Colocação pronominal à luz da Sociolinguística Educacional: o caso proclítico em gêneros textuais da esfera cotidiana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2022v43n1p85

Palavras-chave:

Sociolinguística Educacional, Ensino de Língua Portuguesa, Colocação pronominal, Norma Culta do Português Brasileiro

Resumo

A adequação aos casos de ênclise no Português Brasileiro, doravante citado PB, tem demonstrado assumir uma mudança proclítica mesmo diante de contextos que requerem o uso do pronome na forma enclítica. Fato este demonstrado por estudos, como os de Mattos e Silva (2004), e Vieira (2013), que se detêm à referida ‘mudança linguística’. O caso da colocação pronominal passa pelo regimento da normativa canônica, imposta pela gramática do século XVI, que culmina em unidades didáticas distantes da realidade linguística dos discentes (BORTONI-RICARDO, 2005; FARACO, 2008). O artigo ampara-se nos pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística Educacional e na Pedagogia da Variação Linguística (FARACO, 2008; VIEIRA, 2019). Isso posto, este texto científico, motivado pela problemática citada, visa, em uma perspectiva geral, analisar se existe vitalidade à próclise, mesóclise e ênclise em textos da Norma Culta do PB em distintos gêneros textuais. Para tanto, os objetivos específicos consistem em: (i) verificar a colocação pronominal em textos conforme os gêneros Artigo de Opinião, Charge, Entrevista, Notícia, Propaganda e Tirinha; (ii) investigar se existe elevada produtividade à colocação pronominal em contexto de próclise; (iii) expor os resultados obtidos em gráficos; e (iv) apresentar uma proposta de unidade didática tendo a colocação e a mudança pronominal do PB como eixo norteador. Em razão a alcançar aos objetivos postos, a metodologia do artigo consiste na pesquisa de natureza quali-quantitativa descritiva, em que se considera a posição de pronomes clíticos átonos em 60 textos, distribuídos conforme seis gêneros textuais. Os resultados indicaram a predileção ao uso da próclise nos gêneros: Entrevista, Artigo de Opinião e Tirinha. Outrossim, nós verificamos que a ocorrência da mesóclise se apresenta nula nos gêneros textuais com as seguintes tipologias: informativa, opinativa e interpretativa.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Kauana Scabori dos Santos, Universidade Estadual de Londrina

Doutoranda em Estudos da Linguagem pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, Paraná.

Flávia Pereira Serra, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Doutoranda em Estudos da Linguagem pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná.

João Carlos Domingues dos Santos Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUC-PR

Doutor em Hermenêutica Bíblica pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR, Curitiba, Paraná, Brasil. Professor de Filosofia da SEED-PR.

Referências

BECHARA. E. Moderna gramática da língua portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BIAZOLLI, C. C. A colocação pronominal à luz das relações entre a variação e mudança linguísticas e gêneros textuais. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIN, 6., 2009, João Pessoa. Anais […]. João Pessoa: ABRALIN, 2009. V. 1, p. 651-660.

BORTONI-RICARDO, S. M. Existe uma única forma de falar “certo”? 20 maio 2020. Disponível em: https://bit.ly/3X2zneH. Acesso em: 2 jun. 2020.

BORTONI-RICARDO, S. M. Nós cheguemos na escola, e agora? sociolingüística & educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

CASTILHO, A. T. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v13i1p7-16

COSTA, A. J. Os mais antigos documentos escritos em português: revisão de um problema histórico-linguístico. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3Qfg0x1. Acesso em: 21 abr. 2020.

CYRANKA, L. Sociolinguística aplicada à educação. In: MOLLICA, M. C.; FERRAREZI JUNIOR, C. (org.). Sociolinguística, sociolinguísticas: uma introdução. São Paulo: Editora Contexto, 2016. p.167-176.

FARACO, C. A. Minicurso Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábora Editorial, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3CodWgh. Acesso em: 12 maio 2020.

FARACO, C. A. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

FURTOSO, V. A. B. Desempenho oral em português para falantes de outras línguas: da avaliação à aprendizagem de línguas estrangeiras em contexto online. 2011. Tese (Doutorado Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2011.

MARQUES, T. M.; BARONAS, J. A. Pedagogia da Variação Linguística: por uma abordagem heterogênea da língua a fim de minimizar o preconceito linguístico. Signum: Estudos da Linguagem, Londrina, v.18, n 1, jun. de 2015. p.283-308. Doi: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2015v18n1p283 DOI: https://doi.org/10.5433/2237-4876.2015v18n1p283

MATTOS E SILVA, R. V. O português são dois: variação, mudança, norma e a questão do ensino de português no Brasil. São Paulo: Parábola, 2004.

RAMOS, P. É possível ensinar oralidade usando histórias em quadrinhos? Revista Intercâmbio. São Paulo, v. 15, p. 1-11, 2006.

VIEIRA, E. S. Se inicia oração com pronome clítico? atitudes linguísticas, na escola, em relação aos padrões brasileiros de colocação pronominal. 2013. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.

VIEIRA, E. S.; FREIRE, G. C. Variação morfossintática e ensino de português. In: MARTINS, M. A.; VIEIRA, S. R.; TAVARES, M. A. Ensino de português e Sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2014. p. 81-114

VIEIRA, S. R. Colocação pronominal nas variedades européia, brasileira e moçambicana: para a definição da natureza do clítico em português. 2002. 441 f. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2002.

VIEIRA, S. R. Para uma norma padrão flexível no contexto escolar: contribuição dos estudos sociolinguísticos. In: VIEIRA, M. S. M.; WIEDEMER, M. L. (org.). Dimensões e experiência em Sociolinguísticas. São Paulo: Blucher. 2019. Cap. 12, p. 243-264. DOI: https://doi.org/10.5151/9788521218746-13

ZILLES, A. M. S.; FARACO, C. A. Pedagogia da variação linguística: língua, diversidade e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

Downloads

Publicado

16.06.2022

Como Citar

SCABORI DOS SANTOS, K.; PEREIRA SERRA, F.; RODRIGUES, J. C. D. dos S. Colocação pronominal à luz da Sociolinguística Educacional: o caso proclítico em gêneros textuais da esfera cotidiana. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 43, n. 1, p. 85–98, 2022. DOI: 10.5433/1679-0383.2022v43n1p85. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/46874. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção Livre