Paraíso Perdido encontra a cena: uma conversação pós-colonial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2003v3p84

Palavras-chave:

John Milton, Poesia inglesa, Pós-colonialismo

Resumo

Em Paraíso Perdido de John Milton, épico e império se encontram dissociados. Ao contrário de muitas leituras, esse texto magistral da Renascença Inglesa pode intersectar o pensamento pós-colonial de várias maneiras. Uma vez que toda leitura é também uma desleitura, a minha (des)leitura do paraíso de Milton se dá como mo(vi)mento de resistência contra, e intervenção por sobre, uma suposta grande narrativa de poder (o épico de Milton). Mantenho como meus objetivos principais: primeiro, proporcionar uma conversação pós-colonial com essa obra do século XVII Inglês e, segundo, propiciar uma contracena pós-colonial para esse texto no século XXI.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Ferreira Sá, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor Adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

BHABHA, Homi. 1999. Afterword: An Ironic Act of Courage. Balachandra Rajan e Elizabeth Sauer, eds. Milton and the Imperial Vision. Pittsburgh: Duquesne U P. 315-322.

CAWLEY, Robert Ralston. 1951. Milton and the Literature of Travel. Princeton: Princeton U P.

EVANS, J. Martin.1996. Milton’s Imperial Epic: Paradise Lost and the Discourse of Colonialism. Ithaca: Cornell U P.

GREGERSON, Linda. 1996. “A Colonial Writes the Commonwealth: Milton’s History of Britain”. Prose Studies 19.3 (dez.): 247-254.

MILTON, John. 1957. John Milton: Complete Poems and Major Prose. Ed. Merritt Y. Hughes. New York: Prentice Hall.

QUINT, David. 1993. Epic and Empire: Politic and Generic Form from Virgil to Milton. Princeton: Princeton U P.

RAJAN, Balachandra. 1985. The Form of the Unfinished: English Poetics from Spenser to Pound. Princeton: Princeton U P.

SAID, Edward W. 1994. Culture and Imperialism. New York: Vintage Books.

SAID, Edward W. 1985. Beginnings: Intention and Method. New York: Columbia U P.

SIMS, James H. 1972. “Christened Classicism in Paradise Lost and the Lusiads.” Comparative Literature 24.4 (Fall): 338-356.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. 1999. A Critique of Postcolonial Reason: Toward a History of the Vanishing Present. Cambridge: Harvard U P.

Downloads

Publicado

17-03-2016

Como Citar

SÁ, Luiz Fernando Ferreira. Paraíso Perdido encontra a cena: uma conversação pós-colonial. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 3, p. 84–96, 2016. DOI: 10.5433/1678-2054.2003v3p84. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24716. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos