Hilda Hilst e a experiência romântica do afastamento

Autores

  • Rubens da Cunha Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2014v27p64

Palavras-chave:

Hilda Hilst, Romantismo, Experiência estética

Resumo

Hilda Hilst escreveu em diversos gêneros, no entanto, antes de escrever dramaturgia, narrativas e crônicas, ela se dedicava inteiramente aos poemas. Entre 1960 e 1967, Hilda passou por um processo de transformação de sua escrita, que tocou algumas questões inerentes ao Romantismo, tais como a idealização e auto-expressão do poeta. O objetivo deste trabalho é traçar uma leitura que aponte as características românticas desse processo em sua obra poética publicada no período.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rubens da Cunha, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre e Doutor pela Literatura na Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ANTELO, Raul, org. Crítica e ficção, ainda. Florianópolis: Pallotti, 2006.

BLANCHOT, Maurice. El paso (no) más allá. Barcelona: Paidós, 1994.

BLANCHOT, Maurice. A conversa infinita – a ausência do livro. São Paulo: Escuta, 2010.

BRADBURY, Malcolm. O mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

CAMUS, Albert. L’Artise et son temps. 1957. Disponível em <http://classiques.uqac.ca/classiques/camus_albert/discours_de_suede/discours_de_suede_texte.html>.

CARPEAUX, Otto Maria. Prosa e Ficção do Romantismo. Jaime Guinsburg, org. O romantismo. São Paulo: Perspectiva, 2005

COELHO, Nelly Novaes. A poesia obscura/luminosa de Hilda Hilst e a “metamorfose” de nossa época. Hilda Hilst. Poesia (1959-1979). São Paulo: Quíron, 1980.

HILST, Hilda. Exercícios. São Paulo: Globo, 2002

HILST, Hilda. Entrevista concedida à Ana Lúcia Vasconcelos. Leitura (São Paulo). 1985, n. 39. pp. 14-15.

KAZANTZAKIS, Nikos. Testamento para el Greco. Rio de Janeiro: Artenova, 1975

MORAES, Eliane Robert. A prosa degenerada de Hilda Hilst. Cleusa Gomes & Regina Przybycien, orgs. Poetas mulheres que pensaram o século XX. Curitiba: Editora UFPR, 2008.

PÉCORA, Alcir, org. Por que ler Hilda Hilst? São Paulo: Globo, 2010.

ROSENFELD, Anatol. Romantismo e Clacissismo. Jaime Guinsburg.(org.) O romantismo. São Paulo: Perspectiva, 2005.

Downloads

Publicado

20-12-2014

Como Citar

CUNHA, R. da. Hilda Hilst e a experiência romântica do afastamento. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 27, p. 64–73, 2014. DOI: 10.5433/1678-2054.2014v27p64. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/25182. Acesso em: 14 jun. 2024.