Necessidades de letramentos críticos nas aulas de Língua Portuguesa na Educação de Jovens e Adultos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1519-5392.2022v22n3p133-151

Palavras-chave:

Leitura, Letramento Crítico, EJA

Resumo

Neste artigo, partindo de uma perspectiva crítica, social e ideológica de linguagem (FAIRCLOUGH, 2003; JANKS, 2018, 2016), em diálogo com uma concepção sociohistórica de letramentos, discutimos alguns resultados de uma pesquisa que objetivou investigar práticas de leitura com base nas contribuições dos letramentos críticos  em uma sala de aula da educação básica. A partir de um caráter qualitativo e interpretativista, analisamos respostas de uma atividade diagnóstica realizada com alunos e alunas de uma turma de educação de jovens e adultos de uma escola pública da cidade de Macapá-AP, que participaram como colaboradores da pesquisa. Os dados formaram gerados em uma cena de letramento escolar (BUNZEN, 2010), a partir da aplicação de uma atividade diagnóstica com questões de leitura e intepretação do gênero charge “Redução da Maioridade Penal”. Com base na análise dos dados, concluímos que percepções sobre representações sociais, apresentadas no texto da atividade diagnóstico, pouco foram questionadas pelos alunos e pelas alunas. Porém, é perceptível também, em algumas das respostas, mesmo que de maneira ainda tímida, indícios de reflexão e criticidade (MAIOR, 2010) a respeito das representações sociais, discursivas e identitárias que o texto pressupõe como sentidos sobre a temática central discutida, neste caso, redução da maioridade penal

Biografia do Autor

Rosivaldo Gomes, Departamento de Letras e Artes - UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ

Doutor em Linguística Aplicada - Universidade Estadual de Campinas/Instituto de Estudos da Linguagem (IEL/UNICAMP) na área de Linguagens e Educação Linguística. Realizou estágio de Pós-doutorado pelo Departamento de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Federal do Amapá, na área de Educação e formação de professores.Atualmente está realizando estágio de Pós-doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Direito Ambiental e Políticas Públicas (PPGDAP/UNIFAP), com pesquisa voltada para materiais didáticos impressos de divulgação/popularização científica de educação ambiental para educação infantil. Graduado em Letras Português e Literatura pela Universidade Federal do Amapá. É professor Adjunto II de Língua Portuguesa e Didática das Línguas do Departamento de Letras e Artes da Universidade Federal do Amapá e do Programa de Mestrado em Letras (PPGLET/UNIFAP), pesquisando sobre educação bilíngue, praticas de letramentos no ensino de Português como LE/L2 e Língua Materna, formação de professores e agir professoral, letramento acadêmico e práticas de leitura e escrita no contexto escolar.

Referências

ANTUNES, I. Gramática contextualizada: limpando “o pó das ideias simples”. São Paulo: Parábola, 2014.

ANTUNES, I. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola, 2003.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 16 abr. 2022.

BUNZEN, C. Os significados do letramento escolar como uma prática sociocultural. In: VÓVIO, C.; SITIO, L.; GRANDE, P. Letramentos: rupturas, deslocamentos e repercussões de pesquisa em linguística aplicada. Campinas: Mercado das Letras, 2010. p. 99-120.

CALLOW, J. Show me: principles for assessing students visual literacy. The Reading Teacher, New York, v. 6, n.18, p. 616-626, 2008. DOI: https://doi.org/10.1598/RT.61.8.3

CHARGES mostram que o Brasil atual é coisa do passado. UFJF Notícias, Juiz de Fora, 18 de janeiro 2017.

FAIRCLOUGH, N. Analysing discourse: textual analysis for social research. London: Routledge, 2003. v. 1. DOI: https://doi.org/10.4324/9780203697078

GOMES, R. Leitura de gêneros multissemióticos e multiletramentos em materiais didáticos impressos e digitais de Língua Portuguesa do Ensino Médio. 2017. 257 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

JANKS, H. A importância do letramento crítico. Letras & Letras, Uberlândia, v. 34, n. 1, p. 15-27, 2018. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/42961. Acesso em: 4 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.14393/LL63-v34n1a2018-1

JANKS, H. Panorama sobre letramento crítico. In: JESUS, D.; CARBONIERI, D. (org.). Práticas de multiletramentos e letramento crítico: outros sentidos para a sala de aula de línguas estrangeiras. Campinas: Pontes, 2016. p. 21-39.

JORDÃO, C. A posição de professor de inglês no Brasil: hibridismo, identidade e agência. Letras & Letras, Uberlândia, v. 26, n. 2, p. 427-442, jul./dez. 2010.

JORDÃO, C. Abordagem comunicativa, pedagogia crítica e letramento crítico: farinhas do mesmo saco?.In: ROCHA, C. H.; MACIEL, R. F. (org.). Língua estrangeira e formação cidadã: por entre discursos e práticas. Campinas: Pontes Editores, 2013. p. 69-90.

JORDÃO, C. No tabuleiro da professora temletramento crítico?.In: DÁNIE, M. J.; CARBONIERI, D. Práticas de multiletramento e letramento crítico: outros sentidos para a sala de aula de Línguas. Campinas: Pontes Editores, 2016. p. 41-53.

KLEIMAN, . Letramento e suas implicações para o ensino de língua materna. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 32, n. 53, p. 1-25, 2007. Disponível em: https://online.unisc.br/ seer/index.php/signo/article/view/242. Acesso em: 17 jun. 2022.

KLEIMAN, . Letramento na contemporaneidade. Bakhtiniana, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 72–91, 2014. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/bakhtiniana/article/view/19986. Acesso em: 4 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S2176-45732014000200006

KLEIMAN, . Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras, 1995.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. 2. ed. London: Routledge, 2006. p. 320. DOI: https://doi.org/10.4324/9780203619728

MAIOR, R. S. Atividade argumentativa: indício de criticidade do sujeito leitor e produtor de textos. Leitura, Maceió, v. 42, p. 140-154, 2010.

MENDONÇA, M. Análise linguística no ensino médio: um novo olhar, um outro objeto. In: BUNZEN, C.; MENDONÇA, M. Português no ensino médio e formação de professor. São Paulo: Parábola, 2006. p. 199-226.

ROJO, R. H. R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

SOUZA, L. M. M. de. Para uma redefinição de letramento crítico: conflito e produção de significação. In: MACIEL, R. F.; ARAÚJO, V. A. (org.). Formação de professores de línguas: ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco Editorial, 2011. p. 128-140.

STREET, B. Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

STREET, B. Social Literacies: Critical approaches to literacy in development, ethnography and education. New York: Longman,1995.

TAKAKI, N. H. Contribuições de teorias recentes de letramentos críticos para inglês instrumental. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 12, n. 4, p. 971-996, 2012. Disponível em:https://pdfs.semanticscholar.org/bb83/aa339019138baaac410488fc66a1b44b9456.pdf. Acesso em: 8 mar 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S1984-63982012000400015

TRIP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set./dez. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/ v31n3/a09v31n3.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000300009

Downloads

Publicado

29-12-2022

Como Citar

GOMES, Rosivaldo. Necessidades de letramentos críticos nas aulas de Língua Portuguesa na Educação de Jovens e Adultos. Entretextos, Londrina, v. 22, n. 3, p. 133–151, 2022. DOI: 10.5433/1519-5392.2022v22n3p133-151. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/46713. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigo para volume atemático