Imprudências poéticas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2017v34p54

Palavras-chave:

Formas breves, Romance, Poesia, Valter Hugo Mãe

Resumo

O artigo objetiva refletir sobre as formas breves no âmbito literário, focalizando a temática de um duplo ponto de vista: de um lado, refletir sobre o conceito de brevidade, que aqui será entendido no sentido poundiano e ideogrâmico de condensação; de outro, analisar o impacto destas formas breves num romance contemporâneo – Homens imprudentemente poéticos (2016), de Valter Hugo Mãe, gênero que, ao contrário da poesia, caracteriza-se mais pela expansão do que pela contenção. A premissa que conduz a nossa interpretação crítica é a de que há, na fundação deste romance, um entrespaço liminar no qual oriente e ocidente perdem as fronteiras que os separam para constituírem um novo campo tensional e dialógico entre forças diferentes, mas complementares. Cada capítulo possui uma dupla face: de um lado, é um instantâneo condensado entre palavra, visualidade e sentido, inspirado nas formas breves da literatura e da arte caligráfica japonesa como o haicai e o sumiê; de outro, expande-se em conexões com aqueles que ora o antecedem, ora o sucedem, sem que a causalidade se estabeleça, a fim de que uma trama se constitua. Entre poesia e prosa, a imprudência poética deste romance se perfaz.PALAVRAS-CHAVE: literatura; ciência; interdisciplinaridade; educação.

Biografia do Autor

Maria Rosa Duarte de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestre em Teoria Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O autor como gesto. Profanações. Tradução de Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2007, p.55-64.

BARTHES, Roland. Aula do dia 24 de fevereiro de 1979. A preparação do romance I: da vida à obra. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005, p.161-191.

BENJAMIN, Walter. O narrador. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura.Vol.1. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1996, p. 197- 221.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Willi Bolle, org. Tradução de Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2007, p. 535.

FENOLLOSA, Ernest. Os caracteres da escrita chinesa como instrumento para a poesia. Haroldo de Campos, org. Ideograma. Lógica. Poesia. Linguagem. Tradução de Heloysa de Lima Dantas. São Paulo: Cultrix, 1977, p. 115-162.

MÃE, Valter Hugo. Homens imprudentemente poéticos. São Paulo: Biblioteca Azul, 2016.

PIGNATARI, Décio. Semiótica e literatura. 3. ed. São Paulo: Cultrix, 1987.

POUND, Ezra. ABC da literatura. Tradução de Augusto de Campos e José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1970.

Sumiê. Disponível em: http://www.bujinkan-sp.com.br/sumie/. Acesso em: 18 set. 2017.

Downloads

Publicado

06-10-2017

Como Citar

OLIVEIRA, Maria Rosa Duarte de. Imprudências poéticas. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 34, p. 54–65, 2017. DOI: 10.5433/1678-2054.2017v34p54. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/30913. Acesso em: 25 jun. 2024.