Prosa e versos esquecidos em balão cativo, de Pedro Nava

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2017v34p44

Palavras-chave:

Balão cativo, Iniciação literária, Pedro Nava

Resumo

Memórias pessoais são convencionalmente vistas como um campo dedicado à preservação do passado. Entretanto, nos últimos anos, cresceram as controvérsias e as pesquisas referentes à representação de ficção e não-ficção em autobiografia, biografia, memórias e na “literatura de testemunho”. A memorialística de Pedro Nava oferecere vislumbres particulares para caracterizar a função da memória em seu processo criativo e esforço para reconstruir o passado. A formação do leitor, outra questão examinada pelo memorialista, tem implicações para os estudos sobre cultura, história, memória social e literatura. Este ensaio pretende expor relatos e digressões ensaísticas presentes em Balão cativo (1973) concernentes ao tema da iniciação literária, assinalando alguns autores, influências e obras literárias que contribuíram para as primeiras experiências de Nava como leitor. Uma análise comparativa desses excertos sugere que Nava procura evocar histórias e reminiscências para conectar eventos do passado a perfis biográficos e questões sobre poesia, prosa, emoções e identidade pessoal.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Alice Ribeiro Gabriel, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo.

Referências

BAUDELAIRE, Charles. “A musa venal”. As Flores do Mal. Tradução de Ivan Junqueira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985, p. 126-127.

BROWN, Megan. American autobiography after 11/09. Madison: The University of Wisconsin Press, 2017.

DINES, Alberto; ZIRALDO. “Pedro Nava no viço de seus 78 anos: lembrar dói e incomoda”. O Pasquim, Rio de Janeiro, ano XII, n. 635, ago/set., 1981, p. 11-15.

EVE, Martin Paul. Literature Against Criticism: University English and Contemporary Fiction in Conflict. Cambridge: OpenBook, 2016.

GREENSTEIN, Jack M. Mantegna and Painting as Historical Narrative. Chigago: The University of Chicago Press, 1992.

GREGORY, Eileen. “Clio: Muse of History – Things Are They Are”. Gail Thomas, ed. The Muses. Dallas: The Dallas Institute Publications, 1994, p. 112-120.

LIMA, Augusto de. O inquisidor. In: Poesias: Contemporâneas – Símbolos – Laudas Inéditas. Coleção Afrânio Peixoto. Academia Brasileira de Letras. Rio de Janeiro: Publicações da ABL, 2008, p. 17. Disponível em: www.academia.org.br/sites/default/.../poesias_-_augusto_de_lima_-_para_internet.pdf. Acesso em: 18/09/2017.

NAVA, Pedro. Balão cativo. Rio de Janeiro: José Olympio, 1977.

NAVA, Pedro. Baú de ossos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1974.

Downloads

Publicado

06-10-2017

Como Citar

GABRIEL, M. A. R. Prosa e versos esquecidos em balão cativo, de Pedro Nava. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 34, p. 44–53, 2017. DOI: 10.5433/1678-2054.2017v34p44. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/30780. Acesso em: 16 jun. 2024.