Mãe e monstro: a desconstrução da figura materna na escrita de autoria feminina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2010v20p46

Palavras-chave:

Representação, Figura materna, Desconstrução

Resumo

O objetivo da pesquisa é analisar a representação da figura materna no conto “Mãe, o cacete” de Ivana Arruda Leite dentro da perspectiva dos estudos feministas e de gênero. A partir da análise do conto, foi possível identificar a representação da mãe/monstro, rompendo, portanto, com formações enraizadas no imaginário de uma sociedade patriarcal que santifica a figura materna.

Biografia do Autor

Níncia Cecília Ribas Borges Teixeira, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Doutora em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professora na Universidade Estadual do Centro-Oeste.

Referências

BOURDIEU, Pierre. 2007. A Dominação Masculina. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

CEIA, Carlos. 2007. “Desconstrução”. E- Dicionário de Termos Literários. Disponível em http://www.fcsh.unl.pt/edtl/verbetes/D/desconstrucao.htm. Acesso em 14 mai 2007.

CHAUÍ, Marilena. 1985. Participando do debate sobre mulher e violência. Perspectivas Antropológicas da mulher. Vol. 4. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 25-62.

DUARTE, Constância Lima. 2003. “Feminismo e literatura no Brasil.” Estudos Avançados 17.49: 151-72. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142003000300010&lng=en&nrm=iso. Acesso em 17 janeiro de 2010.

D’ ONÓFRIO, Salvatore. 2001. Teoria do texto: prolegômenos e teoria da narrativa. 2.ed. v.1, São Paulo: Ática.

FREYRE, Gilberto. 2004. Sobrados e Mocambos: decadência do patriarcado e desenvolvimento do urbano. 15ª ed. São Paulo: Global.

HUTCHEON, Linda. 1991. Teorizando o pós-moderno: rumo a uma poética. Poética do pósmodernismo. Trad. Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago. 19-41.

LEITE, Ivana. 2004. “Mãe, o cacete”. Luiz Ruffato, org. 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira. Rio de Janeiro: Record. 204-208.

MAGALHÃES, Isabel Allegro de. O tempo de silêncio e de paisagem com mulher e mar ao fundo. O Tempo das Mulheres. Lisboa: Imprensa Nacional, 1987. 23-57.

RESENDE, Beatriz. 2008. “A Literatura Brasileira na era da Multiplicidade.” Contemporâneos: expressões da Literatura brasileira no século XXI. Rio de Janeiro: Casa da Palavra. 15-40.

XAVIER, Elódia. 2006. “A família no banco dos réus.” Interdisciplinar (Itabaiana) 1.1: 169-178. Disponível em http://www.posgrap.ufs.br/periodicos/interdisciplinar/revis- isponível em http://www.posgrap.ufs.br/periodicos/interdisciplinar/revistas/ARQ_INTER_1/INTER1_Pg_07_20.pdf. Acesso em 11 de agosto de 2010.

WEIGEL, Sigrid. 1986. “La mirada bizca: sobre la historia y la escritura de las mujeres”. Gisela Ecker, org. Estética feminista. Barcelona: Içaria Editorial. 69-98.

Downloads

Publicado

16-12-2010

Como Citar

TEIXEIRA, Níncia Cecília Ribas Borges. Mãe e monstro: a desconstrução da figura materna na escrita de autoria feminina. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 20, p. 46–55, 2010. DOI: 10.5433/1678-2054.2010v20p46. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24941. Acesso em: 21 jun. 2024.