A leitura literária no segundo segmento do ensino fundamental: a identidade do professor em questão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2016v31p70

Palavras-chave:

Leitura literária, Segundo segmento do Ensino Fundamental, Formação do leitor, Formação do professor

Resumo

Este artigo pretende apresentar algumas breves reflexões sobre a leitura literária no segundo segmento do Ensino Fundamental, tendo em vista sua condição de entre-lugar no processo de escolarização. Por um lado, esta etapa é precedida por práticas mais lúdicas, centradas no exercício do imaginário e no apelo à subjetividade, que caracterizam o Ensino Fundamental I; por outro lado, é seguida por práticas mais distanciadas, reflexivas e críticas próprias do Ensino Médio, etapa na qual a apropriação subjetiva do texto parece estar alijada da sala de aula e a leitura literária cede espaço para o ensino sobre literatura. Problematizamos a prevalência dos estudos linguísticos nas tentativas de didatizar a aproximação do professor ao texto literário, já que a experiência propriamente estética é ignorada. Por fim, comentamos algumas observações extraídas das autobiografias de leitor de um grupo de professoras da rede pública municipal e estadual do Rio de Janeiro, atuantes no Ensino Fundamental e alunas do Mestrado Profissional em Letras da UFRJ, de forma a tentar compreender, por meio do próprio processo subjetivo colocado em jogo na escrita autobiográfica, como se constroem a identidade de leitor e a identidade de professor de literatura daqueles que atuam no Ensino Fundamental.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Crelia Dias, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestre e doutora em Letras (Letras Vernáculas) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Raquel Cristina de Souza e Souza, Colégio Pedro II

Mestra e Doutora em Letras Vernáculas - Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora no Colégio Pedro II do Rio de Janeiro.

Referências

BAUDELOT, Christien, Marie Cartier e Christine Detrez. Et pourtant ils lisent... Paris: Éditions du Seuil, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília, 1998.

CANDIDO, Antonio. “Discurso de paraninfo”. Textos de intervenção. São Paulo: Duas Cidades: Ed. 34, 2002. p. 310-319.

CEREJA, William Roberto. Ensino de literatura: uma proposta dialógica para o trabalho com a literatura. São Paulo: Atual, 2005.

COLOMER, Teresa. Andar entre livros: a leitura literária na escola. São Paulo: Global, 2007.

COLOMER, Teresa, et al (orgs.). Lecturas adolescentes. Barcelona: GRAÓ, 2009.

DELBRASSINE, Daniel. Decouvrir La “lecture litteraire” avec des romans ecrits pour la jeunesse. Namur: Presses universitaires de Namur, 2007.

DIONÍSIO, Maria de Lourdes da Trindade. A construção escolar de comunidades de leitores: leituras do manual de português. Coimbra: Almedina, 2000.

ECO, Umberto. Ironia intertextual e níveis de leitura. Sobre a literatura. Tradução de Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Record, 2003. p. 199-218.

ISER, Wolfgang. O ato de leitura. Tradução de Johannes Kretschmer. São Paulo: 34, 1996.

JAUSS, Hans Robert. Aesthetic experience and literary hermeneutics. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1982.

JOUVE, Vincent. L’effet-personnage dans le roman. Paris: Presses Universitaires de France, 2001.

PETIT, Michèle. A arte de ler ou como resistir à adversidade. Tradução de Arthur Bueno e Camla Boldrini. São Paulo: 34, 2009.

PETIT, Michèle. Leituras: do espaço íntimo ao espaço público. Tradução de Celina Olga de Souza. São Paulo: 34, 2013.

ROUXEL, Annie. “Práticas de leitura: quais rumos para favorecer a expressão do sujeito leitor?”. Cadernos de Pesquisa (São Paulo), v. 42, n. 145, p. 272-283, jan-abr. 2012a. DOI: 10.1590/S0100-15742012000100015.

ROUXEL, Annie. “Mudanças epistemológicas e o ensino da literatura: o advento do sujeito leitor”. Trad. Samira Murad. Revista Criação e Crítica (São Paulo), v. 9, p. 13-24, 2012b. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/criacaoecritica/article/view/46858/50609/.

ROUXEL, Annie. “Autobiografia de leitor e identidade literária”. In: Annie Rouxel, Gérard Langlade e Neide Luiza de Resende, (orgs.). Leitura subjetiva e ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013. p. 67-87.

SOARES, Magda. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, Aracy Alves Martins Evangelista et al, (org.). A escolarização da leitura literária: o jogo do livro infantil e juvenil. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 17-48.

TODOROV. Tzvetan. A literatura em perigo. Tradução de Caio Meira. Rio de Janeiro: DIFEL, 2009.

ZILBERMAN, Regina. Formação do leitor na história da leitura. In: Vera Wannmacher Pereira, (org.). Aprendizado da leitura: ciências e literatura no fio da história. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

ZILBERMAN, Regina. Da literatura para a vida. In: Juracy Assmann Saraiva & Ernani Mügge. Literatura a escola: propostas para o ensino fundamental. Porto Alegre: Artmed, 2006.

Downloads

Publicado

28-12-2016

Como Citar

DIAS, A. C.; SOUZA, R. C. de S. e. A leitura literária no segundo segmento do ensino fundamental: a identidade do professor em questão. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 31, p. 70–81, 2016. DOI: 10.5433/1678-2054.2016v31p70. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/27155. Acesso em: 25 maio. 2024.