Dependência emocional em relacionamentos amorosos: uma proposta de intervenção com mulheres

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2022v43n1p55

Palavras-chave:

Relacionamentos amorosos, Grupos terapêuticos, Dependência emocional, Mulheres

Resumo

Considerando que a dependência emocional está presente na sociedade e que isso pode causar sofrimento psíquico, esta pesquisa estudou esse fenômeno em mulheres. Objetivou-se compreender os efeitos de um grupo de apoio no modelo do MADA - Mulheres que Amam Demais Anônimas, com base na Psicologia, para mulheres dependentes emocionalmente de seus relacionamentos amorosos, proporcionando espaço de acolhimento psicológico. Realizaram-se cinco encontros, com mulheres nessa situação, na forma de grupos focais como método de pesquisa. Para análise do discurso das participantes utilizou-se o software IRaMuTeQ. Nos relatos das participantes, surgiram como principais temas: o medo de ficarem sozinhas, o sentimento de culpa, a perda de suas identidades, o relacionamento delas com seus pais, a influência cultural e as vantagens de um grupo de apoio. Ao final, foi possível compreender mais sobre a dependência emocional, fatores que influenciam mulheres a ficarem nos relacionamentos, mesmo que estejam infelizes, e quais sentimentos emergem dessa situação.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rafaela do Espírito Santo, Universidade de Sorocaba- UNISO

Psicóloga da Universidade de Sorocaba

Gabrielle Ribeiro Bottene Nonato, Universidade de Sorocaba - UNISO

Psicóloga da Universidade de Sorocaba

Andressa Melina Becker da Silva, Universidade de Sorocaba - UNISO

Professora Doutora da Universidade de Sorocaba

Referências

BARRETO, R. S. Relacionamentos abusivos: uma discussão dos entraves ao ponto final. Revista Gênero, Niterói, v. 18, n. 2, p. 142-154, 2018. DOI: https://doi.org/10.22409/rg.v18i2.1148

BOWLBY, J. Formação e rompimento dos laços afetivos. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. O Plenário do conselho Nacional de Saúde em sua Quinquagésima Nona Reunião Extraordinária, realizada nos dias 06 e 07 de abril de 2016, no uso de suas competências regimentais e atribuições conferidas pela Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, pela Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990, pelo Decreto nº 5.839, de 11 de julho de 2006 [...]. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 44-46, 24 maio 2016. Disponível em: https://bit.ly/3IjW4oy. Acesso em: 07 jul. 2022.

BUTION, D. C.; WECHSLER, A. M. dependência emocional: uma revisão sistemática da literatura. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, Londrina, v. 6, n. 1, p. 77-101, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2016v7n1p77

CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M. IRaMuTeQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 21, n. 2, p. 513-518, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.9788/TP2013.2-16

CERQUEIRA, I. C.; ROCHA, F. N. Amor e relacionamentos amorosos no olhar da psicologia. Revista Mosaico, Vassouras, v. 9, n. 2, p. 10-17, 2018. DOI: https://doi.org/10.21727/rm.v9i2.1449

CFP - CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Referências técnicas para atuação de psicólogas(os) em Programas de Atenção à Mulher em situação de violência. Brasília: CFP, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3o46yzj. Acesso em: 07 jul. 2022.

CURIA, B. G.; GONÇALVES, V. D.; ZAMORA, J. C.; RUOSO, A.; LIGÓRIO, I. S.; HABIGZANG, L. Produções científicas brasileiras em psicologia sobre violência contra mulher por parceiro íntimo. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 40, p. 1-19, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703003189184

GRUPO MADA DO BRASIL. O que é o Grupo MADA. [S. l.: s. n.], 2016. Disponível em: https://bit.ly/3Awuv9G. Acesso em: 07 jul. 2022.

HAYASHI, E. A. P.; MORIYAMA, J. S. Grupo de Apoio Psicológico a Mulheres em Situação de Infertilidade. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 39, p. 1-13, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703003179820

HIDALGO, E. G. C. Dependência emocional, estratégias de afrontamiento al estrés y depresión en mujeres víctimas de violencia de pareja de la ciudad de Chiclayo. Revista Paian, Chiclayo, v. 8, n. 2, p. 36-62, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3OTIB9m. Acesso em: 07 jul. 2022.

LEVY, L.; GOMES, I. C. Relações amorosas: rupturas e relações. Tempo Psicanalítico, Rio de Janeiro, v. 43, n. 1, p. 45-57, 2011. Disponível em: https://bit.ly/3nKVWoF. Acesso em: 07 jul. 2022.

