A Criatividade Lexical do Português Brasileiro na Imprensa Escrita Catalana

Autores

  • Alexandre António Timbane Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira- Campus dos Malês Instituto de Humanidades e Letras http://orcid.org/0000-0002-2061-9391
  • Fabiana Ferreira da Rocha

DOI:

https://doi.org/10.5433/2237-4876.2020v23n3p10

Palavras-chave:

Português, Neologismos, Léxico, Jornais catalanos

Resumo

A pesquisa discute a ocorrência de neologismos semânticos e lexicais nos principais jornais catalanos: Jornal “Diário Dito e Feito” (JDDF) e “Diário o Catalão” (JDC). A pesquisa visa a analisar a formação lexical do português brasileiro baseando-se em corpus escrito. A pesquisa descreve a variação léxico-semântico do português catalano; identifica a criatividade lexical e classifica os neologismos presentes nos corpora escritos. Escolheu-se aleatoriamente 5 edições do JDC e 11 edições do JDDF de 2016, selecionando os temas: i) Notícias de Catalão; ii) Notícias do Estado; iii) Notícias do Esporte; e iv) Notícias das Variedades. A identificação dos neologismos teve como corpus de exclusão o Dicionário Houaiss (2009). Da pesquisa concluiu-se que os jornais têm alta ocorrência de estrangeirismos (136 casos) e que a formação de palavras dentro do português ocorreu em 100 casos. O JDDF teve uma ocorrência maior (91) de casos de formação por derivação e composição. A pesquisa observou a formação de palavras por meio de siglas e acrônimos presentes no corpus em 57 casos. O português catalano varia sob ponto de vista semântico das palavras, resultado dos contextos regionais que o caracterizam, mas também há casos de formação de nomes próprios de produtos. 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alexandre António Timbane, Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira- Campus dos Malês Instituto de Humanidades e Letras

Doutor em Linguística e Língua Portuguesa (2013) pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), mestre em Linguística (2009) pela Universidade Eduardo Mondlane em Moçambique,  é licenciado e bacharel em ensino de francês pela Universidade Pedagógica de Maputo-Moçambique. Professor titular na Universidade Academia de Ciências Policiais de Moçambique e pós-doutorando na UNESP. Deu aulas de francês de 1995 a 2008 em diversas escolas secundárias da província e cidade de Maputo-Moçambique. Pesquisa na área de sociolinguística e dialetologia, Línguas estrangeiras modernas e Estudos ortográficos. Publicou livros, capítulo e artigos, segundo consta no currículo lattes.

Referências

ALVES, I. M. Neologismos: criação lexical. São Paulo: Ática, 1994.

ALVES, I. M.; PEREIRA, E. S. (org.). Neologia das línguas românicas. São Paulo: Humanitas, 2015.

ANTUNES, M. Neologia de imprensa do português. 2012. Tese. (Doutorado em Linguística) –Universidade de Lisboa, Lisboa, 2012.

ASSIRATI, E. T. Neologismos por empréstimo na informática. Alfa, São Paulo, n. 42, p. 121-145, 1998.

BARBOSA, M. A. Léxico, produção e criatividade: processos do neologismo. 2. ed. São Paulo: Global, 1989.

BASILIO, M. Formação e classes de palavras no português do Brasil. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BIDERMAN, M. T. C. Léxico e vocabulário fundamental. Alfa, São Paulo, v. 40, n. 1, p. 27-46, 1996.

BIDERMAN, M. T. C. Dimensões da palavra. Revista Filologia e Lingüística Portuguesa, v. 1, n. 2, p. 81-118, 1998.

BIDERMAN, M. T. C. Conceito lingüístico de palavra. Revista paLavra, Rio de Janeiro, n. 5, p. 81-97, 1999. (Volume Temático “A Delimitação de Unidades Lexicais”).

BOUZIDI, B. Néologicité et temporalité dans le processus néologique. Revue Synergies Algérie. n. 9, p. 27-36, 2010.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n. 1676/1999. Dispõe sobre a promoção, a proteção, a defesa e o uso da Língua Portuguesa e dá outras providências. Autor: Aldo Rebelo. Apresentação: 15/09/1999. Disponível em: https://bit.ly/3uUamUS.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n. 6583/2013. Dispõe sobre o Estatuto da Família e dá outras providências. Autor: Anderson Ferreira. Apresentação: 16/10/2013. Disponível em: https://bit.ly/3g4ZdLr.

CAETANO, C. ‘Ricardão’ é suspeito de matar marido da amante em Montes Claros. Portal O Tempo, Contagem, 17 mar. 2014. Cidades. Disponível em: https://bit.ly/3gizNLR. Acesso em: 20 jun. 2016.

CARTIER, E.; SABLAYROLLES, J. F. Neologia, une base de donnée pour la gestion des néologismes. Actes del I Congrés Internacional de Neologia de les Lengues Romàniques, p. 759–767, 2010.

