Tudo o que é Real Dissolve-se na Chuva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1678-2054.2007v10p29

Palavras-chave:

Literatura Portuguesa, Neo-Realismo, Crítica Literária, Crítica Cultural

Resumo

A partir de considerações sobre o modelo narrativo utilizado pelo escritor neorealista português Carlos de Oliveira no romance Uma abelha na chuva, pretendemos demonstrar que a privação e a frustração não são exclusividade do operariado ou do campesinato, mas que há uma espécie de teia a enredar as personagens, tornando-as todas miseráveis e oprimidas. Isso se deve ao fato de Carlos de Oliveira enxergar e escrever as personagens como indivíduos construídos discursiva e literariamente, não reduzidas a uma estereotipia e a padrões de comportamento e sofrimentos prenunciados pelo viés economicista do pensamento marxiano.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rosana Cristina Zanelatto Santos, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

AUERBACH, Erich. 1976. “A meia marrom.” Mimesis. A representação da realidade na literatura universal. São Paulo: Perspectiva. 471-498.

MARX, Karl. 1999. Do Capital. São Paulo: Nova Cultural.

MILOVIC, Miroslav. 2004. Comunidade da diferença. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

OLIVEIRA, Carlos de. 2001. “Almanaque Literário.” O aprendiz de feiticeiro. Rio de Mouro: Círculo de Leitores. 5.55-79.

OLIVEIRA, Carlos de. 2001. “Micropaisagem.” O aprendiz de feiticeiro. Rio de Mouro: Círculo de Leitores. 5.199-203.

OLIVEIRA, Carlos de. 2001. “O Iceberg.” O aprendiz de feiticeiro. Rio de Mouro: Círculo de Leitores. 5.179-194.

OLIVEIRA, Carlos de. 1996. Uma abelha na chuva. 25. ed. Lisboa: Sá da Costa.

SENA, Jorge de. fev. 1955. “Tentativa de um panorama coordenado da literatura portuguesa de 1901 a 1950.” Revista Tetracórnio, Lisboa.

Downloads

Publicado

22-06-2007

Como Citar

SANTOS, R. C. Z. Tudo o que é Real Dissolve-se na Chuva. Terra Roxa e Outras Terras: Revista de Estudos Literários, [S. l.], v. 10, p. 29–37, 2007. DOI: 10.5433/1678-2054.2007v10p29. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/terraroxa/article/view/24825. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos