Diversidade genética de populações naturais de dourado à jusante e montante da Cachoeira Branca, rio Verde – MS (Brasil): uma visão inicial

Autores

  • Ricardo Pereira Ribeiro Universidade Estadual de Maringá
  • Nelson Mauricio Lopera-Barrero Universidade Estadual de Londrina
  • Jayme Aparecido Povh Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Maria del Pilar Rodriguez-Rodriguez Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri
  • Darci Carlos Fornari Genetic Fish Rise
  • Gilmar Baumgartner Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Dirceu Baumgartner Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Felipe Pinheiro de Souza Universidade Estadual de Londrina
  • Pedro Luiz de Castro Universidade Estadual de Maringá
  • Angela Rocio Poveda-Parra Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n1p507

Palavras-chave:

Conservação genética, RAPD, Salminus brasiliensis, Usina hidrelétrica, Variabilidade Genética

Resumo

As usinas hidrelétricas são responsáveis por gerar a maioria da energia elétrica utilizada no Brasil, entretanto, suas construções podem gerar entraves ambientais, entre eles a interrupção da migração de peixes. O presente estudo foi realizado no período anterior a construção da UHE São Domingos sobre o eixo da cachoeira Branca, no rio Verde – Mato Grosso do Sul (Brazil), e teve como objetivo avaliar a diversidade genética de duas populações naturais de dourado (Salminus brasiliensis) localizadas à jusante (População A - PopA) e montante (População B - PopB) da cachoeira. Foram utilizados oito iniciadores para analisar 56 indivíduos (PopA: 26; PopB: 30). Observaram-se um total de 102 fragmentos, dos quais 86 foram polimórficos (84,3%). Foram identificados fragmentos de baixa frequência (PopA: 2;  PopB: 1), três fragmentos limitantes (PopA) e três fragmentos exclusivos (PopB). A variabilidade genética intra-populacional calculada com o índice de Shannon e pela porcentagem de fragmentos polimórficos mostrou altos valores de variabilidade dentro de cada população (PopA: 0,300 e 60,80% e PopB: 0,411 e 79,40%, respectivamente). A distância e identidade genética mostraram uma alta diferenciação genética (0,076 e 0,927, respectivamente). As duas populações apresentaram alta variabilidade genética intra-populacional e alta diferenciação e distância genética entre si, com baixo fluxo gênico. Conclui-se que a UHE São Domingos deve realizar uma transposição controlada dos peixes para manter a variabilidade genética entre as populações.

Biografia do Autor

Ricardo Pereira Ribeiro, Universidade Estadual de Maringá

Prof. Dr., Deptº de Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual de Maringá, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Nelson Mauricio Lopera-Barrero, Universidade Estadual de Londrina

Prof. Dr., Deptº de Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Jayme Aparecido Povh, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Prof. Dr., Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Maria del Pilar Rodriguez-Rodriguez, Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri

Pesquisadora, Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri, UFVJM, Diamantina, MG, Brasil.

Darci Carlos Fornari, Genetic Fish Rise

Diretor Executivo, Genetic Fish Rise, Primavera do Norte, Sorriso, MT, Brasil.

Gilmar Baumgartner, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Prof. Dr., Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE, Toledo, PR, Brasil.

Dirceu Baumgartner, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Prof. Dr., Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE, Toledo, PR, Brasil.

Felipe Pinheiro de Souza, Universidade Estadual de Londrina

Discente do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Pedro Luiz de Castro, Universidade Estadual de Maringá

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, UEM, Maringá, PR, Brasil.

Angela Rocio Poveda-Parra, Universidade Estadual de Londrina

Pós-Doutoranda em Ciência Animal, Deptº de Zootecnia, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-02-29

Como Citar

Ribeiro, R. P., Lopera-Barrero, N. M., Povh, J. A., Rodriguez-Rodriguez, M. del P., Fornari, D. C., Baumgartner, G., … Poveda-Parra, A. R. (2016). Diversidade genética de populações naturais de dourado à jusante e montante da Cachoeira Branca, rio Verde – MS (Brasil): uma visão inicial. Semina: Ciências Agrárias, 37(1), 507–516. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n1p507

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4 5 > >>