A tuiteratura escrita por meios de fios: notas sobre o gênero tuiteromance

Autores

  • Denilson Patrick Oliveira Silva Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
  • Vinícius Carvalho Pereira Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT https://orcid.org/0000-0003-1844-8084

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2023vol43n1p39

Palavras-chave:

Literatura eletrônica, Twitter, Narrativa, Tuiteromance

Resumo

Neste artigo, analisamos um gênero emergente da literatura eletrônica: o “tuiteromance”, no qual obras no Twitter compartilham características com o gênero romance, mas com a adição de particularidades técnicas e estéticas da “tuiteratura”. Para tanto, apresentamos o gênero e, na sequência, analisamos três narrativas: “Descobri um assassinato no Twitter”, de Modesto García (@modesto_garcia); “#RedMonkey”, do mesmo autor, mas em parceria com Manuel Bartual (@ManuelBartual); e “Boi”, de Eduardo Hanzo (@EduardoHanzo). Enfocamos na estrutura e organização dos tuítes; nos recursos hipermidiáticos utilizados na narrativa; na interação de escritor e leitores; e nas características que esses textos assumem no Twitter. Percebemos que os “fios”, recurso do Twitter criado em 2017, permitem mais praticidade à escrita, compartilhamento e leitura dos tuiteromances; e que os recursos hipermidiáticos ajudam na constituição de verossimilhança, economia de caracteres e trazem mais dinamicidade às obras. Também, permite aos autores e leitores interações diretas e indiretas. Concluímos que os tuiteromances compõem um gênero inovador, atinente à literatura eletrônica de terceira geração; que seu estilo é definido por uma combinação entre a criação literária e os recursos técnico-comunicacionais da plataforma; e que o surgimento do “fio” é um ponto de virada na estética do gênero.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Denilson Patrick Oliveira Silva, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Mestrando em Estudos Literários no (PPGEL) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Vinícius Carvalho Pereira, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Doutor em Ciência da Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Professor Associado da Universidade Federal do Mato Grosso. 

Referências

ACIMAN, Alexander & Emmett Rensin. Twitterature: The World’s Greatest Books in Twenty Tweets or Less. London: Penguin, 2009.

ASLAM, Salman. Twitter by the Numbers: Stats, Demographics & Fun Facts. Omnicore Agency, 22 fev. 22. Disponível em: https://www.omnicoreagency.com/twitter-statistics/.

BEGINES, Concepción Torres. Novelas en Twitter: el fenómeno de la narrativa en 140 caracteres. Espéculo: Revista de Estudios Literarios, Madrid, 54, p. 208-220, 2014. Disponível em: https://idus.us.es/handle/11441/68579.

FLORES, Leonardo. Literatura eletrônica de terceira geração. Trad. Andréa Catropa da Silva. DATJournal, v. 6, n. 1, p. 355-371, 2021. DOI: https://doi.org/10.29147/dat.v6i1.346

GARCÍA, Nela [@nelagarnela]. A ver, tengo que contar esto porque estoy FLIPANDO. El otro día me encontré este móvil por la calle. Twitter, 20 ago. 2018. Disponível em: https://twitter.com/nelagarnela/status/1031480480401686528.

GARRAMUÑO, Florencia. Frutos estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.

GSHOW. ‘Eu, a Vó e a Boi’: thread no Twitter inspirou a série; relembre história que viralizou na web!. GSHOW, Rio de Janeiro, 17 nov. 2021. Disponível em: https://gshow.globo.com/tudo-mais/viralizou/noticia/thread-no-twitter-inspirou-a-serie-eu-a-vo-e-a-boi-relembre-a-historia-que-viralizou-na-web.ghtml.

HALE, Raelynne M. An Ecocritical Approach to Mexican and Colombian Brief Fiction, 2000-2015. Tese (Doutorado em Filosofia) – University of California, Riverside, 2018. Disponível em: https://escholarship.org/uc/item/8pp6r2qk.

HANZO, Eduardo [@EduardoHanzo]. essa briga entre katy perry e taylor boleteira não é a primeira feud entre mulheres bem sucedidas em seus campos. Twitter, 10 jun. 2017. Disponível em: https://twitter.com/EduardoHanzo/status/873634349824061440.

HAYLES, N. Katherine. Literatura eletrônica: novos horizontes para o literário. São Paulo: Global, 2009.

JENKINS, Henri, Sam Ford & Joshua Green. Spreadable media: creating value and meaning in a networked culture. New York: New York U P, 2013.

A LITERARY history of Twitter. The Telegraph, 14 out. 2011. Disponível em: https://www.telegraph.co.uk/technology/twitter/8827739/A-literary-history-of-twitter.html.

MONTIEL, Daniel Escandell. Tuiteratura: la frontera de la microliteratura en el espacio digital. Iberical. Revue d’Études Ibériques et Ibéro-américaines, Paris, v. 5, p. 37-48. 2014. Disponível em: https://e-space.mmu.ac.uk/620980/.

MR. BRIGHTSIDE [@plot_tuit]. ¡@Policia! Acabo de resolver un crimen a través de Twitter y tenéis que tomar cartas en el asunto inmediatamente. Twitter, 2 jun. 2018. Disponível em: https://twitter.com/plot_tuit/status/1002904687891410944.

RECUERO, Raquel. Introdução a análise de redes sociais online. Salvador: Coleção Cibercultura, 2017.

RETTBERG, Scott. Collaborative Narrative. Marie-Laure Ryan, Lori Emerson & Benjamim Robertson, eds. The Johns Hopkins Guide to Digital Media. Baltimore: Johns Hopkins U P, 2014. 78-80.

SOLDÁN, Edmundo Paz. Cristina Rivera Garza’s Tweets. Hispanic Issues On Line, Minneapolis, 9, p. 38-39, 2012. Disponível em: https://conservancy.umn.edu/bitstream/handle/11299/183213/hiol_09_03_pazsoldan_cristinariveragarza.pdf.

Downloads

Publicado

06-06-2023

Como Citar

SILVA, D. P. O.; PEREIRA, V. C. A tuiteratura escrita por meios de fios: notas sobre o gênero tuiteromance. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 43, n. 1, p. 39, 2023. DOI: 10.5433/1678-2054.2023vol43n1p39. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/46878. Acesso em: 22 fev. 2024.