CARVALHO, N. M. de. Neologismos na imprensa escrita. In: OLIVEIRA, A. M. P. P. de; ISQUERDO, A. N. (org.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. 2. ed. Campo Grande: Ed. UFMS, 2001. p. 65-74.

CARVALHO, N. M. de. A criação neológica. Revista Trama, v. 2, n. 4, p. 191-203, jul./dez. 2006.

CARVALHO, N. M. de. Empréstimos linguísticos na língua portuguesa. São Paulo: Cortez, 2009.

DIAS, L. F. O nome da língua do Brasil: uma questão polêmica. In: ORLANDI, E. P. (Org. ). História das idéias lingüísticas: construção do saber metalingüístico e constituição da língua nacional. Campinas: Pontes, 2001. p. 185-198.

FELLER, J. La comunication et langues. Revue Persee, v. 30, n. 1, p. 127-137, 1976.

FIORIN, J. L.; PETTER, M. (org.). África no Brasil: a formação da língua portuguesa. São Paulo: Contexto, 2008.

GUILBERT, L. La créativité léxicale. Paris: Hacette, 1975.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Houaiss; Objetiva, 2009.

HUMBLEY, J. Emprunts, vrais et faux dans le Petit Robert 2007. Paris: [s.l.], 2008.

HUSTACHE-GODINET, H. Quelques néologismes du lexique informatique. Revue de l’EPI, n. 69, p. 53-69, mars 1993.

ILARI, R. Reflexões sobre a língua e identidade. In: BORBA, L. do R.; LEITE, C. M. B. (org.). Diálogos entre língua, cultura e sociedade. Campinas: Mercado de Letras, 2013. p. 17-50.

JORNAL DIÁRIO DE CATALÃO. Catalão, Goiás, a. 15. (Edições pesquisadas: 3515, 3516, 3517, 3518, 3519).

JORNAL DIÁRIO DITO E FEITO. Catalão, Goiás, a. 27. (Edições pesquisadas: 1358, 1359, 1360, 1361, 1362, 1363, 1364, 1365, 1368, 1369, 1370).

MASSINI-CAGLIARI, G.; CAGLIARI, L. C. Categorização gráfica e funcional na aquisição da escrita e da leitura em língua materna. Calidoscópio, São Leopoldo, v. 2, n. 1, p. 89-94, jan. /jun. 2004.

MICHAELIS. Dicionário de inglês. São Paulo: Melhoramentos, 2005.

NOLL, V.; DIETRICH, W. (org.). O português e o tupi no Brasil. São Paulo: Contexto, 2010.

PAVEL, S. Néologie lexicale: transfert, adaptation, innovation. TTR: Traduction, Terminologie, Rédaction, Québec, CA, v. 1, n. 2, p. 125-137, 1989.

POLÍCIA FEDERAL. Agência de notícias. 2016. Disponível em: https://bit.ly/3yRPArS. Acesso em: 23 jun. 2016.

SABLAYROLLES, J.-F. La néologie aujourd’hui. In: GRUAZ, C. (org.). À la recherche du mot: de la langue au discours. Limoges, FR: Lambert-Lucas, 2006. p. 141-157.

SABLAYROLLES, J.-F. Extraction automatique et types de néologismes: une nécessaire clarification. Les Cahiers de Lexicologie, n. 100, p. 37-53, juil. 2012.

SABLAYROLLES, J.-F.; JACQUET-PFAU, C. Les emprunts: du repérage aux analyses. diversité des objectifs et des traitements. Neologica, n. 2, p. 19-38, 2008.

SAMADOV, N. Tendances de la neologie dans la radio analyse a travers la Radio France International. 2007. Tese. (Doutorado em Ciências da Linguagem) – Université Marc Bloch, Strasbourg, 2007.

SAPIR, E. Língua e ambiente. In: SAPIR, E. (org.). Lingüística como ciência. Tradução J. Mattoso Câmara JR. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1969. p. 43-62.

SAUSSURE, F. de. Curso de Lingüística Geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

SOUZA, T. C. C. Aspectos da historicidade da língua portuguesa falada no Brasil. In: ORLANDI, E. P. (org.). História das idéias lingüísticas: construção do saber metalingüístico e constituição da língua nacional. Campinas: Pontes, 2001. p. 155-166.

TIMBANE, A. A. A criatividade lexical da língua portuguesa: uma análise com brasileirismos e moçambicanismos. Caligrama: Revista de Estudos Românicos, v. 18, n. 2, p. 7-30, 2013.

TIMBANE, A. A. A lexicultura no português de Moçambique. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Catalão-GO, v. 18, n. 2, p. 43-59, jul./dez. 2014.

Publicado

2021-06-29

Como Citar

TIMBANE, A. A.; ROCHA, F. F. da. A Criatividade Lexical do Português Brasileiro na Imprensa Escrita Catalana. Signum: Estudos da Linguagem, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 10–27, 2021. DOI: 10.5433/2237-4876.2020v23n3p10. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/38187. Acesso em: 25 maio. 2024.