Os cronistas e as mulheres na segunda metade do século XX

Autores

  • Luiz Carlos Santos Simon Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2006v7p61

Palavras-chave:

Crônica, Antônio Maria, Rubem Braga, Luis Fernando Verissimo

Resumo

A mulher, presença constante na crônica brasileira da segunda metade do século XX, é quase sempre vista por olhos masculinos, pois autoras como Rachel de Queiroz e Clarice Lispector desfrutam de destaque, mas não da mesma projeção que os cronistas homens. O intento deste artigo é apreciar retratos de mulheres esboçados em crônicas de Rubem Braga, Antônio Maria e Luis Fernando Verissimo. A representação feminina é examinada a fim de verificar como a perspectiva oscila da preservação do domínio masculino ao reconhecimento de direitos e peculiaridades da mulher, investigando o extravasamento lírico, que se aproxima ora do controle ora de um discurso libertário.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luiz Carlos Santos Simon, Universidade Estadual de Londrina

Professor da Universidade Estadual de Londrina.

Referências

ARRIGUCCI JR., Davi. 1987. Enigma e comentário: ensaios sobre literatura e experiência. São Paulo: Companhia das Letras.

BAUDRILLARD, Jean. 1991. Simulacros e simulação. Trad. Maria J. C. Pereira. Lisboa: Relógio d’Água.

BRAGA, Rubem. 1998a. Ai de ti, Copacabana! 20. ed. Rio de Janeiro: Record.

BRAGA, Rubem. 1998b. A traição das elegantes. 4. ed. Rio de Janeiro: Record.

CANCLINI, Néstor García. 1997. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Trad. Heloísa P. Cintrão e Ana R. Lessa. São Paulo: Edusp.

CANDIDO, Antonio. 1992. “A vida ao rés-do-chão”. CANDIDO, Antonio et al. A crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Campinas: Ed. da Unicamp; Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa. [13-22].

DE LAURETIS, Teresa. 1994. “A tecnologia do gênero”. HOLLANDA, Heloísa Buarque de. (org.) Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco.

FLAX, Jane. 1992. “Pós-modernismo e as relações de gênero na teoria feminista”. HOLLANDA, Heloísa Buarque de. (Org.) Pós-modernismo e política. 2.ed. Rio de Janeiro: Rocco.

GIDDENS, Anthony. 1993. A transformação da intimidade:sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas. Trad. Magda Lopes. São Paulo: Ed. Unesp.

MARIA, Antônio. 2002. Benditas sejam as moças: as crônicas de Antônio Maria. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

MOISÉS, Massaud. 1985. A criação literária. 10.ed. São Paulo: Cultrix.

PORTELLA, Eduardo. 1958. “A cidade e a letra”. Dimensões I. Rio de Janeiro: José Olympio, 1958, [111-7].

VERISSIMO, Luis Fernando. 1995. Comédias da vida privada. 14. ed. Porto Alegre: L&PM.

Downloads

Publicado

19-03-2016

Como Citar

SIMON, L. C. S. Os cronistas e as mulheres na segunda metade do século XX. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 7, p. 61–69, 2016. DOI: 10.5433/1678-2054.2006v7p61. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24777. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos