As representações da família em “Clínica de repouso,” de Dalton Trevisan

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2010v20p37

Palavras-chave:

Literatura brasileira, Modernismo, Família, Ditadura militar

Resumo

Este artigo pretende abordar como as relações familiares presentes no conto “Clínica de repouso” de Dalton Trevisan, retratam a subversão das ordens patriarcal e matriarcal, apontando para a alteração do núcleo familiar brasileiro tradicional como resultante de transformações históricas e políticas no país. Pretende-se também examinar um possível sentido alegórico da narrativa a partir da internação da mãe de Maria, D. Candinha, protagonista da narrativa, que parece questionar práticas opressivas do regime político da época. Tal sentido pode ainda ser enfatizado pela utilização de elementos cômicos na obra.

Biografia do Autor

Érica Rodrigues Fontes, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Romance Languages pela University of North Carolina at Chapel Hill. Professora da Universidade Federal do Piauí.

Referências

ALBERTI, Verena. 1999. O Riso e o Risível na História do Pensamento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

BERGSON, Henri. 1980. O riso: ensaio sobre a significação do cômico. Rio: Jorge Zahar.

CERVO, Amado Luiz & Clodoaldo Bueno. 2002. História da política exterior do Brasil. 2. ed. Brasília: UnB.

DENSER, Márcia. 2001. “Hell’s Angels”. Ítalo Moriconi, org. Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio: Objetiva.

LISPECTOR, Clarice. 2001. “Feliz aniversário”. Ítalo Moriconi, org. Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio: Objetiva.

TODOROV, Tzvetan. 2008. Introdução à literatura fantástica. São Paulo: Perspectiva.

TREVISAN, Dalton. 1994. “Clínica de repouso”. Julieta de Godoy Ladeira, org. Contos brasileiros contemporâneos. São Paulo: Moderna.

Downloads

Publicado

16-12-2010

Como Citar

FONTES, Érica Rodrigues. As representações da família em “Clínica de repouso,” de Dalton Trevisan. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 20, p. 37–45, 2010. DOI: 10.5433/1678-2054.2010v20p37. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24940. Acesso em: 24 jun. 2024.