A Variação na Redução do Ditongo Au do Latim ao Português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2237-4876.2022v25n1p136

Palavras-chave:

Variação diacrônica, Ditongo, Monotongação

Resumo

Este trabalho pretende discutir a variação do fenômeno de redução do ditongo primário au do latim ao português. Acreditamos que, desde sincronias pretéritas, é possível identificar motivações linguísticas e sócio-históricas que possam explicar a ocorrência do fenômeno que persiste modernamente como marca de oralidade. Sob o aporte teórico da Sociolinguística Histórica, examinamos estudos que buscam uma explicação na diacronia para o fenômeno de redução do ditongo au. Verificamos que esse fenômeno já ocorria, oralmente, na variedade menos culta do latim como atestam as fontes do latim vulgar, mas nem sempre evoluiu para uma mudança nas línguas românicas. Devido à conservação do ditongo au no registro escrito da norma culta, o fenômeno volta a se realizar na passagem para as línguas românicas, e continua a ser representado como variante em corpora do português medieval e da língua portuguesa oitocentista no Brasil. A motivação sócio-histórica aponta para uma fala menos cuidada, enquanto indício da condição social do falante/escrevente. A motivação linguística diz respeito ao ambiente condicionador do fenômeno de redução do ditongo au diante de consoantes oclusivas e sílabas travadas por /S/, conforme Oliveira (2008).

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leici Landherr Moreira, Faculdade Antonio Meneghetti - AMF

Doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Professora na Antonio Meneghetti Faculdade - AMF. Contato: leicimoreira@hotmail.com

Evellyne Patrícia Figueiredo de Sousa Costa, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Doutorado em Teoria e Análise Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS. Professora da Universidade Federal de Santa Maria- UFSM. Contato: evellyne.costa@gmail.com

Referências

ALKIRE, Ti; ROSEN, Carol. The Evolution of stressed vowels. In: ALKIRE, Ti; ROSEN, Carol. Romance languages: a historical introduction. Cambridge: Cambridge University Press, 2010. p. 5-25. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511845192.002

ARAUJO, Ruy Magalhães de. Fontes do latim vulgar. SOLETRAS, São Gonçalo, n. 5-6, p. 96-115, 2003.

BASSETTO, Bruno Fregni. Filologia românica: história externa das línguas românicas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

BIANCHET, Sandra Maria Gualberto Braga. Alterações fonético-fonológicas no latim do século I d.C: descrição do sistema vocálico latino a partir do Satyricon, de Petrônio. Classica - Revista Brasileira De Estudos Clássicos, São Paulo, v. 15, n. 15/16, p. 189-202, 2003. DOI: https://doi.org/10.24277/classica.v15i15/16.278

BUSARELLO, Raulino. Dicionário básico latino português. Florianópolis: Editora da UFSC, 2007.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim Mattoso. História e estrutura da Língua portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1979.

CARVALHO, Maria José S. Pereira. Ditongos orais e seus processos evolutivos na história do Português. Estudos de Linguística Galega, Santiago de Compostela, v. 10, p. 41-54, 2018. DOI: https://doi.org/10.15304/elg.10.4538

CONDE SILVESTRE, Juan Camilo. Sociolinguística histórica. Madrid: Gredos, 2007.

COUTINHO, Ismael de Lima. Pontos de gramática histórica. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938.

CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário etimológico da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

DIAS, Ana Paula Veloso Pratas. Variação ou ~ oi em Portugal continental: delimitação das áreas geográficas com maior incidência do ditongo oi. Diacrítica, Braga, v. 28, n. 1, p. 51-67, 2014.

FARIA, Ernesto. Fonética histórica do Latim. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1955.

HUSBAND, Richard Wellington. The diphthong - Ui in Latin. Transactions and Proceedings of the American Philological Association, Ithaka, v. 41, p. 19–23, 1910. Disponível em: www.jstor.org/stable/282713. Acesso em: 28 abr. 2021. DOI: https://doi.org/10.2307/282713

ILARI, Rodolfo. Linguística românica. São Paulo: Editora Ática, 1999.

LABOV, William. On the mechanism of linguistic change. In: GUMPERZ, John J; HYMES, Dell (ed.). Directions in sociolinguistics: the ethnography of communication. New York: Hold, Rinehart and Winstion, 1972.

LABOV, William. The use of the present to explain the past. In: LABOV, William. Principles of linguistic change: internal factors. Oxford: Blackwell, 1999. p. 9-27.

LASS, Roger. Historical linguistics and language change. Cambridge: Cambridge University Press, 1997. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511620928

LIPSKI, John M. The reduction of falling diphthongs. RRI, Bucareste, v. xix, n. 5, p. 415-435, 1974.

MAURER JUNIOR, Theodoro Henrique. Gramática do latim vulgar. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1959.

NIEDERMANN, Max. Précis de phonetique historique du latin. Paris: Éditions Klincksieck, 1991.

OLIVEIRA, Klebson. O verso e o reverso: redução de ditongos e ditongação em textos escritos por negros no Brasil oitocentista. Signum: Estudos da Linguagem, Londrina, v. 11, n. 2, p. 155-175, 2008. DOI: https://doi.org/10.5433/2237-4876.2008v11n2p155

ORBIS LATINUS. Vocabulary of the Vulgar Latin. Appendix probi: list of correct and incorrect forms of 227 words (3rd-4th centuries AD). Disponível em: http://www.orbilat.com/Languages/Latin_Vulgar/Vocabulary/Appendix_Probi.html. Acesso em: 20 maio 2021.

QUEDNAU, Laura Rosane. Os ditongos do latim ao português. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 4, n. 3,p. 89-99, 2005.

ROMAINE, Suzanne. Socio-historical linguistics: its status and methodology. Cambridge: Cambridge University Press, 1982. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511720130

SANTOS, Susana Gabriela Mendes dos. O latim das inscrições romanas em território português até à queda do império. 2005. 139 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Clássicos) - Universidade de Lisboa, Lisboa, 2005.

SOUZA, Maria Helena Menezes de; SILVA, Suziane de Oliveira Porto. Os caminhos e descaminhos da sociolinguística histórica no Brasil. Revista da ABRALIN, Aracaju, v. 19, n. 2, p. 1-5, 2020. DOI: https://doi.org/10.25189/rabralin.v19i2.1613

SPENCE, Nicol Christopher William. Quantity and quality in the vowel-system of Vulgar Latin. Word,New York, v. 21, n. 1, p. 1-18, 1965. DOI: https://doi.org/10.1080/00437956.1965.11435415

VÄÄNÄNEN, Veikko. Introducción al latín vulgar. Madrid: Editorial Gredos, 1968.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006.

Publicado

2022-12-22

Como Citar

LANDHERR MOREIRA, L.; FIGUEIREDO DE SOUSA COSTA, E. P. A Variação na Redução do Ditongo Au do Latim ao Português. Signum: Estudos da Linguagem, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 136–147, 2022. DOI: 10.5433/2237-4876.2022v25n1p136. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/45461. Acesso em: 25 abr. 2024.