Narrativa misógina em Angústia, de Graciliano Ramos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2008v13p58

Palavras-chave:

Graciliano Ramos, Figuras femininas, Narrador masculino, Misoginia

Resumo

O objetivo desse trabalho é analisar no romance Angústia (1936), escrito por Graciliano Ramos, como o narrador masculino, preso a um passado que o atormenta e a velhas concepções patriarcais, traça um retrato misógino das mulheres que o cercam, enxergando nelas meros objetos sexuais, notadamente quando ensaiam os primeiros passos para fora da esfera privada e passam a ocupar o espaço público, subvertendo o papel esperado de submissão à ordem masculina à qual estavam relegadas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcos Hidemi de Lima, Universidade Estadual de Londrina

Doutorando em Letras pela Universidade Estadual de Londrina.

Referências

CANDIDO, Antonio. Ficção e confissão: ensaios sobre Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: 34, 1992.

DAMATTA, Roberto. A casa & a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

MOURÃO, Rui. Estruturas: ensaio sobre o romance de Graciliano. Curitiba: UFPR, 2003.

RAMOS, Graciliano. Angústia. 39. ed. Rio, São Paulo: Record, 2004.

REIS, Roberto. A permanência do círculo: hierarquia no romance brasileiro. Niterói: EDUFF, 1987.

RODRIGUES, José Carlos. O tabu do corpo. 4. ed. Rio de Janeiro: Dois Pontos, 1986.

SANT’ANNA, Affonso Romano de. O canibalismo amoroso: o desejo e a interdição em nossa cultura através da poesia. São Paulo: Círculo do Livro, s/d.

Downloads

Publicado

20-12-2008

Como Citar

LIMA, M. H. de. Narrativa misógina em Angústia, de Graciliano Ramos. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 13, p. 58–68, 2008. DOI: 10.5433/1678-2054.2008v13p58. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24872. Acesso em: 25 maio. 2024.