LIMA, A. T. B. Mulheres que amam demais: uma discussão teórica sobre o amor patológico em seus aspectos histórico-culturais e psicodinâmicos. 2016. 78 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Psicologia) - Centro de Ensino Unificado de Brasília, Brasília, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3bWYHAL. Acesso em: 07 jul. 2022.

MARTINEZ, S. A. I.; GOMEZ-ACOSTA, A. Dependência afectiva: abordaje desde una perspectiva contextual. Psychologia: Avances de La disciplina, Bogotá, v. 7, n. 1, p. 81-91, 2012. DOI: https://doi.org/10.21500/19002386.1196

MOMEÑE, J.; ESTÉVEZ, A.; PÉREZ-GARCÍA, A. M.; JIMÉNEZ, J.; CHÁVEZ-VERA, M. D.; OLAVE, L.; IRUARRIZAGA, I. El consumo de sustancias y su relación con la dependencia emocional, el apego y la regulación emocional en adolescentes. Anales de Psicología, Murcia, v. 37, n. 1, p. 121-132, 2021. DOI: https://doi.org/10.6018/analesps.404671

NARVÁEZ, B. L. R.; CASTIBLANCO, J. U.; VALENCIA, M. M.; RIVERO, F. A. Estilos de apego parental y dependencia emocional en las re-laciones románticas de una muestra de jóvenes universitários en Colombia. Diversitas: Perspectivas en Psicología, Bogotá, v. 15, n. 2, p. 285-299, 2019. DOI: https://doi.org/10.15332/22563067.5065

NOBREGA, D. O.; ANDRADE, E. R. G.; MELO, E. S. N. Pesquisa com grupo focal: contribuições ao estudo das representações sociais. Psicologia e Sociedade, Belo Horizonte, v. 28, n. 3, p. 433-441, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1807-03102016v28n3p433

PORTO, M.; BUCHER-MALUSCHKE, J. S. N. F. A permanência de mulheres em situações de violência: Considerações de psicólogas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 30, n. 3, p. 267-276, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722014000300004

SILVA, D. R. Q.; TORMAN, R. “Em briga de marido e mulher”, metemos a colher: grupos terapêuticos com mulheres em situação de vulnerabilidade e violência de gênero. Gênero & Direito, João Pessoa, v. 7, n. 3, p. 22-42, 2018. DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.2179-7137.2018v7n3.43002

SILVA, P. C. M.; ASSUMPÇÃO, A. A. Relação entre violência psicológica e depressão em mulheres: revisão narrativa. Revista Pretextos, Belo Horizonte, v. 3, n. 6, p. 102-115, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3NRCGAz. Acesso em: 07 jul. 2022.

SILVA, P. P.; ANDRADE, L. F. A mulher e a dependência afetiva: laços de amor que causam dor. Revista Brasileira de Ciências da Vida, Sete Lagoas, v. 6, n. 1, p. 1-22, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3yqmsZg. Acesso em: 07 jul. 2022.

SOPHIA, E. C. Amor patológico: aspectos clínicos e de personalidade. 2008. 130 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2008. DOI: https://doi.org/10.11606/D.5.2008.tde-11022009-162136

TEODORO, E. F.; CHAVES, W. C.; SANTOS, G. A. C. Nas trilhas da dependência amorosa: entre desejo e necessidade. Revista Subjetividades, Fortaleza, v. 21, n. 1, p. 1-13, 2021. DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v21i1.e9842

VALLE, L.; MORAL, M. V. Dependencia emocional y estilo de apego adulto en las relaciones de noviazgo en jóvenes españole. Revista Iberoame-ricana de Psicología y Salud, Madrid, v. 9, n. 1, p. 27-41, 2018. DOI: https://doi.org/10.23923/j.rips.2018.01.013

VINUTO, J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas, v. 22, n. 44, p. 201-218, 2014. DOI: https://doi.org/10.20396/tematicas.v22i44.10977

Downloads

Publicado

17.07.2022

Como Citar

ESPÍRITO SANTO, R. do; RIBEIRO BOTTENE NONATO, G.; SILVA, A. M. B. da. Dependência emocional em relacionamentos amorosos: uma proposta de intervenção com mulheres. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 43, n. 1, p. 55–70, 2022. DOI: 10.5433/1679-0383.2022v43n1p55. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/45146. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção Livre