Formas reificadas de construção da identidade das partes envolvidas em textos peticionais da vara de família

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1519-5392.2022v22n3p90-110

Palavras-chave:

Discurso Jurídico, Petição Inicial, Reificação

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar formas de reificação encontradas em Petições Iniciais da Vara de Família, compreendendo 4 (quatro) gêneros discursivos peticionais: Ação de Investigação de Paternidade Cumulada com Alimentos; Ação de Alimentos; Ação de Guarda de Menor e Ação de Adoção de Menor, nos quais constam os seguintes movimentos retóricos: Movimento de Identificação das Partes e da Ação, Movimento dos Fatos, Movimento do Direito e Movimento do Pedido. Tomo como referencial teórico as postulações de Bittar (2001), Fairclough (2001a, 2001b, 2003), Swales (1990, 1992, 1993) e Abbagnano (1962). O corpus analisado é constituído de quarenta petições iniciais da Vara de Família e envolve questões relacionadas aos direitos do menor. A partir das formulações teóricas mencionadas e tendo em conta os resultados das análises realizadas, é possível afirmar que as reificações apresentadas constituem formas de construção das identidades dos sujeitos coparticipantes das ações jurídicas aí mobilizadas, em sua relação de constitutividade no âmbito das diferentes práticas sociais, nas quais os discursos operam como construções da realidade em que tais práticas circulam.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Heliud Luis Maia Moura, UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA

Possui Doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (2013), Mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005), Especialização em Língua Portuguesa: uma Abordagem Textual (1997), Especialização em Docência no Ensino Superior (1993), Especialização em Letras: o ensino do Português no 1º grau (1982) e Graduação em Letras (1992) todas pela Universidade Federal do Pará. É Professor Adjunto IV da Universidade Federal do Oeste do Pará, atuando principalmente nos seguintes temas: Linguística de Texto, Gêneros do Discurso, Gêneros Narrativos Orais, Ensino de Língua Materna, Políticas de Formação de Professores de Língua e Práticas de Leitura e Escrita . Possui vasta experiência tanto no Ensino Superior quanto no Ensino Fundamental e Médio. Na Educação Básica, lecionou as disciplinas Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Literaturas de Língua Portuguesa.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. São Paulo: Mestre Jou, 1962.

AUSTIN, J. L. How to do things with words. London: Oxford University Press, 1962.

BHATIA, Vijak K. Language and professional setting. New York: Longman, 1994.

BITTAR, E. Linguagem jurídica. São Paulo: Saraiva, 2001.

FAIRCLOUGH, N. Análise crítica do discurso e a mercantilização do discurso público: as universidades. In: MAGALHÃES, Célia. (org.). Reflexões sobre a análise crítica do discurso. Belo Horizonte: Faculdades de Letras, 2001a. p. 31-81

FAIRCLOUGH, N. Analysing discourse: textual analysis for social research. Londres: Routledge: 2003. DOI: https://doi.org/10.4324/9780203697078

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2001b.

FERREIRA, A. B. H. Dicionário Aurélio da língua portuguesa. Curitiba: Positivo, 1986.

NUNES, P. Dicionário de tecnologia jurídica. Rio de Janeiro: Editora Renovar, 1999.

SIDOU, J. M. O. Dicionário jurídico: academia brasileira de letras jurídicas. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

SWALES, J. M. Genre analysis: english in a academic and research settings. Cambridge: CUP, 1990.

SWALES, J. M. Genre analysis: english in a academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

SWALES, J. M. Genre analysis: english in a academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

Downloads

Publicado

29-12-2022

Como Citar

MOURA, H. L. M. Formas reificadas de construção da identidade das partes envolvidas em textos peticionais da vara de família. Entretextos, Londrina, v. 22, n. 3, p. 90–110, 2022. DOI: 10.5433/1519-5392.2022v22n3p90-110. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/46491. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigo para volume atemático