História e produção do direito: temporalidade, agências e poder

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2022v43n1p155

Palavras-chave:

Direito penal

Resumo

Entrevista com Raquel Razente Sirotti, pesquisadora no Instituto Max Planck para História e Teoria do Direito em Frankfurt am Main.

Biografia do Autor

Eduardo Henrique Lopes Figueiredo, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Doutorado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil. Professor da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, Paraná.

Diogo Bacha e Silva, Instituto de Hermenêutica Jurídica

Doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. Professor Universitário e Advgado em Minas Gerais.

Isael José Santana, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

Doutorado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, São Paulo, Brasil. Professor na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Campus de Paranaíba, Mato Grosso do Sul.

Sara Barbosa Fernandes, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC-MG

Doutoranda na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), Campus de Poços de Caldas, Minas Gerais, Brasil. Professora da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Campus de Poços de Caldas, Minas Gerais, Brasil. Advogada em Minas Gerais.

Referências

ANDRADE, V. R. P. A Construção da dogmática penal entre o final do século XIX e início do século XX. In: DAL RI JR, A.; SONTAG, R. (org.). História do direito penal entre medievo e modernidade. Belo Horizonte: Del Rey, 2011. p. 379-411.

BRUNO, A. Direito penal: parte geral. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2003. T1: Introdução, Norma penal, Fato punível.

CHARTIER, R. À beira da Falésia: a história entre certezas e inquietude. Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Ed. UFGRS, 2002.

GINZBURG, C. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. Tradução de Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GINZBURG, C. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

MANN, T. Travessia marítima com Dom Quixote: ensaios sobre homens e artistas. Tradução de Kristina Michahelles e Samuel Titan. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

SBRICCOLI, M. A penalística civil: teorias e ideologias do direito penal na Itália unificada. Tradução de Ricardo Sontag. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2021.

SIROTTI, R. R. A literatura como nova possibilidade para o ensino jurídico brasileiro: a questão das introduções históricas. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, v. 15, n. 170, jul. 2015.

SIROTTI, R. R. Ciência penal e defesa do estado: as representações da criminalidade política na doutrina penal brasileira da Primeira República (1889-1930). 2016. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

SIROTTI, R. R. Direito penal e política na Primeira República: uma análise dos processos judiciais relacionados à tentativa de assassinato de Prudente de Morais em 1897. Varia História, Belo Horizonte, v. 37, n. 74, p. 429-462, maio/ago. 2021.

SUREAU, T. P.; AUGE, Y. Understanding retaliation, mediation and punishment. Halle, Saale: Max Planck Institute for Social Anthropology, 2019.

Downloads

Publicado

26.12.2022

Como Citar

FIGUEIREDO, E. H. L.; SILVA, D. B. e; SANTANA, I. J.; FERNANDES, S. B. História e produção do direito: temporalidade, agências e poder. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 43, n. 1, p. 155–170, 2022. DOI: 10.5433/1679-0383.2022v43n1p155. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/47504. Acesso em: 29 maio. 2023.

Edição

Seção

Entrevista

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.