Educação sexual: problemas de conceituação e terminologias básicas adotadas na produção acadêmico-científica brasileira

Autores

  • Mary Neide Damico Figueiró Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.1996v17n3p286

Palavras-chave:

Educação Sexual, conceituação de Educação Sexual, terminologia básica, Estado da Arte.

Resumo

Com o objetivo de elaborar o estado do conhecimento da produção acadêmico-científica da Educação Sexual no Brasil, do período de 1980 a 1993, foi realizada a análise de Dissertações, Teses, livros, artigos de periódicos e trabalhos apresentados em eventos. Uma das preocupações foi investigar quais as terminologias básicas adotadas para referir-se ao trabalho de Educação Sexual e quais os conceitos de Educação Sexual presentes nas publicações. Detectou-se a falta de padronização de uma terminologia básica e de uma posição teórica clara e objetiva quanto ao conceito de Educação Sexual. Além disso, diferenças, incoerências e/ou confusões foram ainda encontradas, em alguns textos, nas tentativas de classificação dos tipos de Educação Sexual. São apresentados subsídios teóricos que direcionam para uma padronização da terminologia básica, conceituação e classificação uniformes e cientificamente válidas.


Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mary Neide Damico Figueiró, Universidade Estadual de Londrina

Docente/Adjunto do Departamento de Psicologia Social e Institucional da UEL. Mestre em Psicologia Escolar pela USP de São Paulo.

Downloads

Publicado

20.12.1996

Como Citar

FIGUEIRÓ, M. N. D. Educação sexual: problemas de conceituação e terminologias básicas adotadas na produção acadêmico-científica brasileira. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 17, n. 3, p. 286–293, 1996. DOI: 10.5433/1679-0383.1996v17n3p286. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/9475. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção Livre