Formar cidadãos crítico-reflexivos: a contribuição da matemática

Autores

  • Nilcéia Aparecida Maciel Pinheiro Universidade Tecnológica Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2007v28n1p81

Palavras-chave:

Conhecimento matemático, Enfoque CTS, Educação.

Resumo

Diante do avanço científico-tecnológico a que estamos submetidos, torna-se cada vez mais necessário que a população, além de ter acesso às informações acerca de desenvolvimento, possa ter também condições de avaliar e participar das decisões que venham atingir o meio onde vive. Cada área do conhecimento precisa contribuir, para levar o cidadão a participar com iniciativas que levem as pessoas ao desenvolvimento do senso avaliativo, e, conseqüentemente a reflexões mais críticas acerca dos elementos que envolvem a ciência, a tecnologia e o contexto social. Dessa forma, também a matemática precisa ser vista como uma linguagem utilizada genericamente pela ciência para a descrição de fenômenos diversos. Desse modo, cabe aprofundar seu conhecimento dos procedimentos matemáticos de enfrentamento e resolução de situações-problema presentes no contexto científico-tecnológico e social, enfatizando a relação de interdependência desse conhecimento com o contexto. Sendo assim, neste trabalho, propomos a discussão, da possibilidade de trazer para sala de aula, um enfoque para a educação matemática, com o objetivo de contribuir para a formação de cidadãos reflexivos e questionadores.

 

 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Nilcéia Aparecida Maciel Pinheiro, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

 

Professora efetiva da Coordenação de Mecânica da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)-Campus de Ponta Grossa, Mestre em Tecnologia (UTFPR) e Doutora em Educação Científica e Tecnológica (UFSC).

Downloads

Publicado

29.06.2007

Como Citar

PINHEIRO, N. A. M. Formar cidadãos crítico-reflexivos: a contribuição da matemática. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 81–92, 2007. DOI: 10.5433/1679-0383.2007v28n1p81. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/3777. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção Livre