Atenção psicossocial em tempos de pandemia: a escuta em ambiente virtual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2022v43n1p113

Palavras-chave:

Atenção psicossocial, Pandemia, Atendimento virtual

Resumo

Introdução: Com a deflagração da crise sanitária em 2020, ocorreram mudanças significativas na vida dos sujeitos, sendo uma delas, o arrefecimento da circulação de pessoas em espaços públicos e privados, que, por consequência, culminou na migração massiva para o mundo virtual. Nesta direção, os atendimentos oferecidos na área da saúde mental também encontraram lugar no espaço cibernético, como meio de seguir produzindo escuta junto aos sujeitos que se viram fragilizados nesta nova condição de ser e estar no mundo.
Objetivo: Desse modo, este artigo pretende expor a nossa experiência de atendimento psicológico no ambiente virtual a partir do início da pandemia da Covid-19 no Brasil.
Método: Para mapear o trabalho neste campo, utilizamos como método de pesquisa a cartografia para acompanhar os processos em todas as dimensões que esse assume: no campo dos afetos, das singularidades e do social das pessoas atendidas. A cartografia opera de modo vivo e dinâmico, sem perder de vista como esses arranjos são construídos, de acordo com a complexidade e singularidades dos envolvidos.
Discussão: O material produzido por nossa investigação nos auxiliou a acompanhar como as dinâmicas sociais, políticas e econômicas experenciadas ecoaram na vida das pessoas atendidas como também os limites da escuta.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Larissa Ferreira de Abreu Pereira, Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus Assis

Especialista em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde (IS), São Paulo, Brasil. Aluna Especial do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho” (Unesp), Assis.

Wiliam Siqueira Peres, Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus Assis

Pós Doutorado em Psicologia e Estudos de Gênero pela Universidade de Buenos Aires. Doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professor do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Assis.

Referências

ALVAREZ, J.; PASSOS, E. Cartografar é habitar um território existencial. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (org.). Pistas do método cartográfico: pesquisa-intervenção e produção da subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2020. p. 131-149.

BARROS, Laura Pozzana de; KASTRUP, Virgínia. Cartografar é acompanhar processos. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCOSSIA, Liliana. Pistas do método da Cartografia. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 52-75.

BRASIL. Ministério da Saúde. Painel Coronavirus. Brasília: MS, 2021a. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em: 16 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19. Brasília: MS, 2021b.

BRITO, A. M.; CASTILHO, E. A.; SZWARCWALD, L. C. AIDS e infecção pelo HIV no Brasil: uma epidemia multifacetada. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 34, n. 2, p. 207-217, mar./abr. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rsbmt/a/zBSKHBDyfvfz7cLQp7fsSBg/?lang=pt#. Acesso em: 15 jul. 2021.

CARNEIRO, A. Deleuze & Guatarri: uma ética dos devires. 2013. 115f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2013.

CONSELHO FERDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução nº 11, de 11 de maio de 2018. Regulamenta a prestação de serviços psicológicos realizados por meios de tecnologias da informação e da comunicação e revoga a Resolução CFP N.º 11/2012. 2018. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2018/05/RESOLU%C3%87%C3%83O-N%C2%BA-11-DE-11-DE-MAIO-DE-2018.pdf. Acesso em: 11 jul. 2021.

DANZMANN, P. S.; SILVA, A. C. P.; GUAZINA, F. M. N. Atuação do psicólogo na saúde mental da população diante da pandemia. Journal of Nursing and Health, Pelotas, n. 10, p. 1-14, 2020. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2020/07/1104058/2-atuacao-do-psicologo-na-saude-mental-da-populacao-diante-da-pandemia.pdf. Acesso em: 11 jul. 2021.

DELEUZE, G. Qu'est-cequ'undisposif? In: FOUCAULT, M. Philosophe, rencontre internationale. Tradução Rui Souza Dias. Paris: Janvier, 1988.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Rizoma: uma introdução. In: DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia, Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995. v. 1.

FERGUSON, N. M. et al. Report 9: impact of non-pharmaceutical interventions (NPIs) to reduce covid-19 mortality and healthcare demand. Imperial College COVID-19 Response Team, London, p. 1- 20, 2020. Disponível em: https://spiral.imperial.ac.uk:8443/bitstream/10044/1/77482/15/2020-03-16-COVID19-Report-9-Spanish.pdf. Acesso em: 14 jul. 2021.

