Diversidade genética de estoques de reprodutores de tambaqui utilizados em programas de repovoamento

Autores

  • Americo Moraes Neto Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Denise Rocha Ayres Universidade Federal de Mato Grosso
  • Danilo Pedro Streit Junior Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Nelson Mauricio Lopera-Barrero Universidade Estadual de Londrina
  • Paulo Bahiense Ferraz Filho Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Ruy Alberto Caetano Corrêa Filho Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Annaiza Braga Bignardi Santana Universidade Federal de Mato Grosso
  • Caroline Michele Marinho Marciano Universidade Federal de Mato Grosso
  • Pâmela Juliana Furlan Murari Universidade Estadual de Londrina
  • Jayme Aparecido Povh Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n3p1665

Palavras-chave:

Colossoma macropomum, Conservação genética, Marcadores moleculares, Microssatélite.

Resumo

A população natural do tambaqui (Colossoma macropomum) está reduzindo significativamente nas últimas décadas devido às ações antrópicas, como o extrativismo. Para diminuir este impacto ambiental, o repovoamento de peixes e aumento da produção piscícola estão sendo realizados. Para tanto, avaliações genéticas por meio de marcadores moleculares são fundamentais. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar a variabilidade genética de dois estoques de reprodutores de tambaqui utilizados em programas de repovoamento. Foram coletadas 65 amostras (33 amostras do estoque A e 32 amostras do estoque B). O DNA foi extraído de amostras da nadadeira caudal, com a amplificação de quatro loci microssatélite: Cm1A11 (EU685307), Cm1C8 (EU685308), Cm1F4 (EU685311) e Cm1H8 (EU685315). Foram produzidos 14 alelos no estoque de reprodutores A, cinco alelos para o locus Cm1A11 (230, 255, 260, 270 e 276 pb), três alelos para Cm1C8 (239, 260 e 273 pb), dois alelos para Cm1F4 (211 e 245 pb), quatro alelos para Cm1H8 (275, 290, 320 e 331 pb) e dois alelos exclusivos foram encontrados para os loci Cm1A11 (alelos 270 e 276 pb) e Cm1H8 (alelos 275 e 331 pb). Para o estoque de reprodutores B foram produzidos 10 alelos, os mesmos alelos do primeiro estoque, exceto para os alelos 270 e 276 pb no locus Cm1A11 e 275 e 331 pb no locus Cm1H8. No estoque de reprodutores A foi observado alelos de baixa frequência nos loci Cm1A11, Cm1C8, Cm1F4 e Cm1H8. Já o estoque de reprodutores B não apresentou locus com baixa frequência alélica. Os loci Cm1A11, Cm1C8 e Cm1H8 exibiram significativo défict de heterozigotos em ambos os estoques de reprodutores, indicando alteração no equilíbrio de Hardy-Weinberg. A divergência genética foi de 0,1120 entre os estoques, enquanto a similaridade genética foi de 0,894, com o valor de FST igual a 0,05, e o Nm igual a 3,93 indicando fluxo gênico entre os dois estoques de reprodutores. Os resultados obtidos revelam que os estoques de reprodutores estão geneticamente muito relacionados e que ambos os estoques não apresentam alta variabilidade genética. Estratégias como uma prévia análise genética dos reprodutores com sua marcação, utilização de um grande Ne, cruzamento entre indivíduos geneticamente mais divergentes, além da introdução de um novo material genético aos estoques de reprodutores, poderiam ser utilizadas para maximizar a variabilidade genética e minimizar a endogamia na próxima geração.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Americo Moraes Neto, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Discente do Curso de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Campo Grande, MS, Brasil.

Denise Rocha Ayres, Universidade Federal de Mato Grosso

Profª Drª, Departamento de Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, Rondonópolis, MT, Brasil.

Danilo Pedro Streit Junior, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Prof. Dr., Faculdade de Agronomia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil.

Nelson Mauricio Lopera-Barrero, Universidade Estadual de Londrina

Prof. Dr., Departamento de Zootecnia, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Paulo Bahiense Ferraz Filho, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Prof. Dr., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Ruy Alberto Caetano Corrêa Filho, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Prof. Dr., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Annaiza Braga Bignardi Santana, Universidade Federal de Mato Grosso

Profª Drª, Departamento de Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, Rondonópolis, MT, Brasil.

Caroline Michele Marinho Marciano, Universidade Federal de Mato Grosso

Discente do Curso de Graduação em Zootecnia, UFMT, Rondonópolis, MT, Brasil.

Pâmela Juliana Furlan Murari, Universidade Estadual de Londrina

Discente do Curso de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Jayme Aparecido Povh, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Prof. Dr., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-06-13

Como Citar

Moraes Neto, A., Ayres, D. R., Streit Junior, D. P., Lopera-Barrero, N. M., Ferraz Filho, P. B., Corrêa Filho, R. A. C., Santana, A. B. B., Marciano, C. M. M., Murari, P. J. F., & Povh, J. A. (2017). Diversidade genética de estoques de reprodutores de tambaqui utilizados em programas de repovoamento. Semina: Ciências Agrárias, 38(3), 1665–1670. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n3p1665

Edição

Seção

Comunicações

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3