Gestão da informação em ambientes organizacionais: em foco o setor têxtil e de vestuário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2317-4390.2015v4n1p56

Palavras-chave:

Gestão da informação, Competitividade Organizacional, Diferenciais Competitivos, Setor têxtil e vestuário, Moda

Resumo

Introdução: A globalização, competitividade e a necessidade em se obter informações direcionadas ao negócio com valor agregado são fatores determinantes para as organizações gerarem diferenciais competitivos. Nesse contexto, as organizações podem ser vistas como sistemas que geram, processam e aplicam informações que, por sua vez, podem ser transformadas em ações estratégicas.
Objetivo: Apresenta referencial teórico sobre o potencial da gestão da informação como instrumento gerador de competitividade para o setor têxtil e de vestuário.
Metodologia: Realizou-se um ensaio de cunho teórico e de caráter descritivo exploratório enfocando a gestão da informação e sua contribuição para a geração de diferenciais competitivos.
Resultados: Infere-se, a partir da análise da literatura, que a competitividade organizacional está imbricada aos fazeres da organização, bem como possui potencial competitivo imensurável para apoiar o desenvolvimento do setor têxtil e de vestuário, sendo relevante e indispensável o uso da gestão da informação para apoiar as estratégias competitivas destes segmentos econômicos.
Conclusões: A partir da análise de conceitos e definições obteve-se uma visão aprofundada sobre a temática, evidenciando que a informação é insumo fundamental para a geração de diferenciais competitivos, bem como instiga novas reflexões sobre a aplicação da gestão da informação em organizações do setor têxtil e de vestuário.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Juliana Cardoso dos Santos, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp - Marília). Professora da Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Marta Lígia Pomim Valentim, Universidade Estadual Paulista (Unesp) - Marília)

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora da Universidade Estadual Paulista (Unesp – Marília)

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INDUSTRIAIS TÊXTEIS - ABIT. Disponível em: http://www.abit.org.br/. Acesso em: 17 ago. 2007.

ANDRADE, M. E. A. A informação e o campo das micro e pequenas indústrias da moda em Minas Gerais: a entrada no campo da indústria da moda. Perspectiva Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.7, n.1, p.39-48, jan./jun. 2002.

BEUREN, I. M. Gerenciamento da informação: um recurso estratégico no processo de gestão empresarial. São Paulo: Atlas, 2007.

BIO, S. R. Sistemas de informação: um enfoque gerencial. São Paulo: Atlas, 1996.

BRAGA, A. A gestão da informação. Millenium Internet, Viseu, n.19, jun. 2000. Disponível em: http://www.ipv.pt/millenium/19_arq1.htm. Acesso em: 15 mar. 2008.

BRASIL. Ministério do desenvolvimento, indústria e comércio exterior. Disponível em: http://www.aprendendoaexportar.gov.br/inicial/index/html. Acesso em: 17 ago. 2008.

BUCKLAND, M. K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science (JASIS), v.45, n.5, p.351-360, 1991.

CALDAS, D. Observatório dos sinais: teoria e prática da pesquisa de tendências. Rio de Janeiro: SENAC, 2006.

CANDIDO, C. A.; VALENTIM, M. L. P.; CONTANI, M. L. Gestão estratégica da informação: semiótica aplicada ao processo de tomada de decisão. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.6, n.3, jun. 2005.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 1998.

CIANCONI, R. Gestão da informação na sociedade do conhecimento. Brasília: SENAI/DN, 1999.

COBRA, M. Marketing e moda. São Paulo: SENAC, 2007.

CRONIN, B. Esquemas conceituais e estratégicos para a gerencia da informação. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v.19, n.2, p.195-220, set. 1990.

DAVENPORT, T.; PRUSAK, L. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998.

GORINI, A. P. F. Panorama do setor têxtil no Brasil e no mundo: reestruturação e perspectivas. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/conhecimento/bnsetr/set1202.pdf. Acesso em: 13 out. 2008.

LIPOVETSKY, G. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

MCGEE, J; PRUSAK, L. Gerenciamento estratégico da informação: aumente a competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma ferramenta estratégica. 7. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

MORIN, E. O método 3: o conhecimento do conhecimento. Porto Alegre: Sulina/Meridional, 1999.

TARAPANOFF, K. (Org.). Inteligência organizacional e competitiva. Brasília: Ed. UnB, 2001.

TARAPANOFF, K. et al. Sociedade da informação e inteligência em unidades de informação. Ciência da Informação, Brasília, v.29, n.3, p.91-100, set./dez. 2000.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução a pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, a fenomenologia, o marxismo. São Paulo: Atlas,1987.

VALENTIM, M. L. P. Em busca da vantagem competitiva. Londrina: Info Home, 2004. Disponível em: http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=87. Acesso em: 13 ago. 2008.

VALENTIM, M. L. P. Informação estratégica: insumo para tomada de decisão. Palavra Chave, São Paulo, n.7, p.5-6, 1994.

VALENTIM, M. L. P. Processo de inteligência competitiva organizacional. In: VALENTIM, M. L. P. (Org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. Marilia: FUNDEPE, 2006. p.9-24.

VICENT-RICARD, F. As espirais da moda. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

Downloads

Publicado

2015-10-22

Como Citar

Santos, J. C. dos, & Valentim, M. L. P. (2015). Gestão da informação em ambientes organizacionais: em foco o setor têxtil e de vestuário. Informação@Profissões, 4(1), 56–81. https://doi.org/10.5433/2317-4390.2015v4n1p56

Edição

Seção

Comunicações

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)