Meme: gênero e prática de ensino pela sequência didática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1519-5392.2019v19n2p63

Palavras-chave:

Letramento crítico, Gramática do Design Visual, Gênero, Meme

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de discutir o ensino do gênero meme, por meio de uma pesquisa-ação, nos termos de aplicação da sequência didática como proposta pedagógica interventiva em turmas de EJA (nono ano), numa escola pública no Estado de São Paulo. O artigo, com base nesse estudo de caso, discute aspectos do referido gênero pela perspectiva teórica da Estrutura Potencial Genérica e da Gramática do Design Visual. No interior da proposta, caracterizamos o meme como um gênero emergente e de grande interesse dos alunos, os quais, no decorrer da pesquisa, puderam desenvolver competências de leitura e produção de memes, fazendo uso mais consciente dos elementos visuais e textuais característicos do gênero. Além disso, a intervenção pedagógica foi efetiva no sentido de explorar questões vinculantes de letramento crítico e multiletramentos na reconstrução de paradigmas, valores e ideologias adstritos ao desenvolvimento da competência comunicativa multimodal no gênero.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ulisses Oliveira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-Sao Paulo) Professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Referências

BLACKMORE, Susan. The meme machine. Oxford: Oxford Paperbacks, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: ensino fundamental. Brasília: MEC, 1998.

BROWN, Penelope; LEVINSON, Stephen C.; LEVINSON, Stephen C. Politeness: some universals in language usage. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

CERVETTI, Gina; PARDALES, Michael J.; DAMICO, James S. A tale of differences: comparing the traditions, perspectives, and educational goals of critical reading and critical literacy. Reading online, n. 9, 2001. Disponível em: http:/ /www.readingonline. org/articles/cervetti/. Acesso em: 27 jan. 2004.

CORACINI, Maria José Rodrigues Faria. CORACINI, M. J. (org.). O jogo discursivo na aula de leitura: língua materna e língua estrangeira. Campinas: Pontes, 1995.

COSCARELLI, Carla Viana; RIBEIRO, Ana Elisa (org.). Letramento digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

COSTA VAL, Maria da Graça. Atividades de produção de textos escritos em livros didáticos de 5a a 8a séries do ensino fundamental. In: ROJO, Roxane; BATISTA, Antônio Augusto Gomes. Livro didático de língua portuguesa: letramento e cultura escrita. Campinas: Mercado de Letras, 2003. p. 125-152.

DAVISON, Patrick. The language of internet memes. In: MANDIBERG, Michael. The social media reader. New York: New York University Press, 2012. p. 120-134.

DAWKINS, Richard. Memes: the new replicators. In: DAWKINS, Richard. The selfish gene. London: Cambridge, 1976. p. 189-201.

DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michele; SCHNEUWLY, Bernard. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim (org.). Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 95-128.

DONDIS, Donis A.; CAMARGO, Jefferson Luiz. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

EGGINS, Sírio; MARTIN, James R. Genres and registers of discourse. London: Routledge, 1997.

GARCIA, Liliana Bueno dos Reis. A ideologia e o poder disciplinar como formas de dominação. Trans/Form/Ação, São Paulo, n. 11, p. 53-59, 1988.
GOFFMAN, Erving. Frame analysis. New York: Harper Colophon books, 1976.

GOFFMAN, Erving. On face-work: an analysis of ritual elements in social interaction. Psychiatry: journal for the study of interpersonal processes. London, v.18, n. 3, p. 213-231, 1967.

HALLIDAY, Michael Alexander Kirkwood. An introduction to functional grammar. 2. ed. London: Edward Arnold, 1994.

HALLIDAY, Michael Alexander Kirkwood; HASAN, Ruqaiya. Language, context, and text: aspects of language in a social-semiotic perspective. Victoria: Deakin University, 1989. p. 52-69.

KARWOSKI, Acir Mário; GAYDECZKA, Beatriz. Multiletramentos na escola. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 55, p. 1053-1056, 2013.

KRESS, Gunther R.; VAN LEEUWEN, Theo. Multimodal discourse: the modes and media of contemporary communication. London: Oxford University Press, 2001.

KRESS, Gunther R.; VAN LEEUWEN, Theo. Reading images: the grammar of visual design. Kingdom: Psychology Press, 1996.

MACIEL, Ruberval Franco; TAKAKI, Nara Hiroko. Novos letramentos pelos memes: muito além do ensino de línguas. In: MACIEL, Ruberval Franco; JESUS, Dánie Marcelo de (org.). Olhares sobre tecnologias digitais: linguagens, ensino, formação e prática docente. Campinas: Pontes, 2015. p. 53-82.

MAGNANI, Luiz Henrique. Um passo para fora da sala de aula: novos letramentos,mídias e tecnologias. Revista X, Curitiba, v. 1, p. 1-18, n. 1, 2011.

MARTIN, James R. Beyond exchange: appraisal system in english. In: HUNSTON, Susan; THOMPSON, Geof. (ed.). Evaluation in text: authorial stance and the construction of discourse. Oxford: Oxford University Press, 2000. p. 145-172.

MASSARUTO, Filippo Antonio; DO VALE, Lara Ferreira; ALAIMO, Marcela Miquelon. Educomunicação: o meme enquanto gênero textual a ser utilizado na sala de aula. Revista Pandora Brasil, São Paulo, v. 13, n. 83, p. 1-11, jun. 2017.

MATTOS, Andréa Machado de Almeida; VALÉRIO, Kátia Modesto. Letramento crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 10, n. 1, p. 135-158, 2010.

MENDONÇA, Marina Célia; LARA, Marina Totina de Almeida. Gêneros do discurso, ensino/aprendizagem e verbo-visualidade: o caso do meme em um curso prévestibular online. Prolíngua, João Pessoa, v. 12, n. 2, 149-162, out./dez. 2017.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. São Paulo: Editora Vozes Limitada, 2011.

OLIVEIRA, Marcos Antônio; MALTA, Daniela Paula Lima Nunes; AQUINO, Alisson Arlindo Silva. Práticas de letramento e multimodalidade: uma análise sobre o uso do gênero “meme” na sala de aula. Revista do GELNE, Natal, v. 19, n. 2, p. 62-77, 2017.

POSSENTI, Sírio. Os humores da língua. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo. Multileramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012

Downloads

Publicado

12-03-2020

Como Citar

OLIVEIRA, U. Meme: gênero e prática de ensino pela sequência didática. Entretextos, Londrina, v. 19, n. 2, p. 63–89, 2020. DOI: 10.5433/1519-5392.2019v19n2p63. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/34469. Acesso em: 17 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos