A poesia de Sosígenes Costa: o trajeto de uma obra esquecida

Autores

  • Jane de Paula Malafaia Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2008v12p144

Palavras-chave:

Poesia, Estilo, Paródia, Visibilidade

Resumo

A poesia de Sosígenes Costa apresenta uma mistura de traços estilísticos parnasianos, simbolistas e barrocos de seus originais “Sonetos Pavônicos”, apesar de o poeta aproximar-se do Modernismo, principalmente por demonstrar uma consonância com alguns recursos intertextuais privilegiados pelos escritores modernistas, como a paródia. O aspecto tangencial da poesia de Sosígenes Costa, somado à demora do próprio poeta em publicar a Obra Poética, dificultou a inserção do escritor no panorama literário nacional. Por essa razão, constata-se que a obra de Sosígenes Costa, depois de mais de um século do nascimento do poeta, ainda espera por maior visibilidade.

Biografia do Autor

Jane de Paula Malafaia, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense.

Referências

AMADO, Jorge. “O Grapiúna Sosígenes Costa”. In: COSTA 2001.

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo: Cultrix, 1988.

CAMPOS, Haroldo de. “Da razão antropofágica: diálogo e diferença na cultura brasileira”. Metalinguagem & Outras Metas. São Paulo: Perspectiva, 2004.

COSTA, Sosígenes. Poesia Completa. Edição comemorativa do centenário de nascimento de Sosígenes Costa. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo, Conselho Estadual de Cultura, 2001.

DAMULAKIS, Gerana. Sosígenes Costa, O Poeta Grego da Bahia. Salvador: Empresa Gráfica da Bahia; Fundação Cultural do Estado da Bahia, 1996.

FONSECA, Aleilton. “Sosígenes Costa: Poeta da Visibilidade Moderna”. In MATTOS & FONSECA 2004.

FONSECA, Aleilton & Carlos Ribeiro, orgs. Iararana, revista de arte, crítica e literatura. Edição Especial Centenário de Sosígenes Costa (Salvador) 7 (nov./2001-fev.2002).

MATTOS, Cyro de. “Informação de Sosígenes Costa”. In MATTOS & FONSECA 2004.

MATTOS, Cyro de & Aleilton Fonseca. O triunfo de Sosígenes (Estudos, Depoimentos e Antologia). Ilhéus, BA: Editus/UEFS, 2004.

MATTOS, Florisvaldo de. Travessia de Oásis – A Sensualidade na Poesia de Sosígenes Costa. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia/EGBA, 2004.

MUNIZ, Fernando. “O Que é Isto – A Antropofagia?” Gilberto Mendonça Teles et al. Oswald Plural. Rio de Janeiro: UERJ, 1995.

PAES, José Paulo. Pavão, Parlenda, Paraíso – Uma tentativa de descrição crítica da poesia de Sosígenes Costa. São Paulo: Cultrix, 1977.

PAES, José Paulo. “Iararana ou o Modernismo Visto do Quintal: um roteiro de leitura”. In: COSTA 2001.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Altas Literaturas. Escolha e valor na obra crítica de escritores modernos. São Paulo: Companhia das Letras. 1998.

PÓLVORA, Hélio, org. A Sosígenes, Com Afeto. Salvador: Edições Cidade da Bahia; Fundação Gregório de Mattos, 2001.

Downloads

Publicado

23-03-2016

Como Citar

MALAFAIA, Jane de Paula. A poesia de Sosígenes Costa: o trajeto de uma obra esquecida. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 12, p. 144–157, 2016. DOI: 10.5433/1678-2054.2008v12p144. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24862. Acesso em: 16 jul. 2024.