"A Senhora do Galvão" eliminou a mulher: a duplicidade feminina em um conto de Machado de Assis

Autores

  • Jaison Luís Crestani Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2008v13p4

Palavras-chave:

Machado de Assis, Contos, Personagens femininas

Resumo

O conto “O espelho” (1882) apresenta o “esboço de uma nova teoria da alma humana”, em que se propõe a divisão da alma em exterior e interior. Rearticulando essa teoria no conto “A senhora do Galvão” (1884), o narrador machadiano explora a duplicidade da figura feminina, Maria Olímpia, que se apresenta dividida entre a sua função social e a sua individualidade humana. Assim como o alferes eliminou o homem, pretende-se analisar, por meio deste trabalho, o modo como a “senhora do Galvão” – papel social – vai subjugando o indivíduo a ponto de eliminar a mulher Maria Olímpia.

Biografia do Autor

Jaison Luís Crestani, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Doutorando em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Referências

ASSIS, J. M. M. de. Contos: uma antologia / Machado de Assis. Seleção, introdução e notas de John Gledson. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v.2.
ASSIS, J. M. M. de. Contos fluminenses. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; Brasília: INL, 1975 (Edições críticas de obras de Machado de Assis – v. 1).
ASSIS, J. M. M. de. Memórias póstumas de Brás Cubas; Dom Casmurro. São Paulo: Abril Cultural, 1978.
BOSI, A. Machado de Assis: o enigma do olhar. 2ª impressão. São Paulo: Ática, 2000.
GUÉRIOS, R. F. M. Dicionário Etimológico de Nomes e Sobrenomes. São Paulo: Ave Maria Ltda., 1981.
NUNES, B. O tempo na narrativa. 2. ed. São Paulo: Ática, 2000 (Série Fundamentos).

Downloads

Publicado

20-12-2008

Como Citar

CRESTANI, Jaison Luís. "A Senhora do Galvão" eliminou a mulher: a duplicidade feminina em um conto de Machado de Assis. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 13, p. 4–14, 2008. DOI: 10.5433/1678-2054.2008v13p4. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24866. Acesso em: 23 jun. 2024.