FOUCAULT, M. Ordem do discurso. São Paulo, Editoras Loyola, 2006.

GUATTARI, F. Da produção da subjetividade. Tradução: Sueli Rolnik. São Paulo: [s. n.], 1986.

GULLAR, F. Em alguma parte alguma. Rio de Janeiro: José Olímpio, 2013.

IBGE. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101629.pdf. Acesso em: 15 jul. 2021.

LEMOS, A. Ciber cultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002.

MAHASE, E. Coronavirus: covid-19 has killed more people than SARS and MERS combined, despite lower case fatality rate. BMJ, London, n. 368, p. 1, Feb. 2020. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32071063/. Acesso em: 14 jul. 2021.

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES. O IBGE e o censo demográfico de 2020. 2019. Disponível em: https://www.observatoriodasmetropoles.net.br/o-ibge-e-o-censo-demografico-de-2020/. Acesso em: 14 jul. 2021.

OMS - ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAUDE. Covid-19 strategic preparedness and response plan (SPRP 2021). 24 Feb. 2021. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/WHO-WHE-2021.02. Acesso em: 14 jul. 2021.

OPAS - ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE. Considerações para quarentena dos contatos de casos de Covid-19: orientação provisória. 19 de agosto de 2020a. Disponível em: https://iris.paho.org/handle/10665.2/52616. Acesso em: 14 jul. 2021.

OPAS - ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Medidas não farmacológicas de saúde pública para mitigação do risco e impacto de epidemias e pandemias de Influenza. 2020b. Disponível em : https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52044/9789275722220_por.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 15 jul. 2021.

PERES, W. S. Cartografia, interseccionalidades e implicações políticas. No prelo.

ROLNIK, S. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

ROLNIK, S.; GUATTARI, F. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Ed. Vozes, 1986.

SILVA, T. M.; TEIXEIRA, T. O.; FREITAS, S. M. P. Ciberespaço uma configuração de ser do mundo. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 21, n. 1, p. 176-196, abr. 2015.

SILVA, A. E. Maquinar. In: FONSECA, T. M. G.; NASCIMENTO, M. L.; MARASCHIN, C. (coord.). Pesquisar na diferença: um abecedário. Porto Alegre: Sulina. 2012. p. 151.

UPDATED rapid risk assessment from ECDC on coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic: increased transmission in the EU/EEA and the UK. Eurosurveillance, Stockholm, v. 25, n. 12, Mar. 2020. Disponível em: https://www.eurosurveillance.org/content/10.2807/1560-7917.ES.2020.25.12.2003261. Acesso em: 11 jul. 2021.

VACINAÇÃO contra Covid: mais de 76,7 milhões de pessoas então totalmente imunizadas no Brasil. G1, São Paulo, 15 set. 2021. Disponível em: https://g1.globo.com/bemestar/vacina/noticia/2021/09/15/vacinacao-contra-a-covid-mais-de-767-milhoes-de-pessoas-estao-totalmente-imunizadas-no-brasil.ghtml. Acesso em: 16 set. 2021.

YASUI, S. Rupturas e encontros: desafios da reforma psiquiátrica Brasileira. 2006. Tese (Doutorado em Ciências na área de Saúde) - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro, 2006.

YASUI, S.; LUZIO, C. A.; AMARANTE, P. Atenção psicossocial e atenção básica: a vida como ela é no território. Revista Polis Psique, Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 173-190, abr. 2018. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2238-152X2018000100011&lng=pt&nrm=iso.Acesso em: 16 jan. 2022.

ZOURABICHVILI, F. O vocabulário de Deleuze. Rio de Janeiro: Ifch-Unicamp, 2004.

Downloads

Publicado

23.06.2022

Como Citar

PEREIRA, L. F. de A.; SIQUEIRA PERES, W. Atenção psicossocial em tempos de pandemia: a escuta em ambiente virtual. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 43, n. 1, p. 113–126, 2022. DOI: 10.5433/1679-0383.2022v43n1p113. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/44781. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção Livre