultura, Graciliano Ramos

Resumo

Este artigo versará sobre o horizonte cultural do meio social de origem do protagonista, cuja condição de baixo nível de letramento recebe influxos importantes da oralidade ostensivamente presente no cotidiano do homem nordestino do período de transição entre os séculos dezenove e vinte. Procederei a um recenseamento dos elementos orais presentes no campo cultural original para, em seguida, mostrar os primeiros contatos do Menino com o escrito, evidenciando os subsídios que Graciliano herda de seu background cultural.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcelo da Silva Amorim, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Letras pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

CASCUDO, Luís da Câmara. 2001. Contos tradicionais do Brasil. 17. ed. Rio de Janeiro: Ediouro.

CUNHA, Celso, e Luís F. Lindley Cintra. 1985. 2. ed. Nova gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: N ova Fronteira.

MARTIN S, Nilce Sant’Anna. 1997. Introdução á Estilística: a expressividade na língua portuguesa. 2. ed. rev. e aum. São Paulo: T. A. Queiroz.

OLIVEIRA, Vera Maria de M. P. 1978. O Bezerro Encourado ou as Terríveis Armas: uma análise de Infância de Graciliano Ramos. Diss. Rio de Janeiro: PUC-RJ.

ONG, Walter J. 1998. Oralidade e cultura escrita: a tecnologia da palavra. Campinas: Papirus.

RAMO S, Graciliano. 1998. Infância. 33. ed. Rio, São Paulo: Record.

Downloads

Publicado

17-03-2016

Como Citar

AMORIM, M. da S. Graciliano Ramos e a experiência da oralidade em Infância. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 3, p. 3–22, 2016. DOI: 10.5433/1678-2054.2003v3p3. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24708